Rio Tietê: um insistente subversivo

22/09/2014 18:04

Por Sucena Shkrada Resk

Hoje (22/09) é dia dele, de um dos rios mais ‘subversivos’ e com usos múltiplos brasileiros. Quem vê essa expressão, pode estranhar, mas já vou explicar. O adjetivo se aplica perfeitamente ao rio Tietê, que por aquelas condições que só a natureza explica, segue ao interior e não vai para o mar (apesar de estar distante 22 quilômetros de lá), contrariando o que geralmente acontece com os demais cursos d`água. A sua nascente fica no município de Salesópolis e percorre 1.100 quilômetros até chegar ao rio Paraná, cortando quase ao meio o estado paulista em seu traçado, até Itapura, na divisa com o Mato Grosso do Sul. E ele consegue se superar por causa da resiliência à ação do ser humano, que mudou este traçado, tirou as matas ciliares que o protegiam em vários trechos e que despeja diariamente resíduos e esgoto. Essa série de problemas no contexto da deficiência de políticas públicas de saneamento, em especial, na região metropolitana de São Paulo.

Segundo recente relatório da Fundação SOS Mata Atlântica,  “O Retrato da Qualidade da Água e a evolução parcial dos indicadores de impacto do Projeto Tietê”, iniciado pela Companhia de Saneamento Básico do Estado de São Paulo, em 1992”, o trecho considerado “morto” do rio Tietê foi reduzido em 70,7%, em quatro anos. Agora está concentrado entre os municípios de Guarulhos e Pirapora do Bom Jesus, totalizando 71 quilômetros, nos quais, os índices ainda variam de ruim a péssimo. No ano de 1993, a extensão comprometida era de 530 km.

Segundo Malu Ribeiro, coordenadora da Rede das Águas da ONG, a mudança ocorreu nos últimos quatro anos e foi monitorada por grupo de voluntários em 82 pontos (sendo 11 trechos novos), entre setembro de 2013 e setembro de 2014. Entre os pontos mais críticos (avaliados como péssimos), estão nos rios Caputera (Arujá), Cotia (Cotia) e Tietê, na altura da USP Leste. “Os pontos de qualidade boa ficam próximos a área protegidas”, destacou.

Os trechos que obtiveram categoria “boa” foram: do rio Tietê (Biritiba Mirim), Ribeirão Tanquinho (Botucatu), Ribeirão e córrego Cabreúva (no município de mesmo nome), córrego São José (Itu), rio Piray (Salto), rio Tietê (Salesópolis), rios Capivari e Embu-Guaçu (São Paulo) e Córrego Água Preta, no bairro da Pompeia, na capital.

A Companhia de Tecnologia de Saneamento Ambiental de São Paulo (CETESB), divulgou em maio deste ano, que a qualidade das águas ainda são precárias em 11 dos 23 pontos de monitoramento em toda a extensão do rio, entre Suzano e Laranjal. 

Para entender a dinâmica do Tietê, é preciso se ter em mente que esse curso d´água sofre a pressão antrópica há décadas, de cerca de 70 municípios. As suas águas recebem carga de afluentes de diferentes bacias hidrográficas: Alto Tietê (localização da Região Metropolitana de São Paulo); Piracicaba; Sorocaba/Médio Tietê; Tietê/Jacaré; Tietê/Batalha e Baixo Tietê. No trecho metropolitano, é que as condições mais precárias permanecem historicamente, desde a década de 20,  por causa do despejo de esgotos domésticos e industriais. Uma questão de saneamento ainda a ser superada no estado mais rico do país.

De acordo com a Sabesp, o Projeto Tietê deverá concluir a terceira fase, até 2015. Deverão ser construídos até o término deste período, 580 quilômetros de coletores e receptores, além de 1,2 mil quilômetros de redes coletoras e 200 mil ligações domiciliares. A expectativa, de acordo com a empresa é que haja um total de 87% de esgoto coletado e 84% destes sejam tratados, numa dimensão populacional de 20,1 milhões de habitantes. A universalização é prevista para o ano de 2018.

Ao mesmo tempo, parte deste rio com a união com o Paraná forma o segundo corredor mais extenso de hidrovias no país, com 1,7 mil quilômetros navegáveis (sendo 573 quilômetros no Tietê, a partir de Conchas), que ligam Paraná, São Paulo, Mato Grosso do Sul, Minas Gerais e Goiás.  No trecho paulista, há seis barragens, todas com eclusas, possibilitando a navegação (Três Irmãos, Nova Avanhandava, Promissão, Ibitinga, Bariri, e Barra Bonita). A ligação com o Rio Paraná acontece por meio do canal Pereira Barreto, e com o aproveitamento da barragem de Ilha Solteira.

No ano de 2013, foram transportados cerca de 6 milhões de toneladas por toda a extensão da via. O quadro, neste ano, no entanto, não é tão animador por causa da forte estiagem. A situação também reflete no potencial hidrelétrico. O nível do reservatório da Usina Hidrelétrica de Três Irmãos chegou a ficar com o volume mais baixo no Brasil. As condições em Ilha Solteira também não são das melhores. O Tietê subversivo, neste caso, está com dificuldade de permanecer tanto tempo resiliente. 

Veja também no Blog Cidadãos do Mundo – jornalista Sucena Shkrada Resk:

08/09/2014 – Recursos hídricos: o exercício de conservação por microbacias

02/09/2014 - O Código Florestal e a influência na gestão das águas
20/08/2014 - Cantareira expõe a fragilidade do sistema de abastecimento (Como entender a gestão das águas em SP – parte 1)
18/08/2014 - Qualidade das águas (Como entender a gestão das águas – parte 2)
15/08/2014 - Como entender a gestão das águas, no estado de SP (Parte 1)
14/10/2013 Água: um bem depreciado na sociedade do desperdício
22/03/2013  Água pura...quero ver-te
24/08/2012  Coleta e tratamento de esgoto: como será quando chegarmos a 2050?
07/06/2012  Rumo à Rio+20: o valor oculto da água
23/05/2012  Nota: Saneamento está interligado a outras infraestruturas
23/05/2012  Riomais20 - Como tratará da realidade da África Subsaariana?
19/10/2011  Recursos hídricos: uma pauta para a Rio+20
19/10/2011  Esgoto: o calcanhar de aquiles do Brasil
28/10/2011  Por dentro do saneamento básico
28/10/2011  Trata Brasil estuda projeto de educação para o saneamento
28/07/2011  Atenção às nossas águas

*Blog Cidadãos do Mundo - jornalista Sucena Shkrada Resk
 

Pesquisar no site

Blog

08/02/2019 12:42

Rompimentos de barragens de rejeitos minerais revelam cenário de insegurança no país

Por Sucena Shkrada Resk* Ausência e/ou ineficiência nas precaução e prevenção, manutenção, em monitoramento e investimento em tecnologias mais seguras e em fiscalização contínua na destinação e tratamento de rejeitos minerais. Essa série de potenciais causas tem demonstrado um verdadeiro campo...
25/01/2019 14:43

Um olhar mais atento para os caminhos da habitação popular/social

Por Sucena Shkrada Resk* A população cresce ano a ano e o déficit habitacional segue a mesma trajetória no Brasil e é superior a 7,7 milhões de moradias necessárias para suprir essa demanda por imóvel próprio. Os dados são baseados em informações da Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios do...
21/01/2019 14:10

Narrativa de agricultora familiar nos leva à valorização ecossistêmica e humanística

Por Sucena Shkrada Resk* Ouvir a narrativa de agricultores familiares sempre é algo revigorante e que nos leva à ligação afetiva à terra, à água, à fauna e flora. Estimula nossa recepção sensorial e dá sentido à máxima de que quanto mais simples, mais estamos sintonizados com o equilíbrio...
16/01/2019 14:48

Os oceanos apelam todos os dias: #plásticosnão

Por Sucena Shkrada Resk* A imagem é desconcertante e dramática. Olhamos de um lado e de outro e os oceanos têm mais plásticos do que peixes. O ano é 2050. Cena de filme de ficção? Longe disso. Este é um prognóstico mais próximo do real descrito em estudo da fundação da navegadora Ellen MacArthur e...
14/01/2019 11:21

Temas “Refugiados” e “Migrantes”: não existe geopolítica baseada em visões unilaterais

Por Sucena Shkrada Resk* Em um mundo em que a maioria das pessoas e “nações” aspiram pela manutenção da democracia e da paz mundial, as relações diplomáticas internacionais exigem como alicerce o constante diálogo e o princípio de que as decisões sejam o mais consistentes e equilibradas para a...
10/01/2019 16:03

O Quênia e seus exemplos inspiradores: da resiliência ao socioambientalismo

Por Sucena Shkrada Resk * Sim. Exemplos inspiradores vêm do leste do continente africano e especialmente de países como o Quênia, e não se restringem a resultados na tradicional corrida de São Silvestre por aqui e chegam à esfera socioambiental, além do fato de Nairobi ser a cidade-sede do Programa...
09/01/2019 14:09

O Princípio da Precaução tão urgente e ao mesmo tempo, tão esquecido

Por Sucena Shkrada Resk* Memória, ah, essa memória histórica, que dá sentido e é importante para começos e recomeços. Nesse recuperar do tempo, o Princípio 15 – da Precaução (precautio-onis, em latim), instituído da Conferência das Nações Unidas sobre o Meio Ambiente e Desenvolvimento (Rio 92), que...
29/11/2018 15:20

Conservação de Paranapiacaba e entorno frente a projetos de novos empreendimentos

Por Sucena Shkrada Resk* Empreendimentos que por sua natureza econômica causam passivos ambientais devem obrigatoriamente, por determinação legal, antes de serem licenciados, esclarecer da forma mais transparente possível todos os cenários possíveis do comprometimento relacionado à sua atuação, que...
28/11/2018 16:54

A miopia de gestão sobre as mitigações e adaptações às mudanças climáticas

Por Sucena Shkrada Resk* Às vésperas da Conferência das Partes da Convenção-Quadro das Nações Unidas sobre as Mudanças do Clima (COP 24), o Brasil desenha um quadro desestruturador das medidas quanto a mitigações e adaptações às mudanças climáticas. Diplomaticamente falando, a desistência da...
08/11/2018 15:43

Vivemos um hiato temporal brasileiro socioambiental

Por Sucena Shkrada Resk* A agenda socioambiental brasileira sofre, nas últimas décadas, de um anacronismo crescente, no qual o que muito do que está escrito nas legislações nacionais e, inclusive, em tratados internacionais ratificados pelo país, não se configura na prática da realidade diária....
08/10/2018 12:48

2018: a crônica ambiental dos 30 anos

Por Sucena Shkrada Resk  O ano de 2018 é simbólico por representar o aniversário de 30 anos de importantes acontecimentos na trajetória do ambientalismo brasileiro. Apesar de não ser totalmente infundado o velho ditado de que no Brasil temos memória curta, essas histórias ainda pulsam, pois...
26/08/2018 16:33

Refugiados: os diversos contextos das fronteiras humanitárias

Por Sucena Shkrada Resk* As relações humanas trafegam em linhas tênues que reúnem processos culturais centenários, questões socioeconômicas, religiosas e limites geográficos, que integram a geopolítica, que ora se fundem, e ora segregam. Historicamente é isto que vimos em diferentes partes do mundo...
14/08/2018 18:30

O mercúrio nas veias da Amazônia

Por Sucena Shkrada Resk* Quem dera que falar sobre “mercúrio” fosse um assunto somente de interesse da pauta astronômica? Voltando à realidade do planeta Terra, se trata dos impactos da contaminação pelo metal, altamente letal, um tema ainda subnotificado, que mexe em uma ferida aberta, em...
11/07/2018 18:00

Entrevista da semana - Defensor público fala sobre o desafio do combate ao uso de agrotóxicos em São Paulo e em todo o Brasil

Por Sucena Shkrada Resk O advogado Marcelo Carneiro Novaes, defensor público do Estado de São Paulo, que integra a coordenação do Fórum Paulista de Combate aos Impactos dos Agrotóxicos e Transgênicos, que começou a se reunir em novembro 2016, é o entrevistado desta semana do Blog Cidadãos do Mundo...
17/06/2018 14:35

Refugiados: uma situação que reflete o modelo de desenvolvimento de uma humanidade adoecida

Por Sucena Shkrada Resk Século XXI em andamento. O que, em princípio, seria um período a evocar um status ‘positivo’ de modernidade, revela um momento histórico em que lacunas cíclicas de humanização são refletidas na quantidade de refugiados pelo planeta, que segundo o Alto Comissariado das Nações...
14/05/2018 14:29

PANCs: um universo da segurança alimentar a explorar

Por Sucena Shkrada Resk  O tema da segurança alimentar é rico em multiplicidades de enfoques, sendo que um deles trata do reconhecimento da importância das Plantas Alimentícias Não Convencionais (PANCs). O termo foi criado pelos pesquisadores Valdely Kinupp e Harri Lorenzi, resultando no livro...
07/05/2018 14:08

O aumento de casos de malária e sua associação à pressão socioambiental sobre a Amazônia

Por Sucena Shkrada Resk Desmatamento, mudanças climáticas e consequentemente a facilitação para um aumento de vetores de doenças infectocontagiosas são o cenário perfeito, que está sendo construído, nos últimos anos, na Amazônia brasileira, onde um dos indícios desta pressão é a ascendência de...
20/04/2018 17:36

Século XXI: a cartografia da violência no campo

  Por Sucena Shkrada Resk   O mapeamento do processo de violência no campo revela um Brasil com janelas de oportunidades perdidas sob um modelo perverso, que tem no centro a disputa da terra. Os estados do Pará (21), Rondônia (17), Bahia (10), Mato Grosso (9), Amazonas (3), Minas...
04/04/2018 13:27

O simbolismo do adeus à Sudan, o último rinoceronte-branco do norte (macho) do planeta!

Por Sucena Shkrada Resk O ancião Sudan, no alto dos seus 45 anos e cerca de 2,3 mil quilos e 1,82m de altura, não venceu a batalha que travava contra uma infecção que atingiu sua pata direita traseira, no mês de março. O último exemplar macho de rinoceronte-branco do norte do planeta foi submetido...
03/04/2018 09:05

#Pulverizaçãoaérea: Sabemos realmente as externalidades negativas do ciclo do que comemos?

Por Sucena Shkrada Resk O quadro de vulnerabilidade a que somos expostos com a “insegurança” alimentar e ataque aos direitos humanos mais básicos é cada vez maior no Brasil. Inúmeros casos de sobrevoos de pulverizações aéreas de agrotóxicos são notificados pelo país, mas a maioria de nós, sequer...

© 2018 Todos os direitos reservados.

Blog Cidadãos do Mundo-jornalista Sucena Shkrada Resk