Parte 2: A espiral do novo coronavírus expõe a janela da fragilidade aberta no Antropoceno

30/03/2020 10:30

Com a pandemia da Covid-19, somos obrigados a descobrir novos caminhos para a humanidade

Por Sucena Shkrada Resk*

Existem algumas guerras que não são estruturadas com armamentos bélicos e que são tão devastadoras quanto a estes conflitos geopolíticos que têm assolado a humanidade, como a 1ª e 2ª Guerra Mundiais. A situação pela qual passamos, em 2020, com a pandemia da transmissão da COVID-19 pelo novo coronavírus (SARS-CoV-2) é um exemplo clássico desta realidade. Até este domingo (29/03), há o registro de 634.835 casos da doença e e 29.957 mortes no mundo, segundo a Organização Mundial da Saúde (OMS). A curva ascendente deve se estender por meses. Estes números ainda podem ser muito maiores, devido a subnotificações, pela falta de testes massivos nas populações. Vivemos em uma espiral que está sacudindo com os nossos aspectos material, psicológico e espiritual. Em que toda esta experiência vai resultar?

No histórico de Emergências de Saúde Pública de Importância Internacional declaradas pela OMS, esta é a sexta na contemporaneidade, e a mais comprometedora em todos os continentes. As anteriores foram a pandemia de H1N1 (24/04/2009); disseminação internacional de poliovírus (05/05/2014); surto de Ebola na África Ocidental (08/08/2014); vírus zika e aumento de casos de microcefalia e outras malformações congênitas (01/02/2016) e surto de ebola na República Democrática do Congo (18/05/2018).

Em todo o planeta, estamos em um front que expõe as vísceras de modelos carcomidos de desenvolvimento, neste período do Antropoceno, que não prezam a infraestrutura sanitária e da retaguarda da saúde pública que deveriam integrar o bem-estar equilibrado da saúde ambiental. Outro desprezo é pela conservação socioambiental, que é um pressuposto para o equilíbrio ecossistêmico e acima, de tudo, um teste para as políticas locais e geopolíticas elencar o que de fato é prioridade para o bem-estar socioeconômico.  Tudo isso tem um preço, que está saindo muito caro para a sociedade global. Entre os efeitos colaterais de toda esta espiral, está a recessão econômica em curso.

O que fica evidente é que ninguém escapa da possibilidade de ser acometido pelas complicações severas da doença, em qualquer idade, mas a maior vulnerabilidade é dos idosos, dos imunodeprimidos, dos cardiopatas, diabéticos e das pessoas com doenças pulmonares; e dos mais pobres, que não têm acesso a moradia, coleta e tratamento de esgoto e água tratada. É aí que entra um componente de peso neste processo, que é a necessidade urgente de empatia e compaixão pelo outro, independente de ser familiar ou não.

Ao mesmo tempo, nos impõe repensar o que devemos colocar de racionalidade na relação de produção e consumo de bens tangíveis e intangíveis e o quanto são importantes as nossas relações familiares e sociais, de uma maneira geral. Nestas fases de distanciamento social, isolamento e quarentena, é como se abrisse um vídeo mental sobre o que deixamos de lado e nos faz imensamente falta. Como podemos sair transformados de tudo isso?

Algumas recomendações, que por sinal, servem para qualquer outra situação de precauções,  permanecerão no nosso inconsciente coletivo como um sinal de alerta permanente: lavar as mãos com água e sabão; usar álcool em gel para a assepsia; água e água sanitária para a limpeza doméstica, ter etiqueta ao tossir e espirrar, priorizar equipamentos de proteção individual (EPI) aos que estão no front; respiradores e ventiladores nas UTIs... Medidas aparentemente óbvias, mas que estão sendo exaustivamente repetidas e que milhares têm dificuldade de cumprir, por falta de acesso à água e a todos estes insumos.  

Este conjunto de circunstâncias nos faz pensar no coletivo de uma forma holística. Esta é mais uma oportunidade criada pela pandemia. Praticamente todos os 200 países do mundo estão sofrendo as consequências e veem a oportunidade e necessidade de auxílio mútuo no combate ao novo coronavírus, por meio de ajuda científica, tecnológica, médica, humanística, financeira...

As bolhas estão sendo furadas e vimos que o conceito de humanidade é muito maior que uma mera descrição no dicionário. Empreendedores a grandes empresas estão vendo o quanto faz sentido, agora, exercer a responsabilidade social em toda sua extensão.

O cidadão comum, por sua vez, seja em doações materiais e de cunho psicológico e emocional, por exemplo, batendo palmas ou cantando em suas sacadas, manifestam algum tipo de solidariedade em época de confinamento.  É o exercício da empatia em ação.

Da China e toda a Ásia, à Europa, às Américas, à África e à Oceania, está sendo traçada uma trajetória de imposição de medidas drásticas pelos diferentes governos, sem uma data certa para acabar. Algumas mais assertivas, outras mais tardias. O norte ético está sendo dado mais uma vez pela Ciência e pela Medicina, que enfrenta ainda o desafio de superar a ignorância de céticos.

Estamos no “olho do furacão”, muitas curvas ascendentes da doença à frente. A saúde psíquica e emocional de todos nós também merece atenção. Como não nos fragilizar e nos deprimir devido às mortes de milhares de pessoas na China, na Itália, na Espanha, no Irã e que aumenta dia a dia aqui no Brasil, entre outros países? Manter a sanidade nestes tempos cáusticos é uma tarefa constante. Ninguém será mais o mesmo, após esta pandemia. Isto é certo.

Novos medicamentos em teste, inúmeros estudos em andamento de vacinas seguras que provavelmente demorarão na casa de um ano a um ano e meio a serem definidas revelam mais uma vez o quanto a Ciência é imprescindível e não pode ser sucateada.

O que também é um fato interessante e positivo é que todos os tipos de especulações indevidas, neste período, estão sendo duramente rechaçadas. Querer ganhar sobre a tragédia humanitária, com preços abusivos, não tem espaço neste front. A palavra “ética” ganha maior expressividade neste contexto.

Sistemas tributários mais justos e pacotes de assistência financeira estão sendo imperiosos senão os mais vulneráveis serão colocados à mercê do perigo de dizimações em massa. Por isso, a taxação de grandes fortunas é um tema que volta à cena nesta crise também do modelo capitalista.

Seja como for, os tempos difíceis e que exigem de todos nós, a capacidade de resiliência, ainda perdurarão pós-pandemia. Este “chacoalhão” no planeta, com as quarentenas, está demonstrando que quando desaceleramos no desmatamento, na emissão de poluentes pelos combustíveis fósseis, o meio ambiente começa a se regenerar. Há uma melhoria literalmente do clima. Mas com certeza ninguém quer que isso aconteça por causa de uma pandemia, mas da conscientização. Talvez este seja o legado após esta crise pela qual passamos.

Veja também no Blog Cidadãos do Mundo – jornalista Sucena Shkrada Resk:
23/01/2020 – Saúde Ambiental: estado de alerta mundial para o coronavírus reflete um desequilíbrio ecossistêmico

*Sucena Shkrada Resk - jornalista, formada há 28 anos, pela PUC-SP, com especializações lato sensu em Meio Ambiente e Sociedade e em Política Internacional, pela FESPSP, e autora do Blog Cidadãos do Mundo – jornalista Sucena Shkrada Resk (https://www.cidadaosdomundo.webnode.com), desde 2007, voltado às áreas de cidadania, socioambientalismo e sustentabilidade.

Blog Cidadãos do Mundo – jornalista Sucena Shkrada Resk
 

Pesquisar no site

Blog

04/05/2019 12:49

Podcast 4: Saúde ambiental não existe sem prevenção - um alerta no Brasil

Por Sucena Shkrada Resk*   Neste quarto podcast do meu blog jornalístico Cidadãos do Mundo, falo com vocês a respeito da importância da prevenção na saúde ambiental. É uma questão que está sempre no nosso calcanhar, não é? Quer queira, quer não. E me faz lembrar deste trecho da música dos...
12/04/2019 13:41

Podcast 3 - Blog Cidadãos do Mundo - as facetas das desigualdades sociais no Brasil, por Sucena Shkrada Resk*

Olá, compartilho hoje com vocês o terceiro podcast do meu Blog jornalístico Cidadãos do Mundo. Estou trazendo para este espaço algumas reflexões sobre a questão da desigualdade social que historicamente tem afetado o Brasil, e que traduz aquela lacuna de desenvolvimento, que revela as facetas ainda...
02/04/2019 15:05

Podcast 2 - Blog Cidadãos do Mundo - Uma imersão no turismo de base comunitária, por Sucena Shkrada Resk

Olá, estou tratando no segundo podcast do meu Blog jornalístico Cidadãos do Mundo, da reflexão sobre o turismo de base comunitária e o etnoturismo, que saem da esfera convencional que conhecemos e trazem um ingrediente importante: a junção da proposta da conservação ambiental com a valorização...
27/03/2019 17:39

Primeiro podcast do Blog Cidadãos do Mundo traz reflexão sobre os efeitos do ciclone Idai na África

Olá, neste ano de 2019, eu, Sucena Shkrada Resk, estou ampliando o formato de linguagem do meu blog jornalístico Cidadãos do Mundo, com a introdução de podcasts periódicos, no qual faço comentários e reflexões sobre temas socioambientais, de sustentabilidade e cidadania, além dos artigos e...
25/03/2019 13:20

Podcast - Agricultura orgânica: grupo de mulheres revela o casamento da faceta da raiz cultural às sementes crioulas

Por Sucena Shkrada Resk  A entrevistada desta semana, do Blog Cidadãos do Mundo - jornalista Sucena Shkrada Resk, é a agricultora familiar pernambucana Vilma Martins (terceira à direita na foto), radicada em São Paulo, que integra a composição feminina do Grupo de Agricultores Urbanos...
20/02/2019 14:05

Tietê permanece adoecido na região metropolitana devido ao mau planejamento urbano

Por Sucena Shkrada Resk* A sensação de déjà-vu é contínua. Entra ano, sai ano, esta é a realidade perversa que vivemos diariamente nas regiões metropolitanas. De um lado, algumas nascentes que resistem, sabe-se lá até quando à pressão humana e, por outro, rios que são engolidos, em diversos...
08/02/2019 12:42

Rompimentos de barragens de rejeitos minerais revelam cenário de insegurança no país

Por Sucena Shkrada Resk* Ausência e/ou ineficiência nas precaução e prevenção, manutenção, em monitoramento e investimento em tecnologias mais seguras e em fiscalização contínua na destinação e tratamento de rejeitos minerais. Essa série de potenciais causas tem demonstrado um verdadeiro campo...
25/01/2019 14:43

Um olhar mais atento para os caminhos da habitação popular/social

Por Sucena Shkrada Resk* A população cresce ano a ano e o déficit habitacional segue a mesma trajetória no Brasil e é superior a 7,7 milhões de moradias necessárias para suprir essa demanda por imóvel próprio. Os dados são baseados em informações da Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios do...
21/01/2019 14:10

Narrativa de agricultora familiar nos leva à valorização ecossistêmica e humanística

Por Sucena Shkrada Resk* Ouvir a narrativa de agricultores familiares sempre é algo revigorante e que nos leva à ligação afetiva à terra, à água, à fauna e flora. Estimula nossa recepção sensorial e dá sentido à máxima de que quanto mais simples, mais estamos sintonizados com o equilíbrio...
16/01/2019 14:48

Os oceanos apelam todos os dias: #plásticosnão

Por Sucena Shkrada Resk* A imagem é desconcertante e dramática. Olhamos de um lado e de outro e os oceanos têm mais plásticos do que peixes. O ano é 2050. Cena de filme de ficção? Longe disso. Este é um prognóstico mais próximo do real descrito em estudo da fundação da navegadora Ellen MacArthur e...
14/01/2019 11:21

Temas “Refugiados” e “Migrantes”: não existe geopolítica baseada em visões unilaterais

Por Sucena Shkrada Resk* Em um mundo em que a maioria das pessoas e “nações” aspiram pela manutenção da democracia e da paz mundial, as relações diplomáticas internacionais exigem como alicerce o constante diálogo e o princípio de que as decisões sejam o mais consistentes e equilibradas para a...
10/01/2019 16:03

O Quênia e seus exemplos inspiradores: da resiliência ao socioambientalismo

Por Sucena Shkrada Resk * Sim. Exemplos inspiradores vêm do leste do continente africano e especialmente de países como o Quênia, e não se restringem a resultados na tradicional corrida de São Silvestre por aqui e chegam à esfera socioambiental, além do fato de Nairobi ser a cidade-sede do Programa...
09/01/2019 14:09

O Princípio da Precaução tão urgente e ao mesmo tempo, tão esquecido

Por Sucena Shkrada Resk* Memória, ah, essa memória histórica, que dá sentido e é importante para começos e recomeços. Nesse recuperar do tempo, o Princípio 15 – da Precaução (precautio-onis, em latim), instituído da Conferência das Nações Unidas sobre o Meio Ambiente e Desenvolvimento (Rio 92), que...
29/11/2018 15:20

Conservação de Paranapiacaba e entorno frente a projetos de novos empreendimentos

Por Sucena Shkrada Resk* Empreendimentos que por sua natureza econômica causam passivos ambientais devem obrigatoriamente, por determinação legal, antes de serem licenciados, esclarecer da forma mais transparente possível todos os cenários possíveis do comprometimento relacionado à sua atuação, que...
28/11/2018 16:54

A miopia de gestão sobre as mitigações e adaptações às mudanças climáticas

Por Sucena Shkrada Resk* Às vésperas da Conferência das Partes da Convenção-Quadro das Nações Unidas sobre as Mudanças do Clima (COP 24), o Brasil desenha um quadro desestruturador das medidas quanto a mitigações e adaptações às mudanças climáticas. Diplomaticamente falando, a desistência da...
08/11/2018 15:43

Vivemos um hiato temporal brasileiro socioambiental

Por Sucena Shkrada Resk* A agenda socioambiental brasileira sofre, nas últimas décadas, de um anacronismo crescente, no qual o que muito do que está escrito nas legislações nacionais e, inclusive, em tratados internacionais ratificados pelo país, não se configura na prática da realidade diária....
08/10/2018 12:48

2018: a crônica ambiental dos 30 anos

Por Sucena Shkrada Resk  O ano de 2018 é simbólico por representar o aniversário de 30 anos de importantes acontecimentos na trajetória do ambientalismo brasileiro. Apesar de não ser totalmente infundado o velho ditado de que no Brasil temos memória curta, essas histórias ainda pulsam, pois...
26/08/2018 16:33

Refugiados: os diversos contextos das fronteiras humanitárias

Por Sucena Shkrada Resk* As relações humanas trafegam em linhas tênues que reúnem processos culturais centenários, questões socioeconômicas, religiosas e limites geográficos, que integram a geopolítica, que ora se fundem, e ora segregam. Historicamente é isto que vimos em diferentes partes do mundo...
14/08/2018 18:30

O mercúrio nas veias da Amazônia

Por Sucena Shkrada Resk* Quem dera que falar sobre “mercúrio” fosse um assunto somente de interesse da pauta astronômica? Voltando à realidade do planeta Terra, se trata dos impactos da contaminação pelo metal, altamente letal, um tema ainda subnotificado, que mexe em uma ferida aberta, em...
11/07/2018 18:00

Entrevista da semana - Defensor público fala sobre o desafio do combate ao uso de agrotóxicos em São Paulo e em todo o Brasil

Por Sucena Shkrada Resk O advogado Marcelo Carneiro Novaes, defensor público do Estado de São Paulo, que integra a coordenação do Fórum Paulista de Combate aos Impactos dos Agrotóxicos e Transgênicos, que começou a se reunir em novembro 2016, é o entrevistado desta semana do Blog Cidadãos do Mundo...

© 2020 Todos os direitos reservados.

Blog Cidadãos do Mundo-jornalista Sucena Shkrada Resk