Liberdade de expressão: o princípio da horizontalidade, por Sucena Shkrada Resk

07/05/2012 09:30

Liberdade de expressão. Um termo que exige aprofundamento e que, cotidianamente, é pasteurizado, em definições genéricas, como slogan de campanhas. Refleti, nesta semana, sobre essa questão, durante e pós o Seminário Desafios da Liberdade de Expressão, promovido pelo Fórum Nacional pela Democratização da Comunicação (FNDC), em São Paulo, no último dia 4. A única certeza que tirei disso tudo: que somente quando há “horizontalidade” na comunicação é que o processo, de fato, ocorre. Para isso, a primeira coisa é quebrar rótulos e estereótipos e partir para os motivos que levam aos desafios...Colocar o dedo na ferida.

Quem fala por quem em nossa sociedade? Afinal, não é direito de todos e todas? Indivíduos? Tendo o princípio do respeito mútuo? A gente assume realmente nosso protagonismo ou quem faz isso por nós em nosso nome, sem sequer saibamos o que estão assumindo como nossas ânsias, reivindicações e metas?...

De duas ou uma: acomodação, alienação ou falta de acesso aos meios devido a monopólios e sistemas hierárquicos. Em qualquer uma das circunstâncias, cabe a cada um de nós as mudanças...

Por que lutamos por um direito que é constitucional? Já analisaram essa lógica perversa? Mas no dia a dia, nos defrontamos com uma parcela significativa da sociedade da qual fazemos parte, que não tem acesso ao mesmo. E de qual parcela estamos falando? A lista é longa, quando observamos a realidade brasileira, de forma regionalizada. São personagens (cidadãos e cidadãs) que integram grupos, com seus mais variados recortes, que anseiam por ter espaço e acesso a se manifestar.
- Cidadão (ã) comum (ing) que não faz parte de alguma associação, grupo específico etc;
- Agricultores familiares;
- Artistas de rua;
- Analfabetos;
- Desempregados;
- Idosos (maior idade);
- Imigrantes;
- Gays, lésbicas e simpatizantes;
- Jovens;
- Migrantes;
- Moradores em situação de rua;
- Mulheres;
- Negros;
- Pessoas com deficiência;
- Populações tradicionais (quilombolas, caiçaras, ribeirinhos, caboclos) e indígenas;
- Trabalhadores formais e informais;
- Ou seja, a maior parte da população.
...
O que falta para que se consiga a liberdade, no contexto comunicacional, que é um elemento que nos diferencia e, ao mesmo tempo, nos aproxima do sentido coletivo? Entre as diferentes possibilidades não-tecnológicas e tecnológicas, podemos citar:
- Acesso à alfabetização; a conhecimentos gerais e regionalizados; à informação contextualizada, à regularização de documentos básicos (certidão de nascimento, RG...); a meios de locomoção e à saúde; entre outros...
- Educação para a cidadania (formal e não-formal);
- Educomunicação;
- Espaços públicos para que as pessoas possam se expressar (pela arte cênica, pela música, pela fala, pelo jornalismo, ...);
- Estímulo às manifestações culturais; a preservação da historicidade;
- Democracia digital;
- Acabar com o monopólio na mídia;
- Acesso gratuito à banda larga;
- Regulamentação das concessões de rádios comunitárias...

Tudo parece tão óbvio, mas porque até hoje não conseguimos superar esses obstáculos? Quais interesses nos movem, que nos impedem de fazer as transformações necessárias? Quando nos expressamos, reconhecemos nossas origens, quem somos, os desafios que permeiam nossa vida cotidiana, o potencial do qual somos capazes e conseguimos ter uma leitura de mundo mais dinâmica, já que temos capacidade de fazer as escolhas dentro das diferentes realidades, que integram nossa vida no planeta, a partir de nossas ruas, nossos bairros, cidades, estados, países, continentes e do mundo.

E quando falamos em marco regulatório, voltando ao Brasil, tudo isso tem de estar na base das discussões, ou seja, horizontalmente, sem processos demagógicos e retóricos ou calcados em partidarismo político ou em meios de detenção de poder (formas veladas). Caso contrário, travestimos velhos modelos verticalizados, como inclusivos.

Agora, o exercício é o seguinte: nos dispor a reconhecer isso e mudar os caminhos, para que os meios realmente se edifiquem para que tenhamos uma sociedade mais justa. Como? Por meio do voto nas eleições; de campanhas educativas e estimuladoras àqueles que não têm acesso aos meios de comunicação; de autocrítica a modelos de gestão do poder público, de organizações do terceiro setor e da iniciativa privada. Está mais do que na hora de colocarmos o espelho e enxergarmos nosso reflexo. Enquanto, não fizermos isso, as reivindicações não passarão desse estágio.

Pesquisar no site

Blog

03/04/2016 09:44

Agrotóxicos-transgênicos: um rolo compressor está sendo passado sobre o direito do consumidor

Por Sucena Shkrada Resk Enquanto o cenário político brasileiro enfrenta uma de suas maiores crises na história democrática no país, nos bastidores, a orquestração no Congresso de grupos políticos, que representam predominantemente interesses de mercado, consegue aprovar projetos que prejudicam o...
23/02/2016 20:34

Esgotamento sanitário mais uma vez relegado a segundo plano no Brasil

Por Sucena Shkrada Resk Bactérias, vírus e parasitas, coliformes fecais, produtos químicos, metais pesados...  Sinto muito dizer, mas 42% da população convivem com este contexto de saneamento, porque não têm acesso a um direito mínimo, que é a coleta de rede de esgoto. O endereço dessa...
09/02/2016 07:27

As lamas da mineração: a caixa de pandora foi aberta

Por Sucena Shkrada Resk Três meses se passaram e a conclusão a que se chega é que a expressão “tragédia anunciada” se materializou no acidente do rompimento da barragem de rejeitos minerais(de ferro) do Fundão, operada pela Samarco, controlada pela Vale e pela anglo-australiana BHP Biliton, , em...
31/01/2016 14:00

Aedes aegypti - lá se vão quinze anos e uma constatação: o Brasil baixou a retaguarda

Por Sucena Shkrada Resk Lembro como se fosse hoje. O ano era 2002 e trabalhava como repórter no Diário do Grande ABC. Uma das pautas que mais cobri, neste período, foi com relação à epidemia de dengue e aos diversos focos do mosquito fêmea do Aedes aegypti que havia na região e no país. Em outras...
26/12/2015 15:58

Implementação é a palavra-chave após a COP21

Por Sucena Shkrada Resk Esta é uma fase de amadurecimento de reflexões. Os últimos dias após o acordo firmado na 21ª Conferência das Partes (COP-21) da Convenção-Quadro das Nações Unidas sobre Mudança do Clima (UNFCCC) e da 11ª Reunião das Partes no Protocolo de Quioto (MOP-11), em...
07/12/2015 21:32

COP21: as mudanças climáticas e as vidas em xeque

Por Sucena Shkrada Resk Enquanto nas salas climatizadas da Conferência das Partes da Convenção-Quadro das Nações Unidas sobre a Mudança do Clima (COP-21), em Paris, tudo vai hipoteticamente bem, obrigado, do lado de fora, a realidade é bem outra. Essa constatação vem por meio de dados do recente...
29/11/2015 13:04

Crônicas de uma urbanóide na vida rural: superando os medos e mitos sobre uma caranguejeira

Por Sucena Shkrada Resk Já era noite e estava dentro de casa, no quarto, quando vi próximo ao guarda-roupa uma enorme aranha –caranguejeira. Até então, só tinha visto em alguns locais externos, em viagens, mas não tão pertinho, nesta experiência de quase um ano vivendo em uma cidade com perfil...
05/11/2015 03:55

PEC 215: a quem interessa sua aprovação?

Por Sucena Shkrada Resk Compreender as motivações da política partidária não é uma tarefa fácil para qualquer um de nós, cidadãos comuns, que não vivenciamos regularmente os bastidores.. Entretanto, alguns temas em pauta no Congresso chamam a atenção. E um deles é a recente aprovação feita por uma...
01/11/2015 14:23

Mudanças climáticas: a COP21 das utopias

Por Sucena Shkrada Resk O que seria de nós, seres humanos, sem a possibilidade de desenvolver o pensamento utópico? Hoje resolvi narrar o meu discurso com esse princípio sobre a condução do combate ao aceleramento das mudanças climáticas e do aquecimento global, em que o palco das discussões é a...
20/09/2015 22:15

Amazônia: um lamento dos sem-árvore

Por Sucena Shkrada Resk Onde estão os anus-pretos, que faziam as travessias aéreas sobre as estradas de terras e a vegetação?  E os casais de araras-vermelhas que passeavam sob o céu azul, seguindo a caminho da floresta com suas árvores e copas densas? Agora, nem flagrar um tatu está sendo...
30/08/2015 15:34

Rumo à COP21: o desmatamento na Amazônia continua a ser um desafio

  Por Sucena Shkrada Resk Dados recentes divulgados pelo Instituto do Homem e Meio Ambiente da Amazônia (Imazon) apontam que houve um aumento de 63% no desmatamento na Amazônia Legal, no período de agosto a julho (2014-2015), com 3.322 km2 comparativamente ao mesmo período entre 2013-2014, com...
19/08/2015 11:16

Sim, todos nós precisamos das abelhas...

Por Sucena Shkrada Resk Onde estão as abelhas, os principais polinizadores do planeta? Quantas vezes temos ouvido esta pergunta nos últimos anos se acentuando cada vez mais, desde os anos 90? O desaparecimento ocorre gradativamente por causa da intervenção humana, isso já é uma constatação. Mas o...
31/07/2015 12:48

Marcelo Munduruku: quando a natureza e o ser humano traduzem uma única essência

O Projeto Vozes dos Biomas – jornalista Sucena Shkrada Resk tem como terceiro entrevistado, Marcelo Munduruku, de Juara, MT, do bioma amazônico. Confira a entrevista que fiz no último dia 16, no...
19/07/2015 14:15

Extrativismo sustentável, dobradinha que inclui conservação e geração de renda

Por Sucena Shkrada Resk Autonomia e empoderamento. Dobradinha poderosa e indispensável. Quando nos deparamos com boas práticas, que envolvem a agricultura familiar, vale a pena compartilhar estas experiências. Lidar com a terra, além de sensibilidade tem muito de matemática. Quem só retira e não...
12/07/2015 12:57

Chapada dos Guimarães: uma aula prática de Cerrado

Texto e fotos: Sucena Shkrada Resk Para qualquer lado que se olhe, o Cerrado é um bioma que revela cenários diferenciados, no Centro-Oeste brasileiro. A região da Chapada dos Guimarães, a cerca de 60 km de Cuiabá, Mato Grosso, é um dos locais mais especiais desse pedaço do Brasil, também...
05/07/2015 13:49

Resíduos sólidos: prorrogar lixões revela um Brasil atrasado

Por Sucena Shkrada Resk A discussão sobre a gestão dos resíduos sólidos no Brasil revela a fragilidade que vivemos em nosso país. A Política Nacional (Lei  12305, de 2010), que veio com um arcabouço importante, foi perdendo força com o passar do tempo, em vários aspectos, por causa da...
21/06/2015 17:01

Marco da biodiversidade: muito além do papel

Por Sucena Shkrada Resk Os processos de conquista de direitos socioambientais no Brasil são árduos, porque por muitas vezes, ficam circunscritos a belas palavras dispostas no papel, que não se traduzem em regulamentação e prática.  O recente Marco da Biodiversidade brasileiro (Lei 13.123),...
23/04/2015 12:18

Parque Nacional da Serra da Capivara (PI): um patrimônio mundial a céu aberto

Texto e fotos: Sucena Shkrada Resk Um ano de maturação até conseguir conhecer o Parque Nacional da Serra da Capivara (PI), a Fundação Museu do Homem Americano (Fumdham) e a Cerâmica da Serra da Capivara, em novembro de 2014. Foi praticamente um período de gestação, que gerou alguns "filhos"...
04/04/2015 20:18

Um dia no “Velho Chico”

Crédito das fotos: Sucena Shkrada Resk Por Sucena Shkrada Resk “Descoberta e sensação de pertencimento”. Essas talvez sejam as palavras certas para definir o que me acompanhou há alguns meses, em uma viagem ao Nordeste, quando parti para a navegação fluvial no “Velho Chico”. Até hoje, essa...
18/02/2015 12:50

Ana das Carrancas, uma personagem ligada ao "Velho Chico"

Fotos: Sucena Shkrada Resk Por Sucena Shkrada Resk  A ‘dama de barro’. Assim era conhecida Ana das Carrancas, que se tornou uma personagem cultural reconhecida em Pernambuco e no Brasil, por seus trabalhos moldados no barro às margens do rio São Francisco, na região de Petrolina. A artista...

© 2018 Todos os direitos reservados.

Blog Cidadãos do Mundo-jornalista Sucena Shkrada Resk