#Saúdeambiental - O que tirar de proveito no Brasil do exemplo da mobilização pela recuperação da bacia hidrográfica do Tejo, na Europa?

19/01/2018 17:52

Por Sucena Shkrada Resk

Movimento ProTejoQuem um dia viu o rio Tejo, o mais extenso da Península Ibérica (da Espanha a Portugal), com 1.007 km e cuja bacia hidrográfica ocupa 80,6 mil km 2, poluído, quase sem vida e seco em vários trechos, há alguns anos observa um esforço para o processo de revitalização, de forma gradual e lenta, à custa de diferentes “pressões”. O que podemos tirar de lições dessas iniciativas europeias aqui no Brasil, tendo em vista que é uma bacia que se encontra em dois países e tem uma importância estratégica para um continente? Um interessante estudo de caso.

Vontade política e gestão técnica eficientes são as medidas consideradas mais eficazes, quando há um esforço conjunto que envolve poder público, empresariado, sociedade e terceiro setor, incluindo o componente da pressão internacional – neste caso - no contexto do bloco da União Europeia. Entretanto, o que torna as ações mais efetivas é a execução de medidas cadenciadas de forma permanente como política de estado versus a cultura da descontinuidade, que quebra a efetividade de políticas públicas, algo que acontece no Brasil. Essa é a conclusão a que se chega ao observar os processos que têm ocorrido nas últimas décadas.

Diretiva Quadro da Água

Uma das estratégias para a revitalização do rio Tejo está baseada na aprovação da Diretiva Quadro da Água, em 2000, pelo Parlamento Europeu e Conselho da União Europeia, que obriga que os estados-membros do bloco apresentem um bom estado ecológico de todas as águas de superfície, além das subterrâneas, que cobrem 60% do território. No bloco, há o registro de 110 bacias hidrográficas, com 80% de predominância de rios, e mais de 30 já sofrem com o problema de escassez. A água não é tratada como mercadoria.

Neste contexto, foi criado o Plano de Gestão da Região Hidrográfica do Tejo (2016/2021), que passou por consulta pública, e está sendo acompanhado pela sociedade civil. Um documento extenso, que trata desde aspectos de climatologia e hidrologia a econômicos. Algumas ações pontuais também têm sido realizadas. Entre elas, a implementação em 2000 do Parque Natural do Alto Tejo, na Espanha, Em Portugal, décadas anteriores, no ano de 1976, foi criada a Reserva Natural do Estuário do Tejo, que ocupa 14,4 mil hectares. O estuário integra a lista de Sítio Ramsar (zonas úmidas) e recebe milhares de aves migratórias e peixes.

Um dos mais recentes anúncios da Agência Portuguesa de Ambiente, neste ano, foi de que está instalando duas sondas automáticas para o monitoramento contínuo das águas em trechos do rio em seu território.  Tudo isso é positivo, mas ainda muito pouco diante à dimensão dos desafios.

Poluição e seca agridem as águas do Tejo, situação que não causa estranheza a nós brasileiros, em muitas bacias hidrográficas. A retrospectiva histórica mostra que o processo por sua recuperação teve diferentes capítulos, como em pontos isolados do rio em 1998, mas que teve várias interrupções. Já em 2004, houve uma mudança de postura da gestão pública, com a proposta de uma ação integrada de saneamento, por meio de implementação de estações de tratamento de águas residuais (ETAs) em diferentes municípios em seu curso, que ainda tramita de forma gradual.  Entre os pequenos avanços, desde 2010, foi noticiada a reaparição de golfinhos roaz-corvineiro (Tursiops truncatu) em alguns trechos de suas águas, mas ao mesmo tempo, na região de sua montante, pescadores em 2017 reclamavam da escassez de peixes, ainda devido à poluição, com a eutrofização e proliferação de algas.

As maiores fontes de poluição do Tejo (muitas similares a vários rios brasileiros) são provenientes da agricultura (uso de agrotóxicos), de operações de hidrelétricas (mais de 30), de efluentes industriais (celulose), de efluentes domésticos (esgotos) e da refrigeração da Termoelétrica de Pego. Outra questão que preocupa os europeus são as mudanças climáticas. A seca vem atingindo as cabeceiras com frequência. De acordo com estudos espanhóis, a diminuição caudal foi de 47% no século XX. Um dos motivos para essa alteração é creditado à ação do homem por meio da concepção do projeto hidráulico de barragens.  

Pressão da sociedade

O proTejo – Movimento pelo Tejo, que reúne de associações a cidadãos, desde 2009 tem se mobilizado pela qualidade da bacia hidrográfica, como também pela preservação da identidade social e cultural das populações ribeirinhas. A sociedade utiliza diferentes instrumentos, desde ações de chão à manutenção de redes sociais, abaixo-assinados, levantamentos e atividades de educação ambiental. O grupo nasceu na Vila Nova Barquina, no Médio Tejo, em Santarém.

Em 2015, o grupo registrou a grande mortandade de peixes nas proximidades da Barragem Belver/Ortiga. Em 26 de setembro do mesmo ano, participou da Manifestação Ibérica por um Tejo Vivo. No ano passado, realizou um ato com mais de 500 participantes contra poluidores industriais, que ficam ao longo do rio, cobrando ações da Justiça e do poder público. A Agência Portuguesa de Ambiente constatou em relatórios os problemas e medidas necessárias para saneá-las.

Os resíduos orgânicos e industriais (metais pesados) se acumularam por décadas por lá. A zona do estuário do Tejo é considerada um local gravemente ameaçado. A reserva ecológica é um importante patrimônio ambiental. Um dos desafios ao longo dos últimos anos, está sendo da implementação da chamada Estratégia Nacional para os Efluentes Agropecuários e Agroindustriais (ENEAPAI), criada em 2007, que ainda são resistentes em vários pontos, e afetam a região.

A situação desta bacia hidrográfica europeia em muito se assemelha às nossas. As pressões são características do modelo de desenvolvimento capitalista. Preocupar-se com zonas ecológicas e econômicas, saneamento, destinação de resíduos e políticas de energia mais limpa sem tantas agressões ao meio ambiente faz parte de um consenso tanto aqui como lá. A troca de experiências pode ser útil para não se repetir erros.  

#recursoshídricos #saneamentoambiental #caminhodaságuas

*Foto: Movimento Pelo Tejo
Veja também no Blog Cidadãos do Mundo - jornalista Sucena Shkrada Resk:
17/01/2018 - #Saúdeambiental - Até quando políticos não priorizarão solução para esgoto em agenda pública? 
23/02/2016 - Esgotamento sanitário mais uma vez relegado a segundo plano no Brasil 
26/09/2014 - Aristides Almeida Rocha: um olhar atento ao saneamento ambiental
18/08/2014 - Qualidade das águas em SP (Como entender a gestão das águas - Parte 2)
15/08/2014 - Como entender a gestão das águas no estado de SP?
14/10/2013 - Água: um bem depreciado na sociedade do desperdício
22/03/2013 - Água "pura, quero ver-te...
24/08/2012 - Coleta e tratamento de esgoto: como será quando chegarmos a 2050?

*Blog Cidadãos do Mundo - jornalista Sucena Shkrada Resk

Pesquisar no site

Blog

23/05/2019 13:15

Podcast 6 – Blog Cidadãos do Mundo: Assustador é não ouvir mais os zumbidos das abelhas

Por Sucena Shkrada Resk* Ouvir os zumbidos das abelhas para muitos pode ser algo assustador, mas ao contrário do que você possa pensar, mais assustador é justamente não ouvir esses zumbidos. A resposta é simples: esses agentes da natureza responsáveis pela maior parte da polinização no planeta...
21/05/2019 14:33

Brasil sai do protagonismo em decisões internacionais da área ambiental

Por Sucena Shkrada Resk* A linha histórica dos esforços mais intensivos em cooperações multilaterais internacionais no campo ambiental já soma quase meio século, com a Declaração de Estocolmo (1972), mas desde a Segunda Guerra Mundial houve um impulso a este propósito, com a Declaração dos Direitos...
10/05/2019 17:12

O cenário conturbado da gestão ambiental brasileira

Por Sucena Shkrada Resk* A condução da gestão socioambiental no Brasil, neste ano de 2019, causa apreensão aqui e no exterior. Uma série de medidas está sendo tomada pelo Ministério do Meio Ambiente (MMA), sob comando do ministro Ricardo Salles, e tem causado polêmica ao acelerar a redução da...
07/05/2019 10:50

Artigo - Podcast 5 - Blog Cidadãos do Mundo: Um dia de second life nas teias socioambientais

Por Sucena Shkrada Resk* Será possível viver sem utopias? Na concepção de grande parte da humanidade, consciente ou inconscientemente, talvez não. Por quê? Uma das respostas possíveis é um sentimento que nos move e que se chama esperança. O que faríamos sem ela? Neste artigo também na versão do...
04/05/2019 12:49

Podcast 4: Saúde ambiental não existe sem prevenção - um alerta no Brasil

Por Sucena Shkrada Resk*   Neste quarto podcast do meu blog jornalístico Cidadãos do Mundo, falo com vocês a respeito da importância da prevenção na saúde ambiental. É uma questão que está sempre no nosso calcanhar, não é? Quer queira, quer não. E me faz lembrar deste trecho da música dos...
12/04/2019 13:41

Podcast 3 - Blog Cidadãos do Mundo - as facetas das desigualdades sociais no Brasil, por Sucena Shkrada Resk*

Olá, compartilho hoje com vocês o terceiro podcast do meu Blog jornalístico Cidadãos do Mundo. Estou trazendo para este espaço algumas reflexões sobre a questão da desigualdade social que historicamente tem afetado o Brasil, e que traduz aquela lacuna de desenvolvimento, que revela as facetas ainda...
02/04/2019 15:05

Podcast 2 - Blog Cidadãos do Mundo - Uma imersão no turismo de base comunitária, por Sucena Shkrada Resk

Olá, estou tratando no segundo podcast do meu Blog jornalístico Cidadãos do Mundo, da reflexão sobre o turismo de base comunitária e o etnoturismo, que saem da esfera convencional que conhecemos e trazem um ingrediente importante: a junção da proposta da conservação ambiental com a valorização...
27/03/2019 17:39

Primeiro podcast do Blog Cidadãos do Mundo traz reflexão sobre os efeitos do ciclone Idai na África

Olá, neste ano de 2019, eu, Sucena Shkrada Resk, estou ampliando o formato de linguagem do meu blog jornalístico Cidadãos do Mundo, com a introdução de podcasts periódicos, no qual faço comentários e reflexões sobre temas socioambientais, de sustentabilidade e cidadania, além dos artigos e...
25/03/2019 13:20

Podcast - Agricultura orgânica: grupo de mulheres revela o casamento da faceta da raiz cultural às sementes crioulas

Por Sucena Shkrada Resk  A entrevistada desta semana, do Blog Cidadãos do Mundo - jornalista Sucena Shkrada Resk, é a agricultora familiar pernambucana Vilma Martins (terceira à direita na foto), radicada em São Paulo, que integra a composição feminina do Grupo de Agricultores Urbanos...
20/02/2019 14:05

Tietê permanece adoecido na região metropolitana devido ao mau planejamento urbano

Por Sucena Shkrada Resk* A sensação de déjà-vu é contínua. Entra ano, sai ano, esta é a realidade perversa que vivemos diariamente nas regiões metropolitanas. De um lado, algumas nascentes que resistem, sabe-se lá até quando à pressão humana e, por outro, rios que são engolidos, em diversos...
08/02/2019 12:42

Rompimentos de barragens de rejeitos minerais revelam cenário de insegurança no país

Por Sucena Shkrada Resk* Ausência e/ou ineficiência nas precaução e prevenção, manutenção, em monitoramento e investimento em tecnologias mais seguras e em fiscalização contínua na destinação e tratamento de rejeitos minerais. Essa série de potenciais causas tem demonstrado um verdadeiro campo...
25/01/2019 14:43

Um olhar mais atento para os caminhos da habitação popular/social

Por Sucena Shkrada Resk* A população cresce ano a ano e o déficit habitacional segue a mesma trajetória no Brasil e é superior a 7,7 milhões de moradias necessárias para suprir essa demanda por imóvel próprio. Os dados são baseados em informações da Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios do...
21/01/2019 14:10

Narrativa de agricultora familiar nos leva à valorização ecossistêmica e humanística

Por Sucena Shkrada Resk* Ouvir a narrativa de agricultores familiares sempre é algo revigorante e que nos leva à ligação afetiva à terra, à água, à fauna e flora. Estimula nossa recepção sensorial e dá sentido à máxima de que quanto mais simples, mais estamos sintonizados com o equilíbrio...
16/01/2019 14:48

Os oceanos apelam todos os dias: #plásticosnão

Por Sucena Shkrada Resk* A imagem é desconcertante e dramática. Olhamos de um lado e de outro e os oceanos têm mais plásticos do que peixes. O ano é 2050. Cena de filme de ficção? Longe disso. Este é um prognóstico mais próximo do real descrito em estudo da fundação da navegadora Ellen MacArthur e...
14/01/2019 11:21

Temas “Refugiados” e “Migrantes”: não existe geopolítica baseada em visões unilaterais

Por Sucena Shkrada Resk* Em um mundo em que a maioria das pessoas e “nações” aspiram pela manutenção da democracia e da paz mundial, as relações diplomáticas internacionais exigem como alicerce o constante diálogo e o princípio de que as decisões sejam o mais consistentes e equilibradas para a...
10/01/2019 16:03

O Quênia e seus exemplos inspiradores: da resiliência ao socioambientalismo

Por Sucena Shkrada Resk * Sim. Exemplos inspiradores vêm do leste do continente africano e especialmente de países como o Quênia, e não se restringem a resultados na tradicional corrida de São Silvestre por aqui e chegam à esfera socioambiental, além do fato de Nairobi ser a cidade-sede do Programa...
09/01/2019 14:09

O Princípio da Precaução tão urgente e ao mesmo tempo, tão esquecido

Por Sucena Shkrada Resk* Memória, ah, essa memória histórica, que dá sentido e é importante para começos e recomeços. Nesse recuperar do tempo, o Princípio 15 – da Precaução (precautio-onis, em latim), instituído da Conferência das Nações Unidas sobre o Meio Ambiente e Desenvolvimento (Rio 92), que...
29/11/2018 15:20

Conservação de Paranapiacaba e entorno frente a projetos de novos empreendimentos

Por Sucena Shkrada Resk* Empreendimentos que por sua natureza econômica causam passivos ambientais devem obrigatoriamente, por determinação legal, antes de serem licenciados, esclarecer da forma mais transparente possível todos os cenários possíveis do comprometimento relacionado à sua atuação, que...
28/11/2018 16:54

A miopia de gestão sobre as mitigações e adaptações às mudanças climáticas

Por Sucena Shkrada Resk* Às vésperas da Conferência das Partes da Convenção-Quadro das Nações Unidas sobre as Mudanças do Clima (COP 24), o Brasil desenha um quadro desestruturador das medidas quanto a mitigações e adaptações às mudanças climáticas. Diplomaticamente falando, a desistência da...
08/11/2018 15:43

Vivemos um hiato temporal brasileiro socioambiental

Por Sucena Shkrada Resk* A agenda socioambiental brasileira sofre, nas últimas décadas, de um anacronismo crescente, no qual o que muito do que está escrito nas legislações nacionais e, inclusive, em tratados internacionais ratificados pelo país, não se configura na prática da realidade diária....

© 2018 Todos os direitos reservados.

Blog Cidadãos do Mundo-jornalista Sucena Shkrada Resk