PANCs: um universo da segurança alimentar a explorar

14/05/2018 14:29

Por Sucena Shkrada Resk

 O tema da segurança alimentar é rico em multiplicidades de enfoques, sendo que um deles trata do reconhecimento da importância das Plantas Alimentícias Não Convencionais (PANCs). O termo foi criado pelos pesquisadores Valdely Kinupp e Harri Lorenzi, resultando no livro “Plantas Alimentícias Não Convencionais (Panc) no Brasil”, lançado em 2015, que se tornou uma referência básica sobre o assunto, com o destaque de 351 espécies e 1.053 receitas. De lá para cá, há outras iniciativas de disseminação do tema, como o Guia Prático sobre PANCs., do Instituto Kairós.

Quantas vezes passamos entre ou sobre estas plantas (até pisando nelas) ou as avistamos pelo caminho, as taxando de “mato”, “erva-daninha” ou uma semente, flor, vegetal e/ou planta ornamental sem importância? A falta de cultura da popularização desses conhecimentos, muitas vezes, circunscritos a regionalidades de biomas, nos leva a esse estado de ignorância e consequentemente a desprezarmos o potencial nutricional dessas espécies que não fazem parte do nosso cotidiano. Ou melhor, até fazem, mas não sabemos o valor implícito dessas plantas, que desprezamos a olho nu.

Quando estão em área rural ou na roça, a sua coleta fica mais fácil. Mas ao serem expostas a poluentes e contaminação em calçadas e até ruas, não se tornam indicadas para consumo. Aí um cuidado redobrado com a higienização. Com isso, potencializa a ampliação dos cultivos em nossas hortas caseiras ou comunitárias.

Ao nos enveredarmos neste universo de aprendizado, certamente todo cuidado é necessário, para inadvertidamente não ingerirmos alguma planta tóxica, sem o devido cuidado de saber, por meio de pesquisa nas fontes primárias, se realmente pode ser comestível, e como deve ser ingerida (crua, refogada, processada, em infusão, em forma de suco...). De resto, a recomendação é se deixar levar pela experiência da degustação, contato sinestésico e combinações de cardápio, que enriqueçam nossos pratos. O que pode ser uma PANC para mim no Sudeste, pode não ser no Nordeste ou na Amazônia, e vice-versa. Isso nos leva a viajarmos nas raízes tradicionais da flora da Mata Atlântica, do Cerrado, da Amazônia, dos Pampas e do Semi-Árido.  

Nos relatos dos povos tradicionais e indígenas, muitas dessas espécies vegetais emergem nas narrativas e práticas a gerações, o que faz da escuta atenta a essas narrativas algo cada vez mais importante, aliada ao aprofundamento realizado pela Ciência. Outras são oriundas de outros países. 

Eu tive a oportunidade de passar por um breve exercício, no último sábado, durante uma aula/palestra com a chef de cozinha Simone Gomes, da Cia da Não-Ficção, na Oficina Cultural Oswald de Andrade, em São Paulo. Foi uma forma de abrir um horizonte nutricional e aguçar a curiosidade para aprender mais. Moral da história: somente pesquisando e quebrando preconceitos, conseguimos valorizar, de fato, todo o potencial das plantas na natureza. Tato, olfato, paladar... tudo isso foi impulsionado. Afinal, a alimentação também deve ser um ato prazeroso.

Durante a atividade, pude conhecer e sentir o sabor da stevia, que é um adoçante natural (e conhecemos industrializada); da flor capuchinha (Tropaeolum majus), que é uma herbácea com propriedades diuréticas e anti-inflamatórias, expectorante, que tem vitamina C, usada em salada; das folhas de taioba (Xanthosoma sagittifolium), com sabor semelhante ao espinafre, rica em vitaminas, ferro e cálcio, que podem ser comidas cozidas ou refogadas; e de caruru (Amaranthus spp.), também utilizada em refogados e saladas e rica em cálcio, entre outros nutrientes e da azedinha (Rumex acetosa);

Nesta abundância de variedades, ainda havia a planta do hibisco (Hibiscus) e da erva-baleeira (Cordia verbenacea), utilizadas em chás; como também o almeirão-roxo (Lactuca indica L./canadensis); o jambú-do-pará (do gênero Acmella), que entre os seus usos, está no tradicional tacacá, com grande concentração de vitamina C; e uma planta chamada “major-gomes” (Talinum paniculatum), com alto teor de cálcio e potássio, entre outras.

Apesar de ser muita informação, sabores e cheiros para um dia, já foi um bom começo para aguçar a curiosidade para um maior aprofundamento, não é? Segue o convite, então, para que conversem com seus avós, com representantes de povos tradicionais e estabeleçam os seus primeiros contatos com as PANCs, após também se abastecerem da leitura oficial básica sobre as espécies e suas funcionalidades e modos de preparo. A partir daí, bom apetite!

Veja também no Blog Cidadãos do Mundo - jornalista Sucena Shkrada Resk:
23/05/2012 - Rio +20: Como tratará da realidade da África Subsaariana?
03/05/2012 - Rumo à Rio + 20: seca, fome, morte e draft zero
22/03/2012 - Campanha a Água e a Segurança Alimentar

*Blog Cidadãos do Mundo – jornalista Sucena Shkrada Resk

Pesquisar no site

Blog

23/03/2018 10:29

#Recursoshídricos: o pedido de socorro ao ecossistema

Por Sucena Shkrada Resk O Informe Mundial das Nações Unidas sobre o Desenvolvimento dos Recursos Hídricos 2018, lançado nesta semana, tem como mote “as soluções baseadas na natureza” (SbN) para a gestão das águas, um conhecimento milenar mas que conceitualmente tem sido desenvolvido desde 2002....
19/03/2018 15:00

Março de 2018: seca e estiagem marcam a realidade brasileira, na semana dos fóruns das águas

Por Sucena Shkrada Resk Diante da realidade, não há meias palavras, quando se trata de insegurança hídrica e do cenário das mudanças climáticas. Neste mês das águas, em que fóruns internacionais ocorrem em Brasília para discutir o tema em diferentes ângulos e propor soluções, dezenas de municípios...
08/03/2018 13:00

Usinassolares: do protagonismo chinês às iniciativas que começam a se destacar timidamente na matriz nacional brasileira

Por Sucena Shkrada Resk   A energia solar fotovoltaica se projeta de forma gradativa no mundo, desde os anos 2000. No contexto das implementações de usinas e fazendas solares (fontes centralizadas), estão a China - ainda o maior poluidor do mundo, por causa do carvão, e ao mesmo tempo o...
05/03/2018 14:55

Mês das Mulheres: A relevância permanente das contribuições socioambientais de Wangari Maathai

Por Sucena Shkrada Resk  Quando em 25 de setembro de 2011, a queniana Wangari Maathai faleceu, devido a um câncer, escrever no dia seguinte um artigo a respeito de sua trajetória de vida (veja também abaixo, artigo: Wangari Maathai: um exemplo a seguir), como manifestação de respeito ao...
19/02/2018 19:33

Quilombos: O simbolismo da força de séculos dialoga com a decisão do STF

Por Sucena Shkrada Resk Homenagear postumamente lideranças quilombolas, como Dandara e Zumbi dos Palmares (século XVII), Tereza de Benguela, do Quilombo de Quariterê, MT (século XVIII) e Helen Moreira, do Quilombo Ilha de Vera Cruz, BA; como também, Maria Trindade da Silva Costa, do Quilombo...
07/02/2018 10:17

#Pílulassocioambientais - A arte voltada ao combate ao racismo

Por Sucena Shkrada Resk   Sensibilidade, criatividade e reutilização de recursos em forma de bonecas artesanais, com um propósito maior: combater o racismo, que nada mais é do que incentivar o respeito às diferenças e valorização das identidades de gênero, cor, raça e cultura... Nessas...
29/01/2018 17:06

#Saneamentoambiental – Tamanduateí, um rio metropolitano em agonia

Por Sucena Shkrada Resk  A nostalgia de recordar do Tamanduateí sinuoso e límpido (Tamanduá grande, em tupi), na Região Metropolitana de São Paulo (RMSP), que já foi conhecido como Rio Piratininga, talvez esteja ainda nas memórias de bisavós e tataravós e de alguns relatos em bibliografias...
26/01/2018 14:56

#Saneamentoambiental – 2018: lixões e aterros controlados, uma realidade ainda gritante no Brasil

Por Sucena Shkrada Resk O Ano era 2010, e a  Política Nacional de Resíduos Sólidos (Lei 12.305/2010) trouxe a esperança de que a gestão pública brasileira, de uma forma geral, iria se redimir dos sucessivos erros no quesito infraestrutura, ao longo de décadas. Mas do papel à realidade,...
19/01/2018 17:52

#Saúdeambiental - O que tirar de proveito no Brasil do exemplo da mobilização pela recuperação da bacia hidrográfica do Tejo, na Europa?

Por Sucena Shkrada Resk Quem um dia viu o rio Tejo, o mais extenso da Península Ibérica (da Espanha a Portugal), com 1.007 km e cuja bacia hidrográfica ocupa 80,6 mil km 2, poluído, quase sem vida e seco em vários trechos, há alguns anos observa um esforço para o processo de revitalização, de forma...
17/01/2018 08:51

#Saúdeambiental - Até quando políticos não priorizarão solução para esgoto em agenda da gestão pública?

Por Sucena Shkrada Resk Falar sobre a situação do esgotamento sanitário no Brasil é um assunto “espinhoso”, imprescindível, mas que raramente faz parte da pauta de campanhas políticas nacionais, estaduais e municipais e de programas de gestão pública de boa parte de municípios deste Brasil de...
09/01/2018 10:34

#Saúdeambiental - Febre amarela, do século XIX a 2018: o que Oswaldo Cruz faria nos dias de hoje?

Por Sucena Shkrada Resk  Final do século XIX e 2018. Neste ir e vir da história, a questão sanitária no Brasil é ainda o calcanhar de aquiles que permeia a condução da gestão pública no país. Hoje o aumento do número de casos comprovados e suspeitos de febre amarela silvestre (pelos vetores...
05/01/2018 08:59

#Protagonismofemininoindígena: da comunicação à incidência política

Entrevistada da semana: Telma Taurepang Por Sucena Shkrada Resk No Brasil e em outros países da América Latina, o papel da mulher indígena se destaca cada vez mais. No universo da comunicação, existe a iniciativa Comunicadoras y Realizadoras Indígenas, que tem incentivado este protagonismo na AL....
26/12/2017 11:45

Uma brasileira chamada Nise da Silveira...uma rebelde a favor da humanização

Por Sucena Shkrada Resk “...Nunca me fizeram a pergunta que eu queria ouvir em minha vida: onde estão os homens e mulheres que pintaram estas obras artísticas...? Este teor de questionamento quanto ao interesse da imprensa feito pela psiquiatra alagoana Nise da Silveira (1905-1999), em documentário...
18/12/2017 12:27

Ilhas do Pacífico: as lições das crianças das nações insulares na COP 23 – Bula!

Por Sucena Shkrada Resk A Aliança dos Pequenos Estados Insulares (em inglês, Alliance of Small Island States – AOSIS, com 39 países) assumiu, pela primeira vez, um protagonismo na condução da Convenção-Quadro das Nações Unidas sobre a Mudança do Clima (COP 23), em Bonn, Alemanha, ao ter na...
11/12/2017 09:04

#Direitoindígena - Coordenadora na COIAB destaca: Protocolos de consulta de diferentes povos indígenas na Amazônia são instrumentos de luta pelos direitos

Entrevistada da semana - Angela Amankawa Kaxuyana   Por Sucena Shkrada Resk    O protagonismo indígena na defesa dos seus direitos é a pauta desta semana. Na seara do contexto amazônico, a entrevistada é Angela Amankawa Kaxuyana, da TI Kaxuyana Tunayana, do extremo Norte do Pará, que...
27/11/2017 14:40

Médica sanitarista fala sobre o universo da saúde ambiental, com destaque sobre os impactos dos agrotóxicos

Por Sucena Shkrada Resk A entrevistada, desta semana, do Blog Cidadãos do Mundo – jornalista Sucena Shkrada Resk, é a médica sanitarista Telma de Cassia dos Santos Nery, que trata do tema Saúde Ambiental, com os impactos dos agrotóxicos e da poluição, neste contexto, e também explica o trabalho...
14/11/2017 14:01

Vozes do Direito indígena refletem sobre cenário atual

  Por Sucena Shkrada Resk Compreender os conceitos de bem-viver, de patrimônios imaterial e espiritual, do significado holístico da terra, do ecossistema e do território e do planeta como casa (mãe “pachamama”) e local sagrado, é o grande desafio das visões herméticas dos Estados que ainda se...
02/11/2017 18:15

As mudanças climáticas sob o olhar indígena

Por Sucena Shkrada Resk Subestimar os conhecimentos tradicionais que se perpetuam por gerações é um ato de ignorância que tem se repetido por décadas. No contexto das mudanças climáticas, essa constatação se torna mais evidente, pois a vivência dos povos indígenas e suas relações cosmológicas...
18/10/2017 09:33

Do papel à realidade, existe um “gap” na mitigação (redução de danos) e adaptação aos eventos extremos no Brasil

Por Sucena Shkrada Resk O que dizer sobre o “Velho Chico” agonizando, e pessoas e animais tendo de dividir a pouca água que resta, entre outras centenas de cenas desoladoras por todo país? Imagens que ficam gravadas para sempre. As manchetes sobre eventos extremos e desastres naturais no Brasil,...
16/10/2017 08:42

Ivaporunduva ecoa vozes pelos direitos quilombolas no Brasil

O Blog Cidadãos do Mundo – jornalista Sucena Shkrada Resk coletou dois depoimentos, há algumas semanas, em Eldorado, SP, de lideranças do Quilombo Ivaporunduva, no Vale do Ribeira, em defesa dos direitos adquiridos pelas comunidades em todo o Brasil, com o decreto 4887/2003, que regulamenta a...

© 2018 Todos os direitos reservados.

Blog Cidadãos do Mundo-jornalista Sucena Shkrada Resk