Mudanças climáticas: a COP21 das utopias

01/11/2015 14:23

Por Sucena Shkrada Resk

O que seria de nós, seres humanos, sem a possibilidade de desenvolver o pensamento utópico? Hoje resolvi narrar o meu discurso com esse princípio sobre a condução do combate ao aceleramento das mudanças climáticas e do aquecimento global, em que o palco das discussões é a 21ª Conferência das Partes da Convenção-Quadro das Nações Unidas sobre a Mudança Climática (COP-21). 

Na configuração da geopolítica mundial, finalmente as palavras talvez e não deixarão de ser acentuadas e serão substituídas por ações afirmativas que se enquadrarão nas concretizações dos tratados, dos acordos e da história socioambiental  tecidas nos últimos 50 anos.  Afinal, desde a Convenção do Clima, instituída a partir da Rio-92, o problema só se agrava e o apelo da sociedade civil, do lado de fora do centro das negociações, não ganha eco, de fato, no dia a dia das deliberações das nações.

Nessa linha de raciocínio, o rascunho de 55 páginas do atual acordo, com quase duas mil aspas que denotam a dificuldade de consensos, se constituirá em dezembro em algo coerente, praticável e sustentável, na conferência oficial em Paris, e será vinculante. Que os cento e cinquenta países que estabeleceram publicamente seus compromissos de redução de emissões de dióxido de carbono até 2030 principalmente, revelem a mudança do paradigma de desenvolvimento de nosso mundo. A concretização do pós-Kyoto não repita os erros anteriores em um modelo de economia equivocado e predatório, que amplia a injustiça socioambiental.

Neste cenário, floresçam estadistas e diplomatas, com a vocação do Papa Francisco que faz valer páginas e páginas, como a Laudato Sí, que foi o grande documento socioambiental lançado por ele, neste ano. E os representantes dos países insulares e da África Subsaariana tenham espaço e sejam atendidos pelo Fundo do Clima em suas necessidades de adaptação e sobrevivência. O mundo dos combustíveis fósseis seja substituído pela energia limpa, sem mas e poréns construídos nas políticas desenvolvimentistas.

O campo das negociações não acontecerá mais em salas compactadas na frieza que não ecoa no externo, da vida real.  Os negociadores dos países partirão para onde estão os problemas e as soluções.  Choque de realidade e inovação. A matriz energética mundial e o modelo de consumo da humanidade que segue para a casa dos 10 bilhões de pessoas serão calcados no consumo eficiente. Os eventos extremos que crescem em decorrência do descompasso do ser humano com a natureza estacionarão e não existirá mais a dicotomia entre países ricos e pobres neste enfrentamento. E aquela pergunta recorrente deixará de existir: quem vai pagar a conta? O entendimento de custo-benefício será outro.

O Painel Intergovernamental das Mudanças Climáticas (IPCC) terá um efeito, pode-se dizer terapêutico, sobre os governantes e os 196 diplomatas que constroem as negociações. Quando os cientistas orientam sobre as medidas necessárias para ter um mundo com menos de dois graus de aumento da temperatura média em meados do final do século, a matemática das ações dos gestores públicos, do universo empresarial e da sociedade como um todo entrará em sintonia de ações.

O ator Brasil

E o Brasil nesta conjunção de atores? Deixará de ser ambíguo entre o seu discurso descrito em planos e sua política interna. Chegará ao desmatamento zero e não fará valer os mais pessimistas prognósticos do documento Brasil 2040; cenários e alternativas para adaptação à mudança do clima, elaborado pela extinta Secretaria de Assuntos Estratégicos (SAE).

O anúncio do compromisso do governo brasileiro de reduzir 43% das emissões de gases de efeito estufa até 2030, com base em 2005, o que já é bem perto do que acontece hoje, segundo relatórios, terá um percentual muito maior, neste campo das utopias. E o país não terá só a pretensão de colocar fim ao desmatamento ilegal (um questionamento pertinente: afinal, há desmatamento legal e em que proporções e em benefício de quem?) e fazer o reflorestamento de 12 milhões de hectares; a recuperação de 15 milhões de hectares de pastagens degradadas e a integração de 5 milhões de hectares de lavoura, pecuária e florestas. Fará isso e muito mais, terá uma política agrícola compatível com a ambiental, o que não ocorre atualmente.

Essas utopias não têm fim e se somadas de forma coesa por milhões de pessoas no mundo, que têm estes mesmos anseios, quem sabe, podem fazer a diferença nos resultados da Conferência. Uma pressão avassaladora, incontestável e que não seja driblada por discursos vazios.

Veja também outros artigos que escrevi no Blog Cidadãos do Mundo – jornalista Sucena Shkrada  Resk a respeito deste tema:

20/09/2015 - Amazônia: um lamento dos sem-árvore

30//08/2015: Rumo à COP21: o desmatamento na Amazônia continua a ser um desafio

Mafalda, a COP20, o estado do mundo e do Brasil

23/11/2014 - Os resíduos nossos de cada dia no Brasil e a relação com as mudanças climáticas
04/11/2014 - Decisões geopolíticas definem o caminho das mudanças climáticas

29/10/2014 – Especial Biodiversidade Parte 2: declínio de espécies ecoa alerta
16/09/2014 - Especial Desenvolvimento Sustentável (Parte 3): de olho na justiça climática
12/09/2014 - Especial - Desenvolvimento Sustentável: como sair do círculo dos gabinetes?
29/08/2014 - Alerta vermelho ao estado de conservação da biodiversidade costeira e marinha brasileira
07/08/12 - Políticas fragmentadas e mudanças climáticas intensificam crise na África
14/10/2013 - Água: um bem depreciado na sociedade do desperdício

14/01/2013 - Reflexão: a desertificação e o consumo inconsciente
27/08/2012 -No contexto das nove fronteiras
20/08/2012 - Eventos naturais extremos: prevenção no centro da pauta
07/08/2012 - Políticas fragmentadas e mudanças climáticas intensificam crise na África
23/05/2012 - Riomais20 - Como tratará da realidade da África Subsaariana
10/03/12 - Refugiados climáticos: do alerta ao fato
09/11/2011 - Refletindo sobre o Estado do Futuro
04/03/2012 - Pensata - Rio+20: agora é a vez do como
13/01/2012 -Rio+20: O que fazemos com tanta informação?
27/12/2011 - As teias que ligam a COP17 com a Rio+20
10/12/2011 -Relatório de Adaptação do IPCC: será que eles leram
09/11/2011 - Refletindo sobre o Estado do Futuro/Projeto Millennium
07/10/2011 – Russell Mittermeier-p1: foco em conservação das espécies e áreas protegidas
27/09/2011 - Quem quer fazer parte da estatística fatal provocada pela poluição?

* Blog Cidadãos do Mundo - jornalista Sucena Shkrada Resk
 

Pesquisar no site

Blog

08/02/2019 12:42

Rompimentos de barragens de rejeitos minerais revelam cenário de insegurança no país

Por Sucena Shkrada Resk* Ausência e/ou ineficiência nas precaução e prevenção, manutenção, em monitoramento e investimento em tecnologias mais seguras e em fiscalização contínua na destinação e tratamento de rejeitos minerais. Essa série de potenciais causas tem demonstrado um verdadeiro campo...
25/01/2019 14:43

Um olhar mais atento para os caminhos da habitação popular/social

Por Sucena Shkrada Resk* A população cresce ano a ano e o déficit habitacional segue a mesma trajetória no Brasil e é superior a 7,7 milhões de moradias necessárias para suprir essa demanda por imóvel próprio. Os dados são baseados em informações da Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios do...
21/01/2019 14:10

Narrativa de agricultora familiar nos leva à valorização ecossistêmica e humanística

Por Sucena Shkrada Resk* Ouvir a narrativa de agricultores familiares sempre é algo revigorante e que nos leva à ligação afetiva à terra, à água, à fauna e flora. Estimula nossa recepção sensorial e dá sentido à máxima de que quanto mais simples, mais estamos sintonizados com o equilíbrio...
16/01/2019 14:48

Os oceanos apelam todos os dias: #plásticosnão

Por Sucena Shkrada Resk* A imagem é desconcertante e dramática. Olhamos de um lado e de outro e os oceanos têm mais plásticos do que peixes. O ano é 2050. Cena de filme de ficção? Longe disso. Este é um prognóstico mais próximo do real descrito em estudo da fundação da navegadora Ellen MacArthur e...
14/01/2019 11:21

Temas “Refugiados” e “Migrantes”: não existe geopolítica baseada em visões unilaterais

Por Sucena Shkrada Resk* Em um mundo em que a maioria das pessoas e “nações” aspiram pela manutenção da democracia e da paz mundial, as relações diplomáticas internacionais exigem como alicerce o constante diálogo e o princípio de que as decisões sejam o mais consistentes e equilibradas para a...
10/01/2019 16:03

O Quênia e seus exemplos inspiradores: da resiliência ao socioambientalismo

Por Sucena Shkrada Resk * Sim. Exemplos inspiradores vêm do leste do continente africano e especialmente de países como o Quênia, e não se restringem a resultados na tradicional corrida de São Silvestre por aqui e chegam à esfera socioambiental, além do fato de Nairobi ser a cidade-sede do Programa...
09/01/2019 14:09

O Princípio da Precaução tão urgente e ao mesmo tempo, tão esquecido

Por Sucena Shkrada Resk* Memória, ah, essa memória histórica, que dá sentido e é importante para começos e recomeços. Nesse recuperar do tempo, o Princípio 15 – da Precaução (precautio-onis, em latim), instituído da Conferência das Nações Unidas sobre o Meio Ambiente e Desenvolvimento (Rio 92), que...
29/11/2018 15:20

Conservação de Paranapiacaba e entorno frente a projetos de novos empreendimentos

Por Sucena Shkrada Resk* Empreendimentos que por sua natureza econômica causam passivos ambientais devem obrigatoriamente, por determinação legal, antes de serem licenciados, esclarecer da forma mais transparente possível todos os cenários possíveis do comprometimento relacionado à sua atuação, que...
28/11/2018 16:54

A miopia de gestão sobre as mitigações e adaptações às mudanças climáticas

Por Sucena Shkrada Resk* Às vésperas da Conferência das Partes da Convenção-Quadro das Nações Unidas sobre as Mudanças do Clima (COP 24), o Brasil desenha um quadro desestruturador das medidas quanto a mitigações e adaptações às mudanças climáticas. Diplomaticamente falando, a desistência da...
08/11/2018 15:43

Vivemos um hiato temporal brasileiro socioambiental

Por Sucena Shkrada Resk* A agenda socioambiental brasileira sofre, nas últimas décadas, de um anacronismo crescente, no qual o que muito do que está escrito nas legislações nacionais e, inclusive, em tratados internacionais ratificados pelo país, não se configura na prática da realidade diária....
08/10/2018 12:48

2018: a crônica ambiental dos 30 anos

Por Sucena Shkrada Resk  O ano de 2018 é simbólico por representar o aniversário de 30 anos de importantes acontecimentos na trajetória do ambientalismo brasileiro. Apesar de não ser totalmente infundado o velho ditado de que no Brasil temos memória curta, essas histórias ainda pulsam, pois...
26/08/2018 16:33

Refugiados: os diversos contextos das fronteiras humanitárias

Por Sucena Shkrada Resk* As relações humanas trafegam em linhas tênues que reúnem processos culturais centenários, questões socioeconômicas, religiosas e limites geográficos, que integram a geopolítica, que ora se fundem, e ora segregam. Historicamente é isto que vimos em diferentes partes do mundo...
14/08/2018 18:30

O mercúrio nas veias da Amazônia

Por Sucena Shkrada Resk* Quem dera que falar sobre “mercúrio” fosse um assunto somente de interesse da pauta astronômica? Voltando à realidade do planeta Terra, se trata dos impactos da contaminação pelo metal, altamente letal, um tema ainda subnotificado, que mexe em uma ferida aberta, em...
11/07/2018 18:00

Entrevista da semana - Defensor público fala sobre o desafio do combate ao uso de agrotóxicos em São Paulo e em todo o Brasil

Por Sucena Shkrada Resk O advogado Marcelo Carneiro Novaes, defensor público do Estado de São Paulo, que integra a coordenação do Fórum Paulista de Combate aos Impactos dos Agrotóxicos e Transgênicos, que começou a se reunir em novembro 2016, é o entrevistado desta semana do Blog Cidadãos do Mundo...
17/06/2018 14:35

Refugiados: uma situação que reflete o modelo de desenvolvimento de uma humanidade adoecida

Por Sucena Shkrada Resk Século XXI em andamento. O que, em princípio, seria um período a evocar um status ‘positivo’ de modernidade, revela um momento histórico em que lacunas cíclicas de humanização são refletidas na quantidade de refugiados pelo planeta, que segundo o Alto Comissariado das Nações...
14/05/2018 14:29

PANCs: um universo da segurança alimentar a explorar

Por Sucena Shkrada Resk  O tema da segurança alimentar é rico em multiplicidades de enfoques, sendo que um deles trata do reconhecimento da importância das Plantas Alimentícias Não Convencionais (PANCs). O termo foi criado pelos pesquisadores Valdely Kinupp e Harri Lorenzi, resultando no livro...
07/05/2018 14:08

O aumento de casos de malária e sua associação à pressão socioambiental sobre a Amazônia

Por Sucena Shkrada Resk Desmatamento, mudanças climáticas e consequentemente a facilitação para um aumento de vetores de doenças infectocontagiosas são o cenário perfeito, que está sendo construído, nos últimos anos, na Amazônia brasileira, onde um dos indícios desta pressão é a ascendência de...
20/04/2018 17:36

Século XXI: a cartografia da violência no campo

  Por Sucena Shkrada Resk   O mapeamento do processo de violência no campo revela um Brasil com janelas de oportunidades perdidas sob um modelo perverso, que tem no centro a disputa da terra. Os estados do Pará (21), Rondônia (17), Bahia (10), Mato Grosso (9), Amazonas (3), Minas...
04/04/2018 13:27

O simbolismo do adeus à Sudan, o último rinoceronte-branco do norte (macho) do planeta!

Por Sucena Shkrada Resk O ancião Sudan, no alto dos seus 45 anos e cerca de 2,3 mil quilos e 1,82m de altura, não venceu a batalha que travava contra uma infecção que atingiu sua pata direita traseira, no mês de março. O último exemplar macho de rinoceronte-branco do norte do planeta foi submetido...
03/04/2018 09:05

#Pulverizaçãoaérea: Sabemos realmente as externalidades negativas do ciclo do que comemos?

Por Sucena Shkrada Resk O quadro de vulnerabilidade a que somos expostos com a “insegurança” alimentar e ataque aos direitos humanos mais básicos é cada vez maior no Brasil. Inúmeros casos de sobrevoos de pulverizações aéreas de agrotóxicos são notificados pelo país, mas a maioria de nós, sequer...

© 2018 Todos os direitos reservados.

Blog Cidadãos do Mundo-jornalista Sucena Shkrada Resk