Jogo de titãs: O implacável Antropoceno x a resiliência ecossistêmica

27/03/2018 12:29

Por Sucena Shkrada Resk 

Hoje 75% da superfície terrestre estão impactadas pelas atividades humanas e a projeção é de que essa destruição atinja 85% até 2050  e já afeta pelo menos 3,2 bilhões de pessoas no planeta. Alguém acha pouco? Mais de 100 pesquisadores de 45 países da Plataforma Intergovernamental de Políticas Científicas sobre Biodiversidade e Serviços Ecossistêmicos (IPBES), que reúne a representação de 129 estados-membros, produziram o relatório sobre o Agravamento da degradação do solo causado pelas atividades humanas e restauração, o qual alerta sobre os efeitos implacáveis no Antropoceno e propõe alternativas de remediação. O documento, resultado de um trabalho de três anos, foi divulgado nesta segunda-feira (26/3), na Colômbia,  ampliando a mensagem da Organizações das Nações Unidas (ONU), que destacou também neste mês que a saída para a gestão das águas está nos “Serviços Baseados na Natureza” (SbN) (veja #Recursoshídricos: o pedido de socorro ao Ecossistema).

Biodiversidade, serviços ecossistêmicos, mudanças climáticas, segurança alimentar, energia... um leque de eixos fundamentais para o bem-viver estão sendo atacados. Se nada for feito, a humanidade caminha para a sexta extinção das espécies em massa, segundo os cientistas. Os pesquisadores reiteram a necessidade iminente de restaurar e reabilitar os ecossistemas atingidos, sendo que alguns já revelam perdas irreversíveis. As ações devem ser multidisciplinares, envolvendo agendas agrícola, florestal, energética, hídrica e de infraestrutura e serviços. E afirmam - Em média, os benefícios da restauração são 10 vezes superiores aos custos (estimados em nove biomas diferentes) e, para regiões como a Ásia e África, o custo da inação em face da degradação da terra é pelo menos três vezes maior do que o custo de ação.

Rolo compressor

O relatório destaca que mais de 1,5 bilhão de hectares de ecossistemas foram destruídos pela agricultura e pastagem praticadas de forma não-sustentável até o ano de 2014 (sendo no Brasil, mais de 200 milhões de ha), área superior a um terço da Terra. Paralelamente o modelo de consumo excessivo é um fator que contribui para que haja cada vez mais a extração de bens naturais e minerais, de forma descontrolada. Ao mesmo tempo, desperdiçamos no Planeta até 40% do que consumimos. Com isso, não há conta que feche. Esta relação de algoz e vítima ao mesmo tempo revela a esquizofrenia de uma contemporaneidade desenvolvimentista. É o implacável Antropoceno revelado em suas facetas mais cruéis. Esses impactos equivalem a 10% do Produto Interno Bruto (PIB) mundial anual (ano de 2010).

A vulnerabilidade maior está nas condições das zonas úmidas, cuja destruição chega à 87%. Entre 1970 e 2012, os pesquisadores destacam que o índice do tamanho médio da população de espécies terrestres selvagens de vertebrados caiu em 38% e em espécies de água doce em 81%.

Os pesquisadores afirmam que mais de dois quintos da população planetária (3,2 bilhões) já sentem de alguma forma os efeitos desta destruição. Os deslocamentos migratórios com estas catástrofes ambientais têm crescido de forma assustadora. Um êxodo de pessoas que fogem literalmente da pobreza extrema, da humilhação e da morte. Cada perda de 5% do produto interno bruto, em parte causada pela degradação, está associada a um aumento de 12% na probabilidade de conflito violento.  O caminho para a maior extensão territorial de seca sinaliza que a combinação da destruição da terra mais as mudanças climáticas possa aumentar em até 45% estes confrontos.

Os pesquisadores alertam para a expansão descontrolada do uso de fertilizantes e pesticidas, que deve dobrar até 2050. Os efeitos deletérios que já são observados na atualidade revelam que estes produtos químicos estão contaminando o solo e os sistemas aquáticos. Como exemplo, citam que algumas regiões nas zonas costeiras, como o Golfo do México, estão mortas.

Até 2050, é previsto que a combinação de degradação da terra e mudança climática reduza a produtividade global das culturas em uma média de 10%, e em até 50% em algumas regiões. As principais regiões afetadas deverão ser as Américas Central e do Sul, a África subsaariana e a Ásia.

Nós, seres humanos, mesmo que empiricamente, sabemos exatamente o que fazer para que não agonizemos em um planeta em destruição, já que uma boa parcela da sociedade (pela ignorância, inação, omissão ou por ação concreta) é responsável pela aceleração deste processo degenerativo. Esta frase pode soar taxativa, mas a equação demonstrada pela realidade não deixa sombra de dúvidas.

Escapar deste rolo compressor é como estar numa arena onde lutam titãs. Talvez alguns locais mais ermos do planeta possam estar nesta lista, como trechos distantes dos polos, desertos e pontos inacessíveis de florestas tropicais, de acordo com Robert Scholes, um dos cientistas coordenadores do trabalho. Mudarmos o modelo de consumo e da relação com a polis, com o meio ambiente se torna determinante para a sociedade, neste palco em que as opções se tornam cada vez mais escassas.

Veja também no Blog Cidadãos do Mundo – jornalista Sucena Shkrada Resk:
19/03/2018 – Março de 2018: seca e estiagem marcam a realidade brasileira, na semana dos fóruns das águas
29/01/2018 - #Saneamentoambiental: Tamanduateí, um rio metropolitano em agonia
26/01/2018 - #Saneamentoambiental - 2018, lixões e aterros controlados: uma realidade ainda gritante no Brasil 
19/01/2018 - #Saúdeambiental: O que tirar de proveito no Brasil do exemplo da mobilização pela recuperação da Bacia do Tejo, em Portugal?
17/01/2018 - #Saúdeambiental - Até quando políticos não priorizarão solução para esgoto em agenda pública? 
28/08/2016 – Savanização da Amazônia a olhos nus
23/02/2016 - Esgotamento sanitário mais uma vez relegado a segundo plano no Brasil 
04/04/2015 – Um dia no “Velho Chico”
O “Velho Chico” tem sede  
14/11/2014 – Crise hídrica estimula protagonismo da sociedade
26/09/2014 - Aristides Almeida Rocha: um olhar atento ao saneamento ambiental
18/08/2014 - Qualidade das águas em SP (Como entender a gestão das águas - Parte 2)
15/08/2014 - Como entender a gestão das águas no estado de SP?
14/10/2013 - Água: um bem depreciado na sociedade do desperdício
22/03/2013 - Água "pura, quero ver-te...
14/01/2013 – A desertificação e o consumo insconsciente
24/08/2012 - Coleta e tratamento de esgoto: como será quando chegarmos a 2050?
07/06/2012 – Rumo à Rio Mais 20: o valor oculto da água
03/05/2012 – Rumo à Rio Mais 20: seca, fome, morte e draft zero
10/03/2012 – Refugiados climáticos: do alerta ao fato
Entre outras...

*Blog Cidadãos do Mundo – jornalista Sucena Shkrada Resk

Pesquisar no site

Blog

24/10/2012 19:03

Frota veicular deve aumentar, mas e a nossa qualidade de vida?, por Sucena Shkrada Resk

#Inacreditável - Para completar o dia, acabei de ver a notícia de que a presidente Dilma Rousseff prorrogou o Imposto sobre Produtos Industrializados (IPI) reduzido para os carros até dezembro... Nas entrelinhas, isso significa que deve aumentar a frota, a emissão de partículas finas, de toda a...
01/10/2012 17:07

Terceira idade: com tão pouco, é possível fazer muito, por Sucena Shkrada Resk

O planeta envelhece e se renova e o ser humano também tende a ter mais tempo de vida nesse complexo organismo chamado Terra, e como lida com isso? No Brasil, a expectativa é que 64 milhões de pessoas estejam na fase da terceira e quarta idade contra cerca de 21 milhões atuais, segundo o Fundo de...
21/09/2012 10:40

Refugiados: o quanto compreendemos dessa realidade?, por Sucena Shkrada Resk

O colombiano J.M. convive até hoje com sequelas físicas e psicológicas do tempo em que foi seqüestrado político em seu país, por 45 dias, que pareceram anos. Refugiado no Brasil há quatro anos, tenta se restabelecer, mas ainda teme pela vida de familiares que ficaram por lá. J.M, de origem síria,...
31/08/2012 15:36

Do conhecimento tradicional à fitoterapia, por Sucena Shkrada Resk

O Formulário de #FitoterápicosdaFarmacopeiabrasileira - https://www.anvisa.gov.br/farmacopeiabrasileira/conteudo/Formulario_de_Fitoterapicos_da_Farmacopeia_Brasileira.pdf, criado pela Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) é uma fonte de pesquisa interessante, e que nos faz ir de encontro...
31/08/2012 13:29

#Educaçãoempauta - crianças fora da escola, uma agenda importante no Brasil, por Sucena Shkrada Resk

"A sustentabilidade passa pelo acesso à educação inclusiva e com qualidade...e que faça com que os estudantes se reconheçam como protagonistas neste mundo..." 31/08 Hoje foi lançado o relatório "Todas as crianças na escola em 2015" – Iniciativa global pelas crianças fora da escola - (...
30/08/2012 11:22

Olhar sobre os problemas socioambientais do cotidiano - ABCDMRR, por Sucena Shkrada Resk

Nada de querer começar pelo grande, mas sim do pequeno e seguir o rumo natural das coisas. Por que essa frase? Porque essa é a lógica, o primeiro passo para o reconhecimento e sensibilização sobre os problemas socioambientais. E esse preâmbulo é para falar de minha contribuição hoje para fomentar...
28/08/2012 11:16

Jovem estudante ativista nos leva a muitas reflexões, por Sucena Shkrada Resk

Eu dediquei alguns momentos, agora, pela manhã, para conhecer sua página do facebook Diário de Classe - A Verdade, criada por você, Isadora Faber, 13 anos, estudante de Florianópolis, em 11 de julho ( https://www.facebook.com/pages/Di%C3%A1rio-de-Classe/261964980576682 ). A dica foi de meu colega...
27/08/2012 13:26

No contexto das nove fronteiras, por Sucena Shkrada Resk

No contexto do acompanhamento antes, durante e pós - Rio+20 (Conferência das Nações Unidas sobre Desenvolvimento Sustentável), alguns trabalhos interessantes estão sendo realizados por organizações de pesquisa mundialmente. Um deles é promovido, desde 2009, pelo Centro de Resiliência de Estocolmo -...
24/08/2012 21:48

Nota: O lado direito do cérebro na proposta coletiva, por Sucena Shkrada Resk

Nota: O lado direito do cérebro na proposta coletiva, por Sucena Shkrada Resk “O lado direito” do cérebro (das emoções) tem sido negligenciado... e precisamos mudar os modelos mentais. Essas palavras de Rachel Cavalcanti Stefanuto, economista com Doutorado em Sustentabilidade, que é docente da...
24/08/2012 19:40

Coleta e tratamento de esgoto: como será quando chegarmos a 2050?, por Sucena S.Resk

Crianças morrem por doenças hídricas e milhares de famílias ainda não têm acesso ao mínimo de condições sanitárias em nosso país, no século XXI. Isso não é ficção e nem está tão longe de nossos olhos, como pensamos. São situações que podem ser encontradas nas grandes metrópoles como também nos...
24/08/2012 11:24

Quando as ideias propõem algo coletivo, por Sucena Shkrada Resk

Ao participar (como ouvinte) no Festival de Ideias 2012 e RIA Festival, no auditório Ibirapuera, no último dia 22, achei muito interessante a proposta do evento em fomentar propostas que agregam a ideia do coletivo. Ao todo, foram escolhidas 21 ideias, e seus autores e coautores estavam lá, num...
20/08/2012 15:26

Eventos naturais extremos: prevenção no centro da pauta, por Sucena Shkrada Resk

Com a proximidade da Conferência das Partes da Convenção-Quadro das Nações Unidas sobre Mudança do Clima (COP18), em Doha, no Qatar, de 26 de novembro a 7 de dezembro, teoricamente poderíamos considerar que não seriam necessários muito argumentos para se defender os princípios da prevenção e da...
07/08/2012 13:28

Políticas fragmentadas e mudanças climáticas intensificam crise na África, por Sucena Shkrada Resk

07/08/2012 13:28 O grau de vulnerabilidade pelo qual passam os cidadãos de vários países da África se intensificou nos últimos meses, com o quadro de seca e consequente desertificação. Países do Sahel (Chade, Mali, Mauritânia e Níger, Senegal e as regiões do norte do Camarões e Nigéria), do Chifre...
06/08/2012 20:43

Reflexão: 67 anos de Hiroshima, por Sucena Shkrada Resk

#67anosdeHiroshima - "Não esquecer...não repetir..." - Um mantra a ser mantido na atualidade, quando falam de acervos bélicos nucleares e armas químicas...Como passar uma borracha em tanta dor e falta de amor? Pessoas, animais - seres vivos - foram pulverizados, famílias ficaram destruídas na sua...
06/08/2012 11:14

Nota: Arthur Zanetti, de SCS, transforma seu sonho em realidade em Londres, por Sucena Shkrada Resk

Arthur Zanetti, 22 anos, de São Caetano do Sul, que ganhou hoje o ouro olímpico nas argolas, em Londres, começou a sua jornada no esporte, no SERC Santa Maria (bairro onde moro) há 10 anos. Perseverante e esforçado chegou ao pódio. Parabéns pela sua trajetória e empenho (pessoal e em equipe)!...
31/07/2012 10:21

Nota: Núcleo de Ecojornalistas é criado no Amazonas, por Sucena Shkrada Resk

Jornalismo_Ambiental - Dia 27 de julho, foi dado o pontapé inicial à criação do Núcleo de Ecojornalistas do Amazonas (Nejam), que será integrado ao Sindicato dos Jornalistas do Amazonas, e da Rede Amazonense de Jornalismo Ambiental (Raja). Essa última se propõe a ser uma plataforma de interação...
30/07/2012 15:48

Quanto da Mata Atlântica matamos dentro e fora de nós?, por Sucena Shkrada Resk

Mais de 120 milhões de pessoas vivem na Mata Atlântica (https://www.mma.gov.br/biomas/mata-atlantica), que ocupa 1.315.460 km2 em 17 estados, do PI ao RS (correspondente a praticamente o tamanho do País de Gales), num país de quase 192 milhões de pessoas. Essa região representa 70% do Produto...
27/07/2012 10:23

Paranapiacaba: uma leitura para sua conservação, por Sucena Shkrada Resk

Paranapiacaba, em Santo André, é um dos destinos ao qual mais gosto de retornar até hoje, desde 2002, quando a "descobri", como repórter do Diário do Grande ABC (onde trabalhava à época até 2005). A cada matéria feita por lá, voltava impregnada de história e certa da importância de sua...
24/07/2012 14:17

Coleta seletiva: na busca da compreensão do caminho das pedras em SCS, por Sucena Shkrada Resk

Há alguns anos, em São Caetano do Sul, é realizada a coleta seletiva, com coletores distribuídos pela cidade, onde rotineiramente levo os resíduos recicláveis de minha casa, além do recolhimento porta a porta em alguns bairros, de forma gradativa. Mas falta informação quanto ao destino desse...
10/07/2012 17:08

Copacabana sob a perspectiva de Nazaré, uma de suas mais antigas moradoras, por Sucena Shkrada Resk

Copacabana completou 120 anos e tem algo peculiar e inspirador, que chama a atenção, além da beleza de sua praia, eternizada pela Bossa Nova, e o charme de suas construções. São as conquistas de sua população da maior idade, de sua gente. Estima-se que um a cada três moradores de lá está nesta...

© 2020 Todos os direitos reservados.

Blog Cidadãos do Mundo-jornalista Sucena Shkrada Resk