Resíduos sólidos e reciclagem: catadores reivindicam mais espaço participativo, por Sucena Shkrada Resk

08/08/2014 17:44

Quatro anos após a aprovação da Política Nacional de Resíduos Sólidos (PNRS), a reivindicação por uma relação mais inclusiva nas implementações das coletas seletivas e dos processos de triagem e reciclagem no país ainda é presente entre os catadores, segundo  Armando Octaviano Júnior, 42 anos, da Coopercata, de Mauá, e integrante do Movimento Nacional dos Catadores de Materiais Recicláveis (MNCR). Ele foi um dos palestrantes convidados, no segundo e último dia do Seminário Internacional de Resíduos Sólidos – Grande ABC, nesta quinta-feira (7), em Mauá (SP). “Ainda vivemos em uma sociedade preconceituosa e somos humilhados há mais de 70 anos”, disse.

Segundo o Diagnóstico sobre Catadores de Resíduos Sólidos, publicado pelo Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (IPEA), no ano passado, atualmente trabalham no Brasil, 400 mil catadores, e esse número sobe para 1,4 milhão, quando há a soma dos membros das famílias. A maior parcela dos catadores é formada por homens jovens, negros ou pardos, com baixa escolaridade e com renda média mensal de R$ 571,56 e 10%, de todo o contingente, são organizados em cooperativas. Neste universo, 4,5% do total destes trabalhadores estão abaixo da linha da pobreza e a situação mais vulnerável é observada no Nordeste.

Hoje a categoria recicla 504 toneladas/ano, mas o potencial de reciclagem é bem maior, de 14.487 ton/ano, de acordo com o levantamento. Por causa dessa defasagem são desperdiçados R$ 8 bilhões ao ano.

Parte desses dados reflete  que ainda há um longo caminho para o cumprimento da PNRS. A legislação estabelece que haja a integração dos catadores de materiais reutilizáveis e recicláveis nas ações que envolvam a responsabilidade compartilhada pelo ciclo de vida dos produtos, como também o incentivo à criação e ao desenvolvimento de cooperativas ou de outras formas de associação de catadores. Em outro ângulo, há metas para a eliminação e recuperação de lixões, associadas à inclusão social e à emancipação econômica de catadores. Neste quesito, o Brasil ainda está bem deficitário (leia aqui no blog, O Brasil dos lixões sobre o qual ninguém gosta de falar). Outra meta ainda distante do cumprimento é a da inserção das cooperativas na implementação da coleta seletiva nos municípios. Estima-se que a cobertura não chegue a 5%.

Na avaliação do catador Júnior, entre os maiores desafios enfrentados pela categoria atualmente, estão o da conquista da ampliação de acesso à qualificação profissional e de extinção da permanência ainda significativa da figura dos atravessadores. Projetos polêmicos do ponto de vista socioambiental e de geração de renda aos catadores, como os da instalação de incineradores na região do ABCDMRR, são discutidas atualmente pelo movimento com apoio de entidades socioambientais.

Segundo o cientista social e doutor em Sociologia Pedro Jacobi, docente do Programa de Pós-Graduação em Ciência Ambiental da Universidade de São Paulo (Procam/USP), que também compôs a mesa, as políticas de incineração não podem omitir a questão dos riscos ambientais e  à saúde. “Existe o direito fundamental de precaução”, alertou.

Júnior considera importante destacar ainda que até hoje há forte presença feminina no segmento, o que exige ações mais direcionadas do poder público e da própria sociedade. Na própria Coopercata, onde atua, dos 32 integrantes, 25 são do sexo feminino. No diagnóstico publicado pelo IPEA, as mulheres representam 31,1% do total de brasileiros que se declararam ao Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) catadores de resíduos. O estado que apresentou maior percentual foi o do Amazonas, com 40%.

O catador expôs que mais um ponto a ser amplamente debatido é da mobilização para o incentivo à autonomia dos catadores. “Queremos ampliar a nossa formação em economia solidária, o que já desenvolvemos na prática. Também precisamos que seja respeitado o modelo de autogestão das cooperativas e haja a desburocratização (para que consigam cumprir regras nos contratos de prestação de serviços)”, afirmou Júnior. O catador reforçou ainda a necessidade da manutenção da educação ambiental, tendo o catador como agente ativo neste processo, e que esta também tenha enfoque na conscientização dos cidadãos com relação à separação correta dos resíduos a partir do ambiente doméstico.

Jacobi lembrou que a PNRS trata da responsabilidade compartilhada “Hoje nenhum de nós sabe o que paga referente ao lixo no Imposto Predial e Territorial Urbano (IPTU) e não se sente responsável”, avaliou.

O  engenheiro civil e Mestre em Engenharia Hidráulica Sanitária, Mario Russo, que coordena o Instituto Politécnico de Viana de Castelo, em Portugal, trouxe informações ao debate, em escala mundial. Ele explicou que a exposição de catadores a materiais perigosos é mais um aspecto relevante a ser considerado. “Ainda há lixões e exposições a materiais perigosos, com características explosivas, oxidantes, inflamáveis, tóxicas e carcinogênicas, como também com componentes patológicos, que podem estar presentes em fezes de gatos e cães. E essa contaminação pode atingir, inclusive, quem vive nas proximidades destes resíduos".

Veja também outros artigos que escrevi sobre o tema resíduos sólidos, no blog:

07/08/2014 - Resíduos sólidos: Portugal acabou com os seus lixões e optou pelo modelo consorciado
06/08/2014 – Resíduos sólidos: os desafios da região do ABCDMRR
01/08/2014 - O Brasil dos lixões sobre o qual ninguém gosta de falar
09/01/2013 -#Reflexão: Ir além do morde e assopra nas políticas socioambientais
10/04/2012 - E a educomunicação ambiental nas políticas públicas brasileiras?
22/03/2012 - Resíduos sólidos: Projeto mapeia aterros sanitários necessários no país
25/11/2011 - Reflexão: Audiência pública nacional sobre o Plano de Resíduos Sólidos
28/10/2011 - Por dentro do saneamento básico
30/07/2011 - Estamira partiu e deixou seu legado
15/05/2011 - Nós e a responsabilidade compartilhada s/o consumo e destinação do lixo eletrônico
26/04/2011 - A “sociedade do lixo”: 60.868.080 toneladas só em 2010
08/01/2011 - Personagens do Brasil: vozes da Várzea do Amazonas
02/09/2010 - Adaptação tem de ultrapassar a retórica
15/07/2010 - Reflexões sobre resíduos sólidos
14/06/2009  - Quantas Estamiras há por este Brasil?

*Blog Cidadãos do Mundo - jornalista Sucena Shkrada Resk 

 

Pesquisar no site

Blog

29/11/2015 13:04

Crônicas de uma urbanóide na vida rural: superando os medos e mitos sobre uma caranguejeira

Por Sucena Shkrada Resk Já era noite e estava dentro de casa, no quarto, quando vi próximo ao guarda-roupa uma enorme aranha –caranguejeira. Até então, só tinha visto em alguns locais externos, em viagens, mas não tão pertinho, nesta experiência de quase um ano vivendo em uma cidade com perfil...
05/11/2015 03:55

PEC 215: a quem interessa sua aprovação?

Por Sucena Shkrada Resk Compreender as motivações da política partidária não é uma tarefa fácil para qualquer um de nós, cidadãos comuns, que não vivenciamos regularmente os bastidores.. Entretanto, alguns temas em pauta no Congresso chamam a atenção. E um deles é a recente aprovação feita por uma...
01/11/2015 14:23

Mudanças climáticas: a COP21 das utopias

Por Sucena Shkrada Resk O que seria de nós, seres humanos, sem a possibilidade de desenvolver o pensamento utópico? Hoje resolvi narrar o meu discurso com esse princípio sobre a condução do combate ao aceleramento das mudanças climáticas e do aquecimento global, em que o palco das discussões é a...
20/09/2015 22:15

Amazônia: um lamento dos sem-árvore

Por Sucena Shkrada Resk Onde estão os anus-pretos, que faziam as travessias aéreas sobre as estradas de terras e a vegetação?  E os casais de araras-vermelhas que passeavam sob o céu azul, seguindo a caminho da floresta com suas árvores e copas densas? Agora, nem flagrar um tatu está sendo...
30/08/2015 15:34

Rumo à COP21: o desmatamento na Amazônia continua a ser um desafio

  Por Sucena Shkrada Resk Dados recentes divulgados pelo Instituto do Homem e Meio Ambiente da Amazônia (Imazon) apontam que houve um aumento de 63% no desmatamento na Amazônia Legal, no período de agosto a julho (2014-2015), com 3.322 km2 comparativamente ao mesmo período entre 2013-2014, com...
19/08/2015 11:16

Sim, todos nós precisamos das abelhas...

Por Sucena Shkrada Resk Onde estão as abelhas, os principais polinizadores do planeta? Quantas vezes temos ouvido esta pergunta nos últimos anos se acentuando cada vez mais, desde os anos 90? O desaparecimento ocorre gradativamente por causa da intervenção humana, isso já é uma constatação. Mas o...
31/07/2015 12:48

Marcelo Munduruku: quando a natureza e o ser humano traduzem uma única essência

O Projeto Vozes dos Biomas – jornalista Sucena Shkrada Resk tem como terceiro entrevistado, Marcelo Munduruku, de Juara, MT, do bioma amazônico. Confira a entrevista que fiz no último dia 16, no...
19/07/2015 14:15

Extrativismo sustentável, dobradinha que inclui conservação e geração de renda

Por Sucena Shkrada Resk Autonomia e empoderamento. Dobradinha poderosa e indispensável. Quando nos deparamos com boas práticas, que envolvem a agricultura familiar, vale a pena compartilhar estas experiências. Lidar com a terra, além de sensibilidade tem muito de matemática. Quem só retira e não...
12/07/2015 12:57

Chapada dos Guimarães: uma aula prática de Cerrado

Texto e fotos: Sucena Shkrada Resk Para qualquer lado que se olhe, o Cerrado é um bioma que revela cenários diferenciados, no Centro-Oeste brasileiro. A região da Chapada dos Guimarães, a cerca de 60 km de Cuiabá, Mato Grosso, é um dos locais mais especiais desse pedaço do Brasil, também...
05/07/2015 13:49

Resíduos sólidos: prorrogar lixões revela um Brasil atrasado

Por Sucena Shkrada Resk A discussão sobre a gestão dos resíduos sólidos no Brasil revela a fragilidade que vivemos em nosso país. A Política Nacional (Lei  12305, de 2010), que veio com um arcabouço importante, foi perdendo força com o passar do tempo, em vários aspectos, por causa da...
21/06/2015 17:01

Marco da biodiversidade: muito além do papel

Por Sucena Shkrada Resk Os processos de conquista de direitos socioambientais no Brasil são árduos, porque por muitas vezes, ficam circunscritos a belas palavras dispostas no papel, que não se traduzem em regulamentação e prática.  O recente Marco da Biodiversidade brasileiro (Lei 13.123),...
23/04/2015 12:18

Parque Nacional da Serra da Capivara (PI): um patrimônio mundial a céu aberto

Texto e fotos: Sucena Shkrada Resk Um ano de maturação até conseguir conhecer o Parque Nacional da Serra da Capivara (PI), a Fundação Museu do Homem Americano (Fumdham) e a Cerâmica da Serra da Capivara, em novembro de 2014. Foi praticamente um período de gestação, que gerou alguns "filhos"...
04/04/2015 20:18

Um dia no “Velho Chico”

Crédito das fotos: Sucena Shkrada Resk Por Sucena Shkrada Resk “Descoberta e sensação de pertencimento”. Essas talvez sejam as palavras certas para definir o que me acompanhou há alguns meses, em uma viagem ao Nordeste, quando parti para a navegação fluvial no “Velho Chico”. Até hoje, essa...
18/02/2015 12:50

Ana das Carrancas, uma personagem ligada ao "Velho Chico"

Fotos: Sucena Shkrada Resk Por Sucena Shkrada Resk  A ‘dama de barro’. Assim era conhecida Ana das Carrancas, que se tornou uma personagem cultural reconhecida em Pernambuco e no Brasil, por seus trabalhos moldados no barro às margens do rio São Francisco, na região de Petrolina. A artista...
08/02/2015 12:01

Castanheira viva, um sinal da floresta em pé

crédito das fotos: Sucena Shkrada Resk   Por Sucena Shkrada Resk Mais que sombra, mais que frutos, a castanheira viva é símbolo da floresta em pé no bioma amazônico. Alta, soberana, se destaca na paisagem, mas depende de seus pares nativos de outras espécies para ficar vigorosa. Pode atingir...
26/01/2015 13:06

As perguntas encontram sentido nas coisas aparentemente miúdas

Por Sucena Shkrada ReskUm dia estava eu na atmosfera paulista da mata atlântica, vivendo um cotidiano entre São Caetano do Sul e São Paulo, e no outro já estava fincando os pés em Alta Floresta e depois, em Cotriguaçu, na Amazônia matogrossense. Um mero deslocamento geográfico e de bioma? Não,...
10/01/2015 15:18

Nivaldo, o artesão: uma história enraizada na Serra da Capivara (PI)

O oleiro e artesão Nivaldo Coelho de Oliveira é o segundo personagem entrevistados pelo Projeto Vozes dos Biomas - jornalista Sucena Shkrada Resk, na Serra da Capivara   Bioma Caatinga Entrevistado (2): artesão Nivaldo Coelho de Oliveira, 82 anos, da Cerâmica Serra da Capivara obs: auxiliou a...
08/01/2015 09:42

Vozes dos Biomas: início de um ideal jornalístico

Por Sucena Shkrada Resk  #Vozesdosbiomas - #Jornalismoambiental   Estou divulgando hoje uma iniciativa de jornalismo audiovisual socioambiental que estou gestando há quase dois anos: Projeto Vozes dos Biomas -  jornalista Sucena Shkrada Resk, e dei início neste mês. Como o...
03/01/2015 13:42

Mafalda, a COP20, o estado do mundo e do Brasil

Exposição "O Mundo segundo Mafalda", em cartaz gratuitamente na Praça das Artes, em São Paulo. (Crédito das fotos: Sucena Shkrada Resk) Por Sucena Shkrada Resk A eterna Mafalda completou meio século e continua sagaz como sempre. A personagem carismática criada pelo cartunista argentino Quino tem...
14/12/2014 22:00

Paranapiacaba: um manancial estratégico na Mata Atlântica

Em Parque Natural Municipal ficam nascentes do rio Grande, principal formador da represa Billings Por Sucena Shkrada Resk(texto e fotos) A água brota da terra, de forma quase imperceptível e continuamente. É preciso fixar os olhos para perceber esse delicado processo natural. Na superfície, mais...

© 2018 Todos os direitos reservados.

Blog Cidadãos do Mundo-jornalista Sucena Shkrada Resk