Refugiados: uma situação que reflete o modelo de desenvolvimento de uma humanidade adoecida

17/06/2018 14:35

Por Sucena Shkrada Resk

Século XXI em andamento. O que, em princípio, seria um período a evocar um status ‘positivo’ de modernidade, revela um momento histórico em que lacunas cíclicas de humanização são refletidas na quantidade de refugiados pelo planeta, que segundo o Alto Comissariado das Nações Unidas para Refugiados (ACNUR), ultrapassam 20 milhões de pessoas (refugiados e solicitantes de refúgio) e mais de 36,6 milhões de deslocados internos. A mola propulsora deste quadro desagregador continua sendo conflitos, guerras e o avanço de extremos climáticos. Reflexo do Antropoceno, que escancara as “limitações” de nós, seres humanos, no que se refere às relações entre nós e com o meio ambiente. Em 20 de junho, Dia Mundial dos Refugiados, se reforça nesta data simbólica, mais uma oportunidade de repensar a forma de sermos agentes ativos nesta mudança na engrenagem de vida no planeta.

A abertura das nações para receber estes cidadãos (ãs) que ultrapassam as fronteiras geopolíticas fica cada vez mais delicada, pois envolve configurações culturais, socioeconômicas e políticas. Aqui no Brasil, passamos por esta experiência no que tange, por exemplo, aos haitianos, sírios e venezuelanos, entre outros povos. Segundo o governo brasileiro, em 2017, havia no país 10.141 refugiados, provenientes de 80 países e mais de 30 mil pedidos a serem analisados pelo Comitê Nacional para os Refugiados (Conare). Estamos em 2018, e esse processo é ascendente.

Ao mesmo tempo, os imensos campi de refugiados pelo mundo são o retrato de um cenário, que tende a se agravar. Como não se impactar ao ver a situação em Dadaab, no Quênia, que abriga principalmente refugiados da guerra civil da Somália. São praticamente 500 mil pessoas. Por mais de uma vez, já foi anunciado que iria ser fechado. Ou então, observar o campo de Dollo Ado, na Etiópia, e Kakuma, também no Quênia e Jabalia, na Faixa de Gaza (Palestina). Sãos crianças, adultos e idosos, que se veem praticamente exilados da “vida”, em um processo de resiliência que é difícil mensurar.

Quando vimos a situação das populações de países insulares, com o aumento do nível do mar; ou em nações, nas quais a seca provoca um êxodo cada vez maior, percebemos que o problema é ainda mais complexo.

A existência de mecanismos jurídicos e legais nacionais e internacionais não é suficiente para chegar à cerne do problema. O arcabouço é formado pela Convenção sobre Refugiados, de 1951, e seu protocolo sequente em 1967, com adesão de 150 países signatários; como também, pela Declaração de Nova York para Refugiados e Migrantes, de 2016, que teve a participação de 193 estados-membros. Afinal, as raízes do problema são reflexo do modelo de desenvolvimento adotado. Portanto, se permanece com os mesmos pilares, é difícil haver resultados diferentes.

Nas propostas da Agenda dos Objetivos do Desenvolvimento Sustentável da Organização das Nações Unidas (ODS/ONU), até o ano de 2030, o parágrafo 4 propõe que “ninguém será deixado para trás e que objetivos e metas serão atendidos para todas as nações e povos e todos os segmentos da sociedade”.

A ACNUR destaca que no parágrafo 23, há a seguinte menção: “aqueles cujas necessidades estão refletidas na agenda incluem [...] pessoas refugiadas e deslocadas internas (para que se possa) tomar novas medidas e ações efetivas, de acordo com o direito internacional, a fim de remover obstáculos e restrições, fortalecer o apoio e atender às necessidades específicas das pessoas que vivem em áreas afetadas por emergências humanas complexas e em áreas afetadas pelo terrorismo”.

O que na prática, é possível fazer neste quebra-cabeças geopolítico requer princípios individuais e coletivos, que vão desde doações, trabalhos voluntários, e principalmente possibilitar a mudança de olhar sobre este tema... pois o mesmo não está distante como equivocadamente possamos pensar.

Caso observemos com mais atenção, os próprios processos internos migratórios brasileiros são um exemplo disso. Quando os direitos de quilombolas, povos indígenas são desrespeitados, por muitas vezes, há estes deslocamentos forçados. Quando sabemos que há 52 milhões de pessoas abaixo da linha da pobreza no Brasil, será que não é um indício mais do que emergente que nos faça pensar na mudança de paradigmas neste mundo, partindo do local para o global? Muitos se tornam deslocados internos, outros não têm a chance de sobreviver.

Veja também no Blog Cidadãos do Mundo – jornalista Sucena Shkrada Resk:

01/07/2014 – Uma relação humana mundial a ser repensada: número de refugiados aumenta
09/03/2014 - Uma Ucrânia remexida em suas raízes

16/02/2014 - Os seres humanos que roubam sonhos

21/09/2012 - Refugiados: o quanto compreendemos dessa realidade?

07/08/12 - Políticas fragmentadas e mudanças climáticas intensificam crise na África

10/03/12 - Refugiados climáticos: do alerta ao fato

09/11/2011 - Refletindo sobre o Estado do Futuro

07/08/2011 - O que se fala sobre vulnerabilidade climática (parte 1)

31/07/2011 -  Um diálogo com a Ecosofia

22/07/2011 - Alerta sobre o flagelo africano

28/06/2010  - A relação das APPs e as enchentes nordestinas

01/02/2010 -  Esp.FSM 2010 - Qual é a nossa conjuntura ambiental?,

10/12/2009 - Especial COP15 - Lembrem bem deste nome – Tuvalu

06/12/2009  - Copenhague vira o centro do planeta

29/11/2009 - O caminho da economia verde

13/09/2009 - Qual 'casa' podemos construir para nós?

18/05/2009 - Especial II FCS - 3 - Um jornalismo mais comprometido

10/12/2008 - DHs: começam pelo princípio de dar dignidade à vida

01/04/2008 - Parte 1 - No caminho da Política Nacional de Mudanças Climáticas

05/09/2007 - As fronteiras das zonas de conflito
*Blog Cidadãos do Mundo - jornalista Sucena Shkrada Resk

Pesquisar no site

Blog

30/04/2012 13:52

Rumo à Rio+20: Um olhar sobre Perito Moreno, por Sucena Shkrada Resk

#RumoàRioMais20 & MudançasClimáticas - Registrei essa imagem do Glacial Perito Moreno, no Parque Nacional Los Glaciares, na Patagônia Argentina, no último dia 17 de abril. O gigante de gelo dos Andes vem sofrendo transformações gradativas e grandes calotas começaram a se desprender do maciço, a...
16/04/2012 11:56

Breve recesso - período de férias, por Sucena Shkrada Resk

Pessoal, boa tarde. Hoje comecei o meu curto período de férias, que prossegue até o próximo dia 27 de abril. Já cheguei em Buenos Aires e daqui a pouco, sigo para El Calafate, para iniciar a aventura na Patagônia. Nesta fase, ficarei afastada das postagens para poder absorver melhor essas...
15/04/2012 21:37

Inhotim: arte e verde superam mineração no entorno, por Sucena Shkrada Resk

Em uma região na qual predomina um histórico de mineração no entorno, o Horto Florestal do Instituto Inhotim, em Brumadinho, a 60 km de Belo Horizonte, no mínimo, chama a atenção pelo efeito contrastante que causa para quem visita a unidade, que ocupa uma área de 100 ha. O espaço abriga uma das...
15/04/2012 00:00

A experiência da moeda social, por Sucena Shkrada Resk

Agora, me restam cinqüenta centavos de elo como lembrança. Vocês podem estar perguntando – “O que ela quer dizer com isso? – Esperem, já explico. É a moeda social que circulou durante o VII Fórum Brasileiro de Educação Ambiental, no mês passado, em Salvador, na Bahia. O público adquiria...
11/04/2012 09:14

Site da ONU pretende ser canal de diálogo com a sociedade sobre a Rio+20, por Sucena S.Resk

A Organização das Nações Unidas (ONU) lança oficialmente, no dia 16 de abril, (mas já pode ser consultado no ar) o site que terá versão também em português, além do inglês - https://www.riodialogues.org/login?destination=login - que segundo a instituição, pretende ser um canal de diálogo com a...
10/04/2012 18:01

Nota: May East conta que Senegal criou ministério das ecovilas, por Sucena Shkrada Resk

#Curiosidades_socioambientais - Uma das informações mais interessantes que ouvi, durante o VII Fórum Brasileiro de Educação Ambiental, em Salvador, em março, foi transmitida por May East, da Fundação Gaia e diretora-executiva da CIFAL Findhorn...Segundo ela, o Senegal criou o Ministério das...
10/04/2012 16:10

Nota: Educomunicadores criam associação, por Sucena Shkrada Resk

#Educomunicação - A Associação Brasileira de Pesquisadores e Profissionais em Educomunicação (ABPEducom) foi criada em fevereiro deste ano e está em fase de estruturação. A iniciativa surgiu, durante o XXXIV Congresso Nacional da Intercom, Recife, PE, em setembro de 2011. O site da entidade é:...
10/04/2012 10:14

E a educomunicação ambiental nas políticas públicas brasileiras?, por Sucena S.Resk

Hoje o que se observa é a dificuldade de se conseguir obter informações sistematizadas e contínuas sobre o campo da educomunicação no país. Durante o Encontro Paralelo de Educomunicação, no dia 28 de março, em Salvador, que integrou o VII Fórum Brasileiro de Educação Ambiental, Renata Maranhão,...
08/04/2012 22:19

Educomunicação: uma questão de estímulo, por Sucena Shkrada Resk

Olhos ávidos, mentes ativas e produções educomunicativas a todo vapor. Essa combinação pôde ser observada, durante a cobertura feita por cerca de 30 alunas e alunos de oito escolas públicas de Salvador, durante o VII Fórum Brasileiro de Educação Ambiental, entre 28 e 31 de março deste ano. Esses...
08/04/2012 13:58

Esp.Educom 2012:Ismar Soares e a educomunicação na academia e fora de seus muros, por Sucena S.Resk

O professor Ismar de Oliveira Soares, mestre e doutor em Ciências da Comunicação, durante bate-papo com o Blog Cidadãos do Mundo, fala sobre as recém-criadas licenciatura em educomunicação e especialização na Universidade de São Paulo (USP), das quais é coordenador, e do panorama da formação na...
06/04/2012 16:08

Especial Educom 2012: Grácia Lopes Lima fala dos objetivos do Cala-Boca Já Morreu,por Sucena S.Resk

Durante o Encontro Paralelo de Educomunicação, no VII Fórum Brasileiro de Educação Ambiental, no último dia 28 de março, Grácia Lopes Lima, doutora em Educação e mestre em Ciências da Comunicação, concedeu entrevista ao Blog Cidadãos do Mundo, momento em que falou de seu olhar sobre o processo...
26/03/2012 07:34

Encontro de Educomunicação no VII Fórum de EA, por Sucena Shkrada Resk

Desde 2008, venho me familiarizando com o universo da educomunicação socioambiental, quando cobri profissionalmente o VI Simpósio Brasileiro de Educomunicação, no Sesc Vila Mariana, e comecei a pesquisar e levar esse aprendizado à construção de artigos, entrevistas e matérias e aos alunos em sala...
22/03/2012 22:12

Nota: EIMA8 lança informe rumo à Rio+20, por Sucena Shkrada Resk

No último dia 15, ocorreu o lançamento do Informe Eima8, do Encontro Iberoamericano sobre Desenvolvimento Sustentável, realizado pela Fundación CONAMA e parceiros, em outubro passado, em São Paulo. A íntegra do documento, que discute ações e desafios rumo à RioMais20, nos eixos da economia verde,...
22/03/2012 21:42

Campanha A Água e a Segurança Alimentar, por Sucena Shkrada Resk

Hoje, data em que se comemora o Dia Mundial da Água 2012, uma das inúmeras iniciativas pelo mundo, é a Campanha "A Água e a Segurança Alimentar", promovida pela Organização das Nações Unidas para Agricultura e Alimentação (FAO). O objetivo é incentivar a redução do consumo, o uso racional e...
22/03/2012 21:25

Nota: Amazônia no Google Street View, por Sucena Shkrada Resk

Agora, é possível ver alguns cenários da Amazônia, em boa resolução, na plataforma Google Street View (com visão de 360 graus). A região do rio Negro é um dos destaques no acervo de imagens...Esse projeto foi realizado em parceria com a Fundação Amazonas Sustentável (FAS) e com o Centro Estadual de...
22/03/2012 21:03

Resíduos sólidos: Projeto mapeia aterros sanitários necessários no país, por Sucena S. Resk

A Associação Brasileira de Resíduos Sólidos e Limpeza Pública (ABLP) lançou um projeto técnico, nesta semana, que prevê a implantação no país, de 256 aterros sanitários de grande porte e 192 de pequeno porte, totalizando 448 aterros, a um custo total de cerca de R$ 2 bilhões. A iniciativa visa a...
22/03/2012 20:20

Sustentabilidade: Gro Brundtland no Brasil, por Sucena Shkrada Resk

Gro Brundtland está na Amazônia e participou de entrevista coletiva no 3º Fórum Mundial de Sustentabilidade, que acontece em Manaus, promovido pelo LIDE – Grupo de Líderes Empresariais. A ex-ministra norueguesa, que coordenou o relatório Nosso Futuro Comum , importante documento que começou a...
16/03/2012 21:12

Aziz Ab`Saber: uma mente brilhante, por Sucena Shkrada Resk

Fiquei contente em encontrar em meu arquivo de imagens, a foto que tirei do professor Aziz Ab`Saber, em 30 de abril do ano passado, quando fui conversar com ele, após o espetáculo de Ariano Suassuna, no Sesc Vila Mariana, em São Paulo. Sentado na primeira fileira, com a voz mansa e demonstrando a...
13/03/2012 11:39

#RioMais20: Reflexão: Como entender o jogo do tabuleiro?, por Sucena Shkrada Resk

Como que a sociedade civil não-organizada pode entender o "jogo de tabuleiro" da Conferência das Nações Unidas sobre Desenvolvimento Sustentável (#RioMais20) e da #CúpuladosPovos na Rio+20 por Justiça Social e Ambiental? Não há receita de bolo para isso, mas é necessário que compreendendamos quais...
13/03/2012 08:16

Nota: expectativas oficiais sobre a Rio+20, por Sucena Shkrada Resk

#Rumo_à_Rio+20 - A agenda da reunião de negociações dos países continua...(19 a 27/03 - 23/4 a 04/05 - 13/06 a 15/06), antes da rodada oficial. Segundo Sha Zukang, secretário-Geral da Conferência, a expectativa é de que governos, empresas e outras partes interessadas registrem mais de 1.000...

© 2020 Todos os direitos reservados.

Blog Cidadãos do Mundo-jornalista Sucena Shkrada Resk