Ilhas do Pacífico: as lições das crianças das nações insulares na COP 23 – Bula!

18/12/2017 12:27

Por Sucena Shkrada Resk

Crédito: UnicefA Aliança dos Pequenos Estados Insulares (em inglês, Alliance of Small Island States – AOSIS, com 39 países) assumiu, pela primeira vez, um protagonismo na condução da Convenção-Quadro das Nações Unidas sobre a Mudança do Clima (COP 23), em Bonn, Alemanha, ao ter na presidência o governo de Fiji, que trouxe uma carga de humanização importante no histórico das conferências. O primeiro-ministro Frank Bainimarama levou para a mesa de negociações a metodologia do "espírito Bula" de fidelidade de inclusão, simpatia e solidariedade, que exprime o conceito pacífico de talanoa. O retrocesso do governo norte-americano na pauta não tirou o brilho dessa iniciativa, que continuará com o Diálogo Talanoa, programado para 2018.

Ouvir os jovens Timoci Naulusala, 12 anos, da província de Tailevu,  e  Shalvi Shakshi, 10, de Tuatua, Labasa  promoveu a sensibilização dos interlocutores da conferência sobre a realidade vivida por quem sofre com as mudanças climáticas na pele. A carga de inocência dessas crianças e o sentimento latente, principalmente ao tocar em “feridas ainda abertas” das privações aos acessos à água, alimentos, decorrentes dos eventos extremos, traz a veracidade necessária para se fugir do ciclo vicioso dos discursos tecnocratas. Entre os países do grupo, Ilhas Salomão, Papua Nova Guiné, Vanuatu e Tonga são os que mais sofrem com eventos extremos.

A COP23 ocorria e os furacões Irma e Maria também já haviam deixado um rastro de destruição em países da AOSIS, como Antígua e Barbuda, Dominica e Cuba, além de Porto Rico, nação observadora da Aliança. Mortes, desabrigados e R$ 40 bi de estimativa de efeitos da devastação.

Este outro vídeo, no qual o pequeno Timoci narra a vida que leva com sua família, na pequena vila, que sofreu os impactos climáticos, apresenta uma carga emocional e de “urgência” e “resiliência” ao mesmo tempo. Shalvi também mostra seu povoado afetado pelo ciclone Winston, em fevereiro de 2016, e a preocupação com o futuro da comunidade. Essas populações, em sua maioria, são agricultores familiares, que têm suas subsistências oriundas do que cultivam na terra.

Ações pontuais de adaptação

Hoje saber que existem ações em andamento de adaptação espalhadas pelo mundo, com um recorte especial no continente africano, mesmo que ainda muito aquém do necessário, se traduz em uma mensagem de esperança nas entrelinhas das negociações.

Algumas experiências foram destacadas na COP23, em exposição do fundo de adaptação. Mas é necessário explicar que não é possível mensurar a eficácia de todas, tendo em vista, que algumas são polêmicas, no recorte socioambiental.

Entre as dezenas de relatos, há ações interessantes de países insulares, como a campanha Salve Tuvalu para salvar o mundo!, com 10 mil imagens... e o plano internacional de adaptação centrado na criança, que mostra o contexto da região da Ásia-Pacífico, que tem 750 milhões de jovens, entre 15 e 24 anos e mais de um quarto da população menor que 14 anos. A proposta é que cada comunidade e escola projete e implemente a projetos de adaptação que usam financiamento em pequena escala, com a participação dos governos locais.

Integram esta iniciativa 14 países: Bangladesh, Indonésia, Laos, Myanmar, Nepal, Filipinas, Tailândia e Vietnã na Ásia; e Fiji, Kiribati, Papua Nova Guiné, Ilhas Salomão, Tonga e Tuvalu no Pacífico. O projeto é apoiado pelo governo australiano, bem como Fundação COFRA e OAK com público adicional de doadores da Espanha.

O Senegal está sendo pioneiro com a utilização de recursos de acesso direito com o projeto Centro de Acompanhamento Ecológico, que tem forte participação feminina e de jovens. Esta modalidade permite uma maior apropriação para implementação das finanças climáticas.

Num escopo mais global, há a Organização Global de Parceria sobre a Água (GWP), entre outras ações.

O peso dos insulares na COP23 teve mais um capítulo interessante que resultou no Ocean Pathway, que introduziu o componente oceano de forma mais sistemática nas negociações. O aumento  do nível do mar já tem seus efeitos sentidos por estes países.

Por outro lado, os efeitos práticos em âmbito global da COP23 ainda estão muito distantes do necessário no tocante à implementação dos acordos, principalmente no que se refere ao apoio dos países mais ricos e poluidores aos processos de adaptação dessas nações que já sofrem a pressão do nível do mar que aumenta ano a ano, além do avanço dos eventos climáticos extremos que têm devastado estes países. Lembrando que ano a ano, os apelos são reiterados.

É difícil acreditar na possibilidade real de o aumento da temperatura média do planeta ficar abaixo de 2 graus até o final do século. Justamente uma semana antes da abertura da Conferência, a Organização Meteorológica Mundial (OMM) divulgou que os níveis de dióxido de carbono (CO2) na atmosfera aumentaram em uma “velocidade recorde” em 2016.

Muitos dos acordos tecidos na COP 21, de Paris, permanecem fragilizados nestas COPs posteriores, quando se observa os encaminhamentos internos dos países que têm de diminuir e acabar com suas fontes fósseis em suas matrizes, incluindo o Brasil. O que teremos de novo na COP 24, que será em Katowice, na Polônia, em dezembro do ano que vem: uma verdadeira incógnita. Isso, no entanto, não tira a importância dos insulares neste ano de 2017.

Veja mais no Blog Cidadãos do Mundo – jornalista Sucena Shkrada Resk:
26/12/2015 – Implementação é a palavra-chave após a COP21
01/11/2015 – Mudanças climáticas: a COP21 das utopias
20/09/2015 – O lamento dos sem-árvore
30/08/2015 – Rumo à COP21: o desmatamento na Amazônia continua a ser um desafio
03/01/2015 – Mafalda, a COP20, o estado do mundo e o Brasil
04/11/2014 Decisões geopolíticas definem os caminhos das mudanças climáticas
29/10/2014 – Especial Biodiversidade Parte 2: declínio de espécies ecoa alerta
16/09/2014 - Especial Desenvolvimento Sustentável (Parte 3): de olho na justiça climática
12/09/2014 - Especial - Desenvolvimento Sustentável: como sair do círculo dos gabinetes?
29/08/2014 - Alerta vermelho ao estado de conservação da biodiversidade costeira e marinha brasileira
07/08/12 - Políticas fragmentadas e mudanças climáticas intensificam crise na África
14/10/2013 - Água: um bem depreciado na sociedade do desperdício

14/01/2013 - Reflexão: a desertificação e o consumo inconsciente
27/08/2012 -No contexto das nove fronteiras
20/08/2012 - Eventos naturais extremos: prevenção no centro da pauta
07/08/2012 - Políticas fragmentadas e mudanças climáticas intensificam crise na África
23/05/2012 - Riomais20 - Como tratará da realidade da África Subsaariana
10/03/12 - Refugiados climáticos: do alerta ao fato
09/11/2011 - Refletindo sobre o Estado do Futuro
04/03/2012 - Pensata - Rio+20: agora é a vez do como
13/01/2012 -Rio+20: O que fazemos com tanta informação?
27/12/2011 - As teias que ligam a COP17 com a Rio+20
10/12/2011 -Relatório de Adaptação do IPCC: será que eles leram
09/11/2011 - Refletindo sobre o Estado do Futuro/Projeto Millennium
07/10/2011 – Russell Mittermeier-p1: foco em conservação das espécies e áreas protegidas
27/09/2011 - Quem quer fazer parte da estatística fatal provocada pela poluição?
13/09/2011 - A Rio+20 sob o olhar de quem esteve na ECO 92
07/08/2011 - O que se fala sobre vulnerabilidade climática (parte 1)
31/07/2011 -  Um diálogo com a Ecosofia
22/07/2011 - Alerta sobre o flagelo africano
28/06/2010  - A relação das APPs e as enchentes nordestinas
01/02/2010 -  Esp.FSM 2010 - Qual é a nossa conjuntura ambiental?
22/12/2009 - Especial COP15: Agora é a vez do panettone
19/12/2009 - Especial COP15 - O desacordo sela encontro
13/12/2009 - Especial COP15 - O balanço dos antagonismos
10/12/2009 - Especial COP15 - Lembrem bem deste nome – Tuvalu
06/12/2009  - Copenhague vira o centro do planeta
29/11/2009 - O caminho da economia verde
22/11/2009 - EIMA7: Como sair na contramão dos rumos das mudanças climáticas?
22/11/2009 - EIMA7: Entrevista: Giovanni Barontini sobre a COP-15
13/09/2009 - Qual 'casa' podemos construir para nós?
18/05/2009 - Especial II FCS - 3 - Um jornalismo mais comprometido
10/12/2008 - DHs: começam pelo princípio de dar dignidade à vida
29/07/2008 - Parte 2 - Plano Nacional de Mudanças Climáticas vai à consulta pública
01/04/2008 - Parte 1 - No caminho da Política Nacional de Mudanças Climáticas
05/09/2007 - As fronteiras das zonas de conflito
*Blog Cidadãos do Mundo – jornalista Sucena Shkrada Resk


 

Pesquisar no site

Blog

08/02/2015 12:01

Castanheira viva, um sinal da floresta em pé

crédito das fotos: Sucena Shkrada Resk   Por Sucena Shkrada Resk Mais que sombra, mais que frutos, a castanheira viva é símbolo da floresta em pé no bioma amazônico. Alta, soberana, se destaca na paisagem, mas depende de seus pares nativos de outras espécies para ficar vigorosa. Pode atingir...
26/01/2015 13:06

As perguntas encontram sentido nas coisas aparentemente miúdas

Por Sucena Shkrada ReskUm dia estava eu na atmosfera paulista da mata atlântica, vivendo um cotidiano entre São Caetano do Sul e São Paulo, e no outro já estava fincando os pés em Alta Floresta e depois, em Cotriguaçu, na Amazônia matogrossense. Um mero deslocamento geográfico e de bioma? Não,...
10/01/2015 15:18

Nivaldo, o artesão: uma história enraizada na Serra da Capivara (PI)

O oleiro e artesão Nivaldo Coelho de Oliveira é o segundo personagem entrevistados pelo Projeto Vozes dos Biomas - jornalista Sucena Shkrada Resk, na Serra da Capivara   Bioma Caatinga Entrevistado (2): artesão Nivaldo Coelho de Oliveira, 82 anos, da Cerâmica Serra da Capivara obs: auxiliou a...
08/01/2015 09:42

Vozes dos Biomas: início de um ideal jornalístico

Por Sucena Shkrada Resk  #Vozesdosbiomas - #Jornalismoambiental   Estou divulgando hoje uma iniciativa de jornalismo audiovisual socioambiental que estou gestando há quase dois anos: Projeto Vozes dos Biomas -  jornalista Sucena Shkrada Resk, e dei início neste mês. Como o...
03/01/2015 13:42

Mafalda, a COP20, o estado do mundo e do Brasil

Exposição "O Mundo segundo Mafalda", em cartaz gratuitamente na Praça das Artes, em São Paulo. (Crédito das fotos: Sucena Shkrada Resk) Por Sucena Shkrada Resk A eterna Mafalda completou meio século e continua sagaz como sempre. A personagem carismática criada pelo cartunista argentino Quino tem...
14/12/2014 22:00

Paranapiacaba: um manancial estratégico na Mata Atlântica

Em Parque Natural Municipal ficam nascentes do rio Grande, principal formador da represa Billings Por Sucena Shkrada Resk(texto e fotos) A água brota da terra, de forma quase imperceptível e continuamente. É preciso fixar os olhos para perceber esse delicado processo natural. Na superfície, mais...
23/11/2014 17:17

Os resíduos nossos de cada dia no Brasil e a relação com as mudanças climáticas

Do total de emissões de Gases de Efeito Estufa (GEEs) no país, 4% são provenientes dessa fonte principalmente por causa da presença de lixões e da falta de estrutura de saneamento Por Sucena Shkrada Resk O estudo "Sistema de Estimativa de Emissões de Gases de Efeito Estufa (SEEG 2.0)-edição 2014",...
18/11/2014 18:19

Pantanal: um bioma rico em serviços ecossistêmicos

crédito da foto: Sucena Shkrada Resk Reconhecimento do seu valor existe, mas a pressão ainda é muito maior Por Sucena Shkrada Resk Reconhecer o valor é o primeiro passo. Neste quesito, o Pantanal matogrossense – cujo dia foi celebrado em 12 de novembro - ganha visibilidade mundial ao longo do...
14/11/2014 16:50

Crise hídrica estimula protagonismo da sociedade

Campanhas e mobilizações começam a se multiplicar Por Sucena Shkrada Resk Dizem que momentos de crise podem fazer com que descubramos o ‘nosso melhor’. A afirmação tem fundamento, quando vimos o reflexo do exercício de cidadania crescente ao contexto da prolongada estiagem, a pior dos últimos 80...
13/11/2014 12:41

Manoel de Barros: o descobridor de memórias fósseis

Poeta pantaneiro falece aos 97 anos e deixa sua poesia rica em humanidade e vivência próxima à natureza Por Sucena Shkrada Resk “...A terapia literária consiste em desarrumar a linguagem a ponto que ela expresse nossos mais fundos desejos. Quero a palavra que sirva na boca dos passarinhos......
12/11/2014 17:07

Justiça socioambiental: um grande gargalo no Brasil

País é considerado o mais perigoso para os ativistas e o registro de mortes tem aumentado nos últimos anos Por Sucena Shkrada Resk O povo Guarani-Kaiowá está em luto. Mais uma representante da etnia foi brutalmente assassinada no último dia 31 de outubro, em Dourados, MS. Marinalva Manoel Kaiowá,...
04/11/2014 15:13

Decisões geopolíticas definem o caminho das mudanças climáticas

Caso continue o desenvolvimento pautado pelos combustíveis fósseis e pelo desmatamento, se desenha o pior cenário até o fim do século; posição brasileira é estratégica neste desafio Por Sucena Shkrada Resk Tudo junto, tudo misturado. Até onde vai a extensão da postura geopolítica mundial e sua...
29/10/2014 21:16

Especial Biodiversidade (Parte 2): declínio de espécies ecoa alerta

Situação está interligada com a pegada ecológica do ser humano e consequentemente ao quadro crescente das mudanças climáticas Por Sucena Shkrada Resk A fauna presente na América Latina está declinando nas últimas quatro décadas de forma ascendente, mais que em todo o globo. O silêncio começa a...
20/10/2014 17:24

Encheremos um balde d`água?

Escassez hídrica não pode ser colocada na conta de “São Pedro” Por Sucena Shkrada Resk As nascentes do São Francisco (MG) estão praticamente secas, colocando em risco a existência do rio da integração nacional, que já sofre em toda sua extensão. O Paraíba do Sul, que abastece (RJ, SP e MG), está...
16/10/2014 14:26

Guaranis-Kaiowás resistem à dinâmica da desigualdade, mas até quando?

Povo indígena tenta ser ouvido por autoridades Por Sucena Shkrada Resk Ter o direito de se expressar e se fazer ouvido e assistido em suas reivindicações pelas instâncias deliberativas brasileiras, desde os Governos federal e estadual à esfera judicial. Esse anseio tem sido manifestado pelo povo...
15/10/2014 18:05

Especial Biodiversidade (Parte 1): Protocolo de Nagoya passa a valer, sem o Brasil

País não ratificou o documento no Congresso Nacional Por Sucena Shkrada Resk Agora está oficialmente validado internacionalmente. Desde o dia 12 de outubro, entrou em vigor o Protocolo de Nagoya sobre Acesso a Recursos Genéticos e a Partilha Equitativa Justa dos Benefícios Decorrentes da sua...
13/10/2014 14:47

Uma paquistanesa e um indiano num propósito em comum: o direito à infância digna

Ativistas, vencedores do Nobel da Paz, dão voz àqueles que são oprimidos Por Sucena Shkrada Resk O universo geopolítico é marcado por cisões de décadas que comprometem a qualidade de vida de suas populações, mas dois cidadãos conseguiram unir dois países separados, desde 1947, pelo menos, neste...
03/10/2014 19:16

O ‘Velho Chico’ tem sede

As nascentes do rio da integração nacional estão secando e a bacia carece de medidas de longo prazo Por Sucena Shkrada Resk Sedento. Assim está o ‘Velho Chico’. Nascentes no Parque Nacional da Serra da Canastra, na região do Alto São Francisco, em Minas Gerais, estão praticamente secas. Ao longo...
02/10/2014 15:14

Especial Desenvolvimento Sustentável (Parte 8): o Haiti não pode ser esquecido

Crédito da foto: Ivan Munox/Intermon_Oxfam Este país é o que mais necessita de apoio internacional hoje nas Américas Por Sucena Shkrada Resk Entre o mar do Caribe e o oceano Atlântico, ao lado da República Dominicana, lá está o Haiti. Este país insular, com 27,7 mil km2 (tamanho equivalente ao...
01/10/2014 10:49

Especial Desenvolvimento Sustentável (Parte 7): o direito dos povos indígenas

Em Conferência Mundial, povos reforçam a necessidade de assegurar o que já é acordado em documentos internacionais, e no Brasil, há mobilizações para defender demarcações e segurança dos índios Por Sucena Shkrada Resk Declarações, convenções internacionais e leis nacionais não são suficientes para...

© 2018 Todos os direitos reservados.

Blog Cidadãos do Mundo-jornalista Sucena Shkrada Resk