#Recursoshídricos: o pedido de socorro ao ecossistema

23/03/2018 10:29

Por Sucena Shkrada Resk

O Informe Mundial das Nações Unidas sobre o Desenvolvimento dos Recursos Hídricos 2018, lançado nesta semana, tem como mote “as soluções baseadas na natureza” (SbN) para a gestão das águas, um conhecimento milenar mas que conceitualmente tem sido desenvolvido desde 2002. Esta constatação não é por acaso, no período do Antropoceno, em que “predar” ainda ganha rounds diante do “conservar”. Então, a que e a quem apelar? Ao próprio ecossistema, que em sua infinita sabedoria no conceito de gaia, em sua organicidade viva, traz processos regenerativos. Entretanto, para que o processo ocorra, a atitude proativa do ser humano continua crucial. Essa é a parte que nos cabe como parte constitutiva do meio ambiente e como sujeitos políticos.

As propostas colocadas à mesa, no informe da ONU - Água, são diversas e muitas já conhecidas em diferentes documentos anteriores. Entre as recomendações, que estão num bojo da infraestrutura verde, estão o desenvolvimento prático da ecohidrologia (diálogo permanente de adoções respeitando a hidrologia + biota), de restauração e engenharia ecológica e de restauração de paisagem florestal. Também são recomendadas a redução de riscos de desastres baseada em ecossistemas, serviços ecossistêmicos baseados no contexto das mudanças climáticas, tratamento de águas residuais, a adoção da chamada economia circular (que preconiza o mínimo de desperdício) e da agricultura de conservação, que é caracterizada pelo mínimo de perturbação no solo e a prática de rotação de culturas. Para alavancar essas ações, são sugeridas práticas como a de Pagamentos por Serviços Ambientais (PSA) e a criação de fundos para a conservação da água, entre outros.

Não podemos negar que vivemos um cenário perturbador. A água é pivô de conflitos internacionais em ascendência. Há pelo menos 260 bacias fluviais em quase 150 fronteiras internacionais, o que esquenta uma atmosfera de construção de guerras. Quando analisamos que 30% da superfície terrestre é coberta por vegetação/florestas, mas que 65% desta área estão degradadas (dados de 2010), os ingredientes para esta situação de instabilidade aumentam. As áreas úmidas, rios e lagos cobrem somente 2,6%. As ameaças para a manutenção do equilíbrio ecossistêmico, neste contexto, são de toda ordem: erosão, quanto a nutrientes, salinização e sodificação, perda de biodiversidade, contaminação, acidificação e compactação, entre outras.

Hoje mais de 2 bilhões de pessoas não têm acesso à água potável e mais do dobro não conta com acesso aos serviços de saneamento seguro em uma sociedade mundial de 7,7 bilhões de cidadãos, destaca o documento. Com o rápido crescimento populacional até o ano de 2050, poderemos chegar a 10,2 bilhões de indivíduos, com dois terços vivendo em cidades. Quantitativamente o maior número de cidadãos será nos continentes africanos e asiáticos. Como suprir esta necessidade, exercitando o mesmo modelo de desenvolvimento vigente, que é discriminatório?

O descompasso é crescente. Nos últimos 100 anos, o uso global da água foi multiplicado por seis e continua crescendo a uma taxa de 1% ao ano. O quebra-cabeças está nos usos agrícola, industrial e doméstico, que estão comprometendo tanto as águas subterrâneas como as superficiais. Quando vimos no recorte geopolítico quais são os maiores consumidores hoje dos recursos subterrâneos, percebemos como o problema é de uma complexidade considerável. São Índia, EUA, China, Irã e Paquistão, que representam 67% das extrações totais mundiais e a utilização deste recurso no planeta tende a aumentar e chegar na casa de mais 39% até 2050. Atualmente um terço desses ecossistemas está sob perigo. Já a escassez de águas superficiais poderá atingir 5,7 bilhões de cidadãos, neste mesmo período.

Segundo o informe, estima-se que mundialmente 80% das águas residuais industriais e municipais são liberadas ao meio ambiente sem nenhum tipo de tratamento prévio. É preciso frisar – 80%. Não é difícil imaginar o que isso significa no dia a dia das atuais e futuras gerações. Sede, fome, doenças e morte. Esta equação não faz parte de um roteiro de ficção científica e se olharmos com maior interesse, já detectamos este quadro em todos os continentes, incluindo o Brasil e países dos blocos desenvolvidos, como no continente europeu.

Na Europa, por exemplo, já observam o excesso de nitrato nas águas, acima do recomendado pela Organização Mundial da Saúde (OMS), e do fósforo. Outra preocupação é a presença de herbicidas e fungicidas que são carreados aos corpos d`água. Para lembrar – o Brasil continua a ser o maior consumidor de agrotóxicos no mundo. O que dizer de nossas águas?

O aceleramento das mudanças climáticas começa a ocasionar grandes processos de secas e de inundações. A desertificação já atinge 1,8 bi de pessoas, e está relacionada à categoria mais importante que causa mortalidade e impacto socioeconômico. As inundações têm aumentado consideravelmente no Chile, na China, no Oriente Médio, na África do Norte e na Índia. Desde o ano de 1992 tem sido feito o registro de que inundações, secas e tormentas têm atingido 4,2 bilhões de pessoas e os danos estão na casa dos US$ 1,3 bi, sendo que 63% são relacionados às águas (dados até 2012).

É preciso respirar, para ganhar fôlego e refletir se conseguiremos atingir as metas dos Objetivos do Desenvolvimento Sustentável (ODS). Uma delas, que é a 6,6, diz – “proteger e restaurar ecossistemas aquáticos, incluindo montanhas, bosques, zonas úmidas, rios, aquíferos e lagos até 2020, que está dentro da proposta maior de garantir a disponibilidade e gestão sustentável da água e saneamento para todos. Será?

Veja outros artigos no Blog Cidadãos do Mundo – jornalista Sucena Shkrada Resk:
19/03/2018 – Março de 2018: seca e estiagem marcam a realidade brasileira, na semana dos fóruns das águas
29/01/2018 - #Saneamentoambiental: Tamanduateí, um rio metropolitano em agonia
26/01/2018 - #Saneamentoambiental - 2018, lixões e aterros controlados: uma realidade ainda gritante no Brasil 
19/01/2018 - #Saúdeambiental: O que tirar de proveito no Brasil do exemplo da mobilização pela recuperação da Bacia do Tejo, em Portugal?
17/01/2018 - #Saúdeambiental - Até quando políticos não priorizarão solução para esgoto em agenda pública? 
28/08/2016 – Savanização da Amazônia a olhos nus
23/02/2016 - Esgotamento sanitário mais uma vez relegado a segundo plano no Brasil 
04/04/2015 – Um dia no “Velho Chico”
O “Velho Chico” tem sede  
14/11/2014 – Crise hídrica estimula protagonismo da sociedade
26/09/2014 - Aristides Almeida Rocha: um olhar atento ao saneamento ambiental
18/08/2014 - Qualidade das águas em SP (Como entender a gestão das águas - Parte 2)
15/08/2014 - Como entender a gestão das águas no estado de SP?
14/10/2013 - Água: um bem depreciado na sociedade do desperdício
22/03/2013 - Água "pura, quero ver-te...
14/01/2013 – A desertificação e o consumo insconsciente
24/08/2012 - Coleta e tratamento de esgoto: como será quando chegarmos a 2050?
07/06/2012 – Rumo à Rio Mais 20: o valor oculto da água
03/05/2012 – Rumo à Rio Mais 20: seca, fome, morte e draft zero
Entre outras...

*Blog Cidadãos do Mundo – jornalista Sucena Shkrada Resk

Pesquisar no site

Blog

26/05/2012 00:29

Arte se inspira nas inscrições rupestres da Serra da Capivara, por Sucena Shkrada Resk

#Detalhes_do_cotidiano - Hoje eu trouxe um pouquinho do Piauí para casa. A frase parece estranha, mas é verdade rs. Fui a um shopping em SP, o que num primeiro momento parece uma ação tipicamente consumista, mas que teve um toque diferenciado para mim. Eu me deparei com uma mostra de trabalhos...
23/05/2012 17:59

Riomais20 - Como tratará da realidade da África Subsaariana?, por Sucena Shkrada Resk

Quando nos voltamos, em especial, para a África Subsaariana, a questão é muito clara - Mais de um em quatro dos 856 milhões de habitantes estão subnutridos e dois terços dessa população vivem da terra. Isso ocorre mesmo com avanços "econômicos" registrados em alguns países do continente. Como essa...
23/05/2012 10:57

Nota: Saneamento está interligado a outras infraestruturas, por Sucena Shkrada Resk

A pesquisa “A percepção do brasileiro quanto ao saneamento básico e a responsabilidade do poder público” foi divulgada ontem, pelo Trata Brasil - IBOPE. Ao todo, foram realizadas 1.008 entrevistas em 26 grandes cidades do país, com população acima de 300 mil habitantes, e em todas as regiões. Ao...
22/05/2012 19:56

Nota: #RumoàRioMais20: Obra trata da resiliência & sustentabilidade, por Sucena Shkrada Resk

O Relatório "Povos Resilientes - Planeta Resiliente: Um futuro digno de Escolha" (https://www.onu.org.br/docs/gsp-resumo.pdf ), lançado pelo Painel de Alto Nível do Secretário Geral das Nações Unidas sobre Sustentabilidade Global, apresenta um total de 56 itens. Entre as propostas, está a criação...
22/05/2012 19:22

Rumo à Rio+20:Oceano é tema de livro no Dia Internacional da Biodiversidade, por Sucena Shkrada Resk

Hoje (22), em comemoração ao Dia Internacional da Biodiversidade, foi lançado o livro "One Ocean Many Worlds of Life" (Um oceano: muitas palavras, muita vida), pela Organização das Nações Unidas (ONU). A versão digital (em inglês), com 80 páginas, está publicada no site:...
20/05/2012 19:09

RumoàRioMais20 - Game simula ambiente real de decisões políticas, por Sucena Shkrada Resk

Foi lançado, nesta semana, sob encomenda do Programa das Nações Unidas para o Meio Ambiente (Pnuma), o "Game Change Rio" na plataforma do facebook (com versão em português), que tem como mote, os desafios da "economia verde" e da escolha de políticas para a sustentabilidade, como se o participante...
07/05/2012 11:54

Comunicação: do cordel à tecnologia, por Sucena Shkrada Resk

O acesso à comunicação na contemporaneidade não pode ser definido somente por plataformas tecnológicas, como se fosse a única solução para tudo. Quando restringimos a uma alternativa, caímos na armadilha da verticalização. O princípio é o poder de escolha aos diversos tipos de mídias, desde o...
07/05/2012 09:30

Liberdade de expressão: o princípio da horizontalidade, por Sucena Shkrada Resk

Liberdade de expressão. Um termo que exige aprofundamento e que, cotidianamente, é pasteurizado, em definições genéricas, como slogan de campanhas. Refleti, nesta semana, sobre essa questão, durante e pós o Seminário Desafios da Liberdade de Expressão, promovido pelo Fórum Nacional pela...
03/05/2012 13:45

Rumo à RioMais20: seca, fome, morte e draft zero, por Sucena Shkrada Resk

#RumoàRioMais20 O título da notícia, no último dia 2, é o seguinte: "Um milhão de crianças correm risco de morrer de desnutrição no Sahel, alerta UNICEF", no site da Organização das Nações Unidas (ONU). Nas entrelinhas, está descrita mais essa informação: Existem atualmente 15 milhões de pessoas...
30/04/2012 17:20

Patagônia: múltiplas experiências cotidianas, por Sucena Shkrada Resk

Durante o período de férias na Patagônia Argentina, entre os dias 16 e 27 de abril, exercitei experiências cotidianas "simples", que tiveram como principal contribuição, o significado dos valores e das mensagens socioambientais implícitas nas mesmas. Eu me deixei levar por essa atmosfera para...
30/04/2012 13:52

Rumo à Rio+20: Um olhar sobre Perito Moreno, por Sucena Shkrada Resk

#RumoàRioMais20 & MudançasClimáticas - Registrei essa imagem do Glacial Perito Moreno, no Parque Nacional Los Glaciares, na Patagônia Argentina, no último dia 17 de abril. O gigante de gelo dos Andes vem sofrendo transformações gradativas e grandes calotas começaram a se desprender do maciço, a...
16/04/2012 11:56

Breve recesso - período de férias, por Sucena Shkrada Resk

Pessoal, boa tarde. Hoje comecei o meu curto período de férias, que prossegue até o próximo dia 27 de abril. Já cheguei em Buenos Aires e daqui a pouco, sigo para El Calafate, para iniciar a aventura na Patagônia. Nesta fase, ficarei afastada das postagens para poder absorver melhor essas...
15/04/2012 21:37

Inhotim: arte e verde superam mineração no entorno, por Sucena Shkrada Resk

Em uma região na qual predomina um histórico de mineração no entorno, o Horto Florestal do Instituto Inhotim, em Brumadinho, a 60 km de Belo Horizonte, no mínimo, chama a atenção pelo efeito contrastante que causa para quem visita a unidade, que ocupa uma área de 100 ha. O espaço abriga uma das...
15/04/2012 00:00

A experiência da moeda social, por Sucena Shkrada Resk

Agora, me restam cinqüenta centavos de elo como lembrança. Vocês podem estar perguntando – “O que ela quer dizer com isso? – Esperem, já explico. É a moeda social que circulou durante o VII Fórum Brasileiro de Educação Ambiental, no mês passado, em Salvador, na Bahia. O público adquiria...
11/04/2012 09:14

Site da ONU pretende ser canal de diálogo com a sociedade sobre a Rio+20, por Sucena S.Resk

A Organização das Nações Unidas (ONU) lança oficialmente, no dia 16 de abril, (mas já pode ser consultado no ar) o site que terá versão também em português, além do inglês - https://www.riodialogues.org/login?destination=login - que segundo a instituição, pretende ser um canal de diálogo com a...
10/04/2012 18:01

Nota: May East conta que Senegal criou ministério das ecovilas, por Sucena Shkrada Resk

#Curiosidades_socioambientais - Uma das informações mais interessantes que ouvi, durante o VII Fórum Brasileiro de Educação Ambiental, em Salvador, em março, foi transmitida por May East, da Fundação Gaia e diretora-executiva da CIFAL Findhorn...Segundo ela, o Senegal criou o Ministério das...
10/04/2012 16:10

Nota: Educomunicadores criam associação, por Sucena Shkrada Resk

#Educomunicação - A Associação Brasileira de Pesquisadores e Profissionais em Educomunicação (ABPEducom) foi criada em fevereiro deste ano e está em fase de estruturação. A iniciativa surgiu, durante o XXXIV Congresso Nacional da Intercom, Recife, PE, em setembro de 2011. O site da entidade é:...
10/04/2012 10:14

E a educomunicação ambiental nas políticas públicas brasileiras?, por Sucena S.Resk

Hoje o que se observa é a dificuldade de se conseguir obter informações sistematizadas e contínuas sobre o campo da educomunicação no país. Durante o Encontro Paralelo de Educomunicação, no dia 28 de março, em Salvador, que integrou o VII Fórum Brasileiro de Educação Ambiental, Renata Maranhão,...
08/04/2012 22:19

Educomunicação: uma questão de estímulo, por Sucena Shkrada Resk

Olhos ávidos, mentes ativas e produções educomunicativas a todo vapor. Essa combinação pôde ser observada, durante a cobertura feita por cerca de 30 alunas e alunos de oito escolas públicas de Salvador, durante o VII Fórum Brasileiro de Educação Ambiental, entre 28 e 31 de março deste ano. Esses...
08/04/2012 13:58

Esp.Educom 2012:Ismar Soares e a educomunicação na academia e fora de seus muros, por Sucena S.Resk

O professor Ismar de Oliveira Soares, mestre e doutor em Ciências da Comunicação, durante bate-papo com o Blog Cidadãos do Mundo, fala sobre as recém-criadas licenciatura em educomunicação e especialização na Universidade de São Paulo (USP), das quais é coordenador, e do panorama da formação na...

© 2018 Todos os direitos reservados.

Blog Cidadãos do Mundo-jornalista Sucena Shkrada Resk