Podcast 6 – Blog Cidadãos do Mundo: Assustador é não ouvir mais os zumbidos das abelhas

23/05/2019 13:15

Por Sucena Shkrada Resk*

Ouvir os zumbidos das abelhas para muitos pode ser algo assustador, mas ao contrário do que você possa pensar, mais assustador é justamente não ouvir esses zumbidos. A resposta é simples: esses agentes da natureza responsáveis pela maior parte da polinização no planeta estão sendo literalmente exterminados. Por consequência, foi colocada em risco a conservação da biodiversidade e da nossa segurança alimentar. Este é o presente para o futuro que queremos? Vale a pena a reflexão, não é? Este é o tema desse sexto podcast do Blog Cidadãos do Mundo - jornalista Sucena Shkrada Resk (ouça aqui), também no formato para leitura.

Segundo alerta global feito pela Organização das Nações Unidas (ONU), a combinação de pesticidas, mudança no uso do solo e monocultura extensiva são as principais ameaças na atualidade à manutenção das cerca de 30 mil espécies de abelhas polinizadoras no planeta. Mais um dado a ser gravado: 75% dos cultivos para nossa alimentação dependem delas, de acordo com a FAO, braço para alimentação e agricultura da ONU. Não podemos esquecer que esse agente fundamental de serviços ecossistêmicos também produz o mel e é inspiração até para a arquitetura, por sua habilidade na construção das colmeias. Essas informações foram suficientes para te deixar sensibilizado? Se não foram, vamos lá!

Exemplos sucessivos têm sido noticiados, há anos, no Brasil e em diversos países do mundo, como EUA e na União Europeia. Entre os mais recentes por aqui está uma série de casos que foram apurados pela Agência Pública de Notícias e pela Repórter Brasil. De dezembro do ano passado a fevereiro de 2019, foi registrada a morte massiva de mais de 500 milhões de abelhas, sendo 400 milhões só no Rio Grande do Sul e as demais nos estados do Mato Grosso do Sul, de Santa Catarina e de São Paulo.

As fontes primárias sobre estas ocorrências são diversas: associações de apicultores, pesquisadores em universidades e secretarias de agricultura, entre outras. E os casos não param por aí. Também há registros históricos no Ceará, no Distrito Federal, em Goiás, em Mato Grosso, em Minas Gerais, no Paraná e no Rio de Janeiro. E olhe, que aqui no Brasil, temos a predominância somente de seis espécies nativas.

Responsabilidades compartilhadas

Apesar de pequenos avanços isolados por iniciativa da gestão pública no país, por meio de legislações, a pulverização aérea ainda é o principal meio que acelera este extermínio. Por isso, além de ações, como do estado do Ceará e  do Ministério Público em todo país, o ideal seria que a maior parte dos gestores públicos e legisladores tomassem as iniciativas da proibição, por meio da conscientização, consulta e pesquisa a relatos vivenciais e técnicos.

Pesquisas científicas esclarecem que entre os componentes de pesticidas e fungicidas, o mais mortal para as abelhas no mundo, têm sido os neonicotinoides, derivados da nicotina (já proibidos pela União Europeia, em maio de 2018) e há sinalização para o comprometimento provocado pelo Fipronil, também proibido na Europa.  

Este colapso acontece ao mesmo tempo em que o Brasil amplia a liberação de agrotóxicos. A autorização é pela Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) em consonância com o Ministério da Agricultura e o Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e Recursos Renováveis (Ibama). Só neste ano, 169 até a terceira semana de maio. No ano passado, o total em 12 meses foi de 450.

Estudos de caso

O vídeo-reportagem “Medo da Primavera – uma hecatombe em andamento”, que trata do caso no município de Mata, no Rio Grande do Sul, tem quase vinte minutos, e é uma amostra que contém relatos que nos fazem compreender um pouco sobre a dinâmica do que está ocorrendo. Uma frase de um personagem ecoa – “A abelha sumindo...nós somos os próximos”. No último dia 22 de maio, movimentos e associações, além de pesquisadores e cientistas do estado entraram com uma representação, no Ministério Público Federal (MPF), pedindo a proibição do uso de agrotóxico relacionado à mortalidade em massa das abelhas nesse município.

Além dos agrotóxicos, as mudanças climáticas também estão pressionando a existência das abelhas. Pesquisa feita por cientistas da Universidade Estadual da Flórida e colaboradores, publicada na Ecology Letters, em 2017, constata que a alteração do clima afeta a disponibilidade de flores e alimentos para as próprias abelhas. Foram estudadas espécies locais. O grupo também reforçou o comprometimento provocado pelos neonicotinoides. Outro estudo recente é da Northwestern University e do Chicago Botanic Garden. Houve a simulação de um clima mais quente, no qual 35% das abelhas morreram no primeiro ano e 70%, no segundo ano. No Brasil, a Associação Brasileira de Estudos das Abelhas é mais uma fonte interessante para consulta sobre o tema.

Liberações de agrotóxicos

Existe mais um lado da análise, com relação à saúde humana, que é tão importante quanto ao tocante às abelhas. De acordo com o Relatório Nacional de Vigilância em Saúde de Populações Expostas a Agrotóxicos 2018, do Ministério da Saúde, a maior incidência de notificação de intoxicações por agrotóxicos no Brasil foi registrada em 2014, no Sistema de Informações de Agravos de Notificação (Sinan): 6,26 casos para cada 100 mil habitantes. Entre 2007 e 2015, foram notificados (oficialmente) 84.206 casos. Imagine quantos também estão subnotificados.

Meio copo cheio

Ao mesmo tempo que há este alerta, bons exemplos também existem no planeta, que servem de inspiração para reverter este colapso da relação humana com o meio ambiente. Uma delas tem a participação direta da própria sociedade e vem da Grã-Bretanha. O Conselho Municipal de Brent, em Londres, decidiu plantar 11 km de flores silvestres em espaços verdes para atrair as abelhas.  Que tal seria seguir esses passos por aqui?

*Sucena Shkrada Resk - jornalista, formada há 27 anos, pela PUC-SP, com especializações lato sensu em Meio Ambiente e Sociedade e em Política Internacional, pela FESPSP, e autora do Blog Cidadãos do Mundo – jornalista Sucena Shkrada Resk (https://www.cidadaosdomundo.webnode.com), desde 2007, voltado às áreas de cidadania, socioambientalismo e sustentabilidade.

Veja também no Blog Cidadãos do Mundo – jornalista Sucena Shkrada Resk:
21/01/2019 – Narrativa de agricultura familiar nos leva à valorização ecossistêmica e humanística
11/07/2018 – Entrevista da semana: Defensor público fala sobre o desafio do combate do uso dos agrotóxicos em São Paulo e em todo o Brasil
03/04/2018 – Pulverização aérea: sabemos realmente as externalidades negativas do ciclo do que comemos?

24/11/2017 – Médica sanitarista fala sobre o universo da saúde ambiental, com destaque sobre os impactos dos agrotóxicos
24/04/2016 – Agrotóxicos – parte 2: mais um projeto polêmico na Câmara
Agrotóxicos-transgênicos: um rolo compressor está sendo passado sobre o direito do consumidor
19/08/2015 - Sim, nós precisamos das abelhas
16/06/2013 – Hortas urbanas, um exercício de desprendimento
12/12/2012 – Até quando vamos silenciar as primaveras?
08/11/2011 - Os eixos da economia sustentável sob o olhar de Ladislau Dowbor
28/10/2011 - Reflexões sobre segurança alimentar & meio ambiente
14/07/2010 - Uma realidade sem agrotóxicos é possível
29/06/2010 - O que comemos?
01/02/2010 - Esp.FSM 2010 - Qual é a nossa conjuntura ambiental?
 

Pesquisar no site

Blog

29/03/2013 15:12

Reflexão: Na pulsação da Pachamama “andina”, por Sucena Shkrada Resk

“Pachamama”. Palavra vigorosa forjada na América “andina”, por meio da sabedoria tradicional dos povos indígenas e campesinos, traz um simbolismo importante de pertencimento e respeito à  “Madre Tierra” ou à “Mãe Terra”. Essa metáfora materna e feminina nos leva à ideia da fecundidade,...
26/03/2013 17:19

Um olhar sobre a Venezuela megadiversa, por Sucena Shkrada Resk

Ampliar a leitura sobre países vizinhos ao Brasil na América do Sul, é um exercício de aprendizado interessante. No caso da Venezuela, conhecida mundialmente pela figura de seu ex-líder Hugo Chávez, que faleceu recentemente, e por ser uma potência petrolífera mundial e extrativista de...
22/03/2013 21:53

Água “pura”...quero ver-te, por Sucena Shkrada Resk

Fonte de imagem: FAO Olho para o céu e sei que lá estão os “Rios Voadores”. Ao ler a explicação de Gérard e Margi Moss sobre o projeto de mesmo nome (https://www.riosvoadores.com.br/o-projeto/rios-voadores) penso o quanto do intangível há no tangível, quando se trata do tema água, que já é...
19/03/2013 17:13

Costa Rica: exemplo de cultura de paz e socioambiental, por Sucena Shkrada Resk

  Geralmente o que nos atrai na hora da escolha de um roteiro turístico são as belezas naturais e as características culturais do destino. Mas o meu olhar para a América Central me leva a querer conhecer a Costa Rica, também por outra peculiaridade.  O que chama a atenção nessa nação de...
18/03/2013 16:38

A métrica da felicidade na agenda “sustentável”, por Sucena Shkrada Resk

Quantas vezes observamos a menção da palavra “sustentabilidade”, como um mantra? Inúmeras, não é? E cada uma soa como se fosse um álibi ou a saída estratégica para tudo que dá errado no antagônico  regime capitalista em que vivemos. Mas ao nos aprofundarmos em sua gênese e propósito,...
08/03/2013 18:26

Um sentimento chamado saudade, por Sucena Shkrada Resk

 #Saudade. Essa é uma palavra que estará sempre presente na trajetória de qualquer um de nós. É a saudade de um período que nos marcou, de pessoas que partiram deste plano e foram importantes para nós, de amores que deixaram suas marcas e até de hábitos cotidianos que nos faziam bem, como...
24/02/2013 17:57

Nota - A garimpagem de pontos de logística reversa em SCS, por Sucena Shkrada Resk

Qualquer um de nós tem o que podemos chamar de olhar cidadão e para isso não há hora marcada. Neste domingo, ao seguir para fazer compras domésticas, eis que me deparei com dois pontos de coleta de recicláveis, que recebem itens dos mais complicados ainda para nós, consumidores, conseguirmos...
22/02/2013 20:11

Comunicação socioambiental:o trabalho de alinhavar a história, por Sucena Shkrada Resk

As cronologias da história oficial e da não-oficial se fundem e se desprendem ao longo do tempo, quando tratamos da trajetória socioambiental. Geralmente o que nos ensinam formalmente está vinculado a documentos legais ou a grandes eventos de porte nacional ou mundial. Mas há um vasto universo de...
01/02/2013 21:25

Conservação das zonas úmidas: Brasil tem 11 sítios de Ramsar, por Sucena Shkrada Resk

Amanhã, 2 de fevereiro, será comemorado o Dia Mundial das Zonas Úmidas. Atualmente existem 2083 sítios distribuídos em 164 países, o que corresponde a 197.849.428 ha, segundo dados da Convenção de Ramsar, que entrou em vigor em 21 de dezembro de 1975. Com o objetivo de conservação e uso...
30/01/2013 15:06

Saúde ambiental: alerta sobre a pneumonia química em Santa Maria, por Sucena Shkrada Resk

Os resultados trágicos do incêndio na casa noturna “Kiss” na cidade de Santa Maria, no último domingo, 27, trouxeram à tona a necessidade de esclarecimento sobre uma doença que pouco era comentada até agora. É a pneumonia química, decorrente da inalação de gases altamente tóxicos (monóxido e...
29/01/2013 11:13

Menos de cinco minutos, por Sucena Shkrada Resk

Um domingo tenso e triste que se estende. Assim ficou marcado o dia 27 de janeiro de 2013 e essa semana. A tragédia em Santa Maria, no RS, preenche um espaço de tantos questionamentos, que fica difícil priorizar outras questões, pelo menos, agora. O que não sai de minha cabeça é que em menos de...
16/01/2013 17:35

Foto-legenda: Pulmão verde urbano, por Sucena Shkrada Resk

Expira, inspira...Quantas vezes ouvimos essa recomendação do médico, do professor de ginástica e de nossa própria consciência, quando conhecemos melhor a potencialidade de nosso corpo e de sua relação com o meio? Só que fazer isso se torna cada vez mais difícil em centros urbanos repletos de ilhas...
16/01/2013 13:08

Reflexão sobre o aumento do custo de vida e o consumo sustentável, por Sucena Shkrada Resk

Como não vivemos em uma bolha, acredito que muitos de nós têm percebido o aumento de preços nas gôndolas dos supermercados, nas feiras, nas padarias...enfim, no comércio e sentido literalmente no bolso. Sim, o custo de vida aumentou e muito e o que é mais delicado - afeta os gêneros de primeira...
14/01/2013 19:39

Reflexão: a desertificação e o consumo inconsciente, por Sucena Shkrada Resk

Quando se trata do tema “desertificação”, a integração de ações antrópicas e processos naturais refletem o processo de fragilidade presente em vários pontos do planeta. O certo é que a série histórica demonstra que se intensificam os eventos extremos a cada década. Tanto as secas como as estiagens...
09/01/2013 11:20

#Reflexão: Ir além do morde e assopra nas políticas socioambientais, por Sucena Shkrada Resk

A implementação de políticas socioambientais no contexto federativo ao municipal é lenta e essa é a realidade. Não adianta colocarmos "panos quentes", pois é isso que vivenciamos. Ao usar uma figura de linguagem, fica em muitas questões, no ritmo do "morde e assopra". Se formos avaliar o...
08/01/2013 17:32

Atenção a histórias de vida sobre a luta em favor dos direitos humanos, por Sucena Shkrada Resk

Nesta semana foi lançada a publicação Dez faces da luta pelos #direitoshumanos no Brasil(ONU, Embaixada do Reino dos Países Baixos, SDH e UE, 2012). É um material denso, com 101 páginas, no qual há entrevistas com dez personagens de diferentes localidades do país. O conteúdo é interessante, pelo...
04/01/2013 09:28

Reflexão: Diferentes relações do ser humano com a natureza, por Sucena Shkrada Resk

No último dia 31 de dezembro, ao conhecer o Borboletário de Campos do Jordão, considerei interessante a iniciativa de pesquisa e de educação ambiental, por estimular o aprendizado por meio da vivência e estímulos sensoriais, em uma atmosfera lúdica que envolve o ambiente no qual elas se desenvolvem...
17/12/2012 19:01

Desastres naturais:o desafio na prevenção e na emergência no Sul e Sudeste, por Sucena Shkrada Resk

A incidência dos altos índices pluviométricos nas regiões Sul e Sudeste, neste verão, com estimativas acumuladas até fevereiro do ano que vem, de chegar a 1400 mm já sinalizam as dificuldades contínuas identificadas anteriormente na série histórica em ambas as regiões. O que está mudando aos poucos...
12/12/2012 10:20

Até quando iremos silenciar as primaveras?, por Sucena Shkrada Resk

Há cinco décadas, a bióloga marinha Rachel Carson (www.rachelcarson.org) desnudava por meio da literatura, um processo desencadeado no frenesi industrial da sociedade contemporânea, em que o uso excessivo de agrotóxicos (pesticidas) sintéticos, nos EUA, resultava na aniquilação de espécies de aves...
11/12/2012 13:01

Doenças raras e negligenciadas: o direito à informação, por Sucena Shkrada Resk

O direito ao acesso à informação passa por todas as áreas e em especial na de saúde. Na semana passada, tive conhecimento da existência da FEBER – Associação Brasileira de Enfermidades Raras (https://feber-brasil.comunidades.net), que é focada em divulgação sobre esse tema. O site ainda está sendo...

© 2020 Todos os direitos reservados.

Blog Cidadãos do Mundo-jornalista Sucena Shkrada Resk