#Saneamentoambiental – Tamanduateí, um rio metropolitano em agonia

29/01/2018 17:06

Por Sucena Shkrada Resk

 A nostalgia de recordar do Tamanduateí sinuoso e límpido (Tamanduá grande, em tupi), na Região Metropolitana de São Paulo (RMSP), que já foi conhecido como Rio Piratininga, talvez esteja ainda nas memórias de bisavós e tataravós e de alguns relatos em bibliografias sobre sua importância para os indígenas e moradores da região, que o utilizavam como meio de transporte, pesca e, inclusive, para lavar roupa. Sim, suas águas em 35 km de extensão eram límpidas, desde sua nascente na Gruta Santa Luzia, localizada em parque ecológico em Mauá, passando por Santo André e São Caetano até desembocar em São Paulo, no Tietê. Desde as primeiras décadas do século XX, este rio que poderia ser um cartão-postal, se tornou um depósito de esgoto que exala um odor fétido.

Aos paulistanos e migrantes e imigrantes que vivem na capital, uma perda irreparável de um recurso hídrico importante na Bacia do Alto Tietê. Não bastasse a poluição, o seu curso rico em curvas foi sendo retificado pelo homem a partir do final do século XIX e a dureza quase retilínea que não faz parte de sua natureza o engessou. Em certos trechos fica camuflado pelo concreto. Ladeado pela frieza da avenida dos Estados e pelo Corredor Expresso de ônibus, de onde o avistamos de cima, no seu trecho no Grande ABC e em São Paulo, retrata este cenário compactado. Quando passamos neste percurso na zona central paulistana, uma atmosfera decadente se revela.

Palavras duras? Nem tanto. Observar nas últimas décadas a situação de deterioração do Tamanduateí é a prova factual de que o poder público não conseguiu exercer de forma efetiva o seu papel e, ao mesmo tempo, a sociedade não foi uma boa cuidadora do rio. Suas águas turvas recebem esgoto clandestino e despejo de outros córregos poluídos, como os Barroca, Pedra Branca, Taboão, Corumbê, Saracura, Ribeirões dos Meninos e dos Couros, Córregos do Oratório, Guarará, Anhangabaú, além de efluentes industriais. São mais de 30. Nos anos 50, um desastre ambiental no Polo Petroquímico de Capuava, em Mauá, causou um sério reflexo na qualidade de suas águas. Estações de tratamento de Esgoto (ETEs) na região ainda não conseguiram eliminar o despejo inadvertido, que resulta em um rio doente.

O contexto oficial

Em relatório da Síntese da Qualidade das Águas no Estado de São Paulo – versão 2015, a Companhia de Tecnologia de Saneamento Ambiental (Cetesb) destaca: “...Ressalta-se que, em 2014, 40 % dos pontos monitorados na Bacia Hidrográfica do Alto Tiête 6(UGRHI 6) foram classificados na categoria Péssima. Dentro dessa categoria encontram-se os trechos dos rios Tietê, Pinheiros, Tamanduateí e alguns de seus tributários.... E os maiores contribuintes de esgoto para o Tietê, quem são? O Tamanduateí, seguido dos córregos Cabuçu e Baquirivu (São Paulo e Guarulhos), Pinheiros e Itaquera e Aricanduva (SP)...”.  

O atual Plano da Bacia Hidrográfica do Alto Tietê refere-se ao período de 2016 a 2035. No primeiro relatório a respeito consta inúmeros desafios de gestão pública. Entre eles, que apesar de haver infraestrutura de interceptores e tratamento de esgoto no Sistema Principal pela Companhia de Saneamento Básico do Estado de São Paulo (Sabesp), que incorpora os rios Tietê, Tamanduateí e Pinheiros, a afluência dos esgotos para as ETEs ainda é baixa em virtude da dificuldade de implantação dos coletores tronco nos fundos de vale dos tributários.

O documento também alerta que  - “...As áreas declaradas contaminadas por metais e outros e hidrocarbonetos halogenados (que são tóxicos) são as mais preocupantes devido ao comportamento desses compostos na água subterrânea e por estarem localizadas em áreas importantes da zona urbana das cidades, sobretudo acompanhando o vale dos principais rios da BHAT, Tietê, Pinheiros e Tamanduateí...”.

O relatório técnico Observando os Rios 2017 – O Retrato da Qualidade das Águas nas Bacias da Mata Atlântica, produzido pela Fundação SOS Mata Atlântica, registra essa condição “ruim” do Tamanduateí e “regular” no trecho de sua nascente.

Na página da web do Comitê de Bacias Hidrográficas do Alto Tietê, que tem como um dos subcomitês “Billings-Tamanduateí” (Diadema, Mauá, Ribeirão Pires, Rio Grande da Serra, Santo André, São Bernardo do Campo, São Caetano do Sul e São Paulo), constam como “não definidos” o município coordenador geral e nem do Estado, como também da sociedade civil, enquanto os demais há a identificação, com exceção do subcomitê Juqueri-Cantareira. Isto já sinaliza a dificuldade da sociedade civil poder exercer um acompanhamento mais próximo da agenda e das deliberações específicas.

Até 9 de março, está aberto o prazo para propostas de empreendimentos para a aplicação das prioridades do Fundo Estadual de Recursos Hídricos (Fehidro) 2018, cuja deliberação tem como algumas das metas: estudos e projetos de recuperação das águas em áreas sensíveis da Bacia; esgotos sanitários e controle de fontes difusas de poluição das águas. Esses tipos de informações deveriam ser mais publicizadas para o cidadão, por outros mecanismos de comunicação, para que possa entender como funciona o mecanismo de aplicação de recursos, e poder monitorar de forma mais contínua os processos. E quem sabe, os cidadãos (ãs) consigam vislumbrar um futuro diferente ao atual Tamanduateí que hoje agoniza.

Veja também no Blog Cidadãos do Mundo - jornalista Sucena Shkrada Resk: 
26/01/2018 - #Saneamentoambiental - 2018, lixões e aterros controlados: uma realidade ainda gritante no Brasil 
19/01/2018 - #Saúdeambiental: O que tirar de proveito no Brasil do exemplo da mobilização pela recuperação da Bacia do Tejo, em Portugal?
17/01/2018 - #Saúdeambiental - Até quando políticos não priorizarão solução para esgoto em agenda pública? 
23/02/2016 - Esgotamento sanitário mais uma vez relegado a segundo plano no Brasil 
26/09/2014 - Aristides Almeida Rocha: um olhar atento ao saneamento ambiental
18/08/2014 - Qualidade das águas em SP (Como entender a gestão das águas - Parte 2)
15/08/2014 - Como entender a gestão das águas no estado de SP?
14/10/2013 - Água: um bem depreciado na sociedade do desperdício
22/03/2013 - Água "pura, quero ver-te...
24/08/2012 - Coleta e tratamento de esgoto: como será quando chegarmos a 2050?
*Blog Cidadãos do Mundo - jornalista Sucena Shkrada Resk

Pesquisar no site

Blog

07/12/2015 21:32

COP21: as mudanças climáticas e as vidas em xeque

Por Sucena Shkrada Resk Enquanto nas salas climatizadas da Conferência das Partes da Convenção-Quadro das Nações Unidas sobre a Mudança do Clima (COP-21), em Paris, tudo vai hipoteticamente bem, obrigado, do lado de fora, a realidade é bem outra. Essa constatação vem por meio de dados do recente...
29/11/2015 13:04

Crônicas de uma urbanóide na vida rural: superando os medos e mitos sobre uma caranguejeira

Por Sucena Shkrada Resk Já era noite e estava dentro de casa, no quarto, quando vi próximo ao guarda-roupa uma enorme aranha –caranguejeira. Até então, só tinha visto em alguns locais externos, em viagens, mas não tão pertinho, nesta experiência de quase um ano vivendo em uma cidade com perfil...
05/11/2015 03:55

PEC 215: a quem interessa sua aprovação?

Por Sucena Shkrada Resk Compreender as motivações da política partidária não é uma tarefa fácil para qualquer um de nós, cidadãos comuns, que não vivenciamos regularmente os bastidores.. Entretanto, alguns temas em pauta no Congresso chamam a atenção. E um deles é a recente aprovação feita por uma...
01/11/2015 14:23

Mudanças climáticas: a COP21 das utopias

Por Sucena Shkrada Resk O que seria de nós, seres humanos, sem a possibilidade de desenvolver o pensamento utópico? Hoje resolvi narrar o meu discurso com esse princípio sobre a condução do combate ao aceleramento das mudanças climáticas e do aquecimento global, em que o palco das discussões é a...
20/09/2015 22:15

Amazônia: um lamento dos sem-árvore

Por Sucena Shkrada Resk Onde estão os anus-pretos, que faziam as travessias aéreas sobre as estradas de terras e a vegetação?  E os casais de araras-vermelhas que passeavam sob o céu azul, seguindo a caminho da floresta com suas árvores e copas densas? Agora, nem flagrar um tatu está sendo...
30/08/2015 15:34

Rumo à COP21: o desmatamento na Amazônia continua a ser um desafio

  Por Sucena Shkrada Resk Dados recentes divulgados pelo Instituto do Homem e Meio Ambiente da Amazônia (Imazon) apontam que houve um aumento de 63% no desmatamento na Amazônia Legal, no período de agosto a julho (2014-2015), com 3.322 km2 comparativamente ao mesmo período entre 2013-2014, com...
19/08/2015 11:16

Sim, todos nós precisamos das abelhas...

Por Sucena Shkrada Resk Onde estão as abelhas, os principais polinizadores do planeta? Quantas vezes temos ouvido esta pergunta nos últimos anos se acentuando cada vez mais, desde os anos 90? O desaparecimento ocorre gradativamente por causa da intervenção humana, isso já é uma constatação. Mas o...
31/07/2015 12:48

Marcelo Munduruku: quando a natureza e o ser humano traduzem uma única essência

O Projeto Vozes dos Biomas – jornalista Sucena Shkrada Resk tem como terceiro entrevistado, Marcelo Munduruku, de Juara, MT, do bioma amazônico. Confira a entrevista que fiz no último dia 16, no...
19/07/2015 14:15

Extrativismo sustentável, dobradinha que inclui conservação e geração de renda

Por Sucena Shkrada Resk Autonomia e empoderamento. Dobradinha poderosa e indispensável. Quando nos deparamos com boas práticas, que envolvem a agricultura familiar, vale a pena compartilhar estas experiências. Lidar com a terra, além de sensibilidade tem muito de matemática. Quem só retira e não...
12/07/2015 12:57

Chapada dos Guimarães: uma aula prática de Cerrado

Texto e fotos: Sucena Shkrada Resk Para qualquer lado que se olhe, o Cerrado é um bioma que revela cenários diferenciados, no Centro-Oeste brasileiro. A região da Chapada dos Guimarães, a cerca de 60 km de Cuiabá, Mato Grosso, é um dos locais mais especiais desse pedaço do Brasil, também...
05/07/2015 13:49

Resíduos sólidos: prorrogar lixões revela um Brasil atrasado

Por Sucena Shkrada Resk A discussão sobre a gestão dos resíduos sólidos no Brasil revela a fragilidade que vivemos em nosso país. A Política Nacional (Lei  12305, de 2010), que veio com um arcabouço importante, foi perdendo força com o passar do tempo, em vários aspectos, por causa da...
21/06/2015 17:01

Marco da biodiversidade: muito além do papel

Por Sucena Shkrada Resk Os processos de conquista de direitos socioambientais no Brasil são árduos, porque por muitas vezes, ficam circunscritos a belas palavras dispostas no papel, que não se traduzem em regulamentação e prática.  O recente Marco da Biodiversidade brasileiro (Lei 13.123),...
23/04/2015 12:18

Parque Nacional da Serra da Capivara (PI): um patrimônio mundial a céu aberto

Texto e fotos: Sucena Shkrada Resk Um ano de maturação até conseguir conhecer o Parque Nacional da Serra da Capivara (PI), a Fundação Museu do Homem Americano (Fumdham) e a Cerâmica da Serra da Capivara, em novembro de 2014. Foi praticamente um período de gestação, que gerou alguns "filhos"...
04/04/2015 20:18

Um dia no “Velho Chico”

Crédito das fotos: Sucena Shkrada Resk Por Sucena Shkrada Resk “Descoberta e sensação de pertencimento”. Essas talvez sejam as palavras certas para definir o que me acompanhou há alguns meses, em uma viagem ao Nordeste, quando parti para a navegação fluvial no “Velho Chico”. Até hoje, essa...
18/02/2015 12:50

Ana das Carrancas, uma personagem ligada ao "Velho Chico"

Fotos: Sucena Shkrada Resk Por Sucena Shkrada Resk  A ‘dama de barro’. Assim era conhecida Ana das Carrancas, que se tornou uma personagem cultural reconhecida em Pernambuco e no Brasil, por seus trabalhos moldados no barro às margens do rio São Francisco, na região de Petrolina. A artista...
08/02/2015 12:01

Castanheira viva, um sinal da floresta em pé

crédito das fotos: Sucena Shkrada Resk   Por Sucena Shkrada Resk Mais que sombra, mais que frutos, a castanheira viva é símbolo da floresta em pé no bioma amazônico. Alta, soberana, se destaca na paisagem, mas depende de seus pares nativos de outras espécies para ficar vigorosa. Pode atingir...
26/01/2015 13:06

As perguntas encontram sentido nas coisas aparentemente miúdas

Por Sucena Shkrada ReskUm dia estava eu na atmosfera paulista da mata atlântica, vivendo um cotidiano entre São Caetano do Sul e São Paulo, e no outro já estava fincando os pés em Alta Floresta e depois, em Cotriguaçu, na Amazônia matogrossense. Um mero deslocamento geográfico e de bioma? Não,...
10/01/2015 15:18

Nivaldo, o artesão: uma história enraizada na Serra da Capivara (PI)

O oleiro e artesão Nivaldo Coelho de Oliveira é o segundo personagem entrevistados pelo Projeto Vozes dos Biomas - jornalista Sucena Shkrada Resk, na Serra da Capivara   Bioma Caatinga Entrevistado (2): artesão Nivaldo Coelho de Oliveira, 82 anos, da Cerâmica Serra da Capivara obs: auxiliou a...
08/01/2015 09:42

Vozes dos Biomas: início de um ideal jornalístico

Por Sucena Shkrada Resk  #Vozesdosbiomas - #Jornalismoambiental   Estou divulgando hoje uma iniciativa de jornalismo audiovisual socioambiental que estou gestando há quase dois anos: Projeto Vozes dos Biomas -  jornalista Sucena Shkrada Resk, e dei início neste mês. Como o...
03/01/2015 13:42

Mafalda, a COP20, o estado do mundo e do Brasil

Exposição "O Mundo segundo Mafalda", em cartaz gratuitamente na Praça das Artes, em São Paulo. (Crédito das fotos: Sucena Shkrada Resk) Por Sucena Shkrada Resk A eterna Mafalda completou meio século e continua sagaz como sempre. A personagem carismática criada pelo cartunista argentino Quino tem...

© 2018 Todos os direitos reservados.

Blog Cidadãos do Mundo-jornalista Sucena Shkrada Resk