Especial Educom 2012: Grácia Lopes Lima fala dos objetivos do Cala-Boca Já Morreu,por Sucena S.Resk

06/04/2012 16:08

Durante o Encontro Paralelo de Educomunicação, no VII Fórum Brasileiro de Educação Ambiental, no último dia 28 de março, Grácia Lopes Lima, doutora em Educação e mestre em Ciências da Comunicação, concedeu entrevista ao Blog Cidadãos do Mundo, momento em que falou de seu olhar sobre o processo educomunicativo e os objetivos do projeto Cala-Boca Já Morreu, que teve seus primeiros passos a partir dos anos 90.

Blog Cidadãos do Mundo – Grácia, como você define a educomunicação?

Grácia Lopes Lima – Eu traduzo a educomunicação como o sinônimo de uma coisa muito simples, no meu entender, que é educação pelos meios de comunicação, ou seja, usar os meios de comunicação social (rádio, vídeo, internet), que atinge um público incontável para promover uma educação diferente daquela que a gente sempre recebeu essencialmente pela via escolar. Essa é para aprender a obedecer e se enquadrar, a ser objeto e não sujeito. É chamada de tradicional ou tecnicista. Isso quer dizer, que por muitas vezes, pensa-se em se produzir...produzir de forma fabril, em que há alguém que manda e outro que obedece. Por outro lado, diferente dessa, há a educação que queremos produzir pelos mesmos meios de comunicação, voltada ao fortalecimento do indivíduo e não ao “empoderamento” (termo muito utilizado nesta área).

Blog Cidadãos do Mundo – Qual é a diferença entre o fortalecimento e o empoderamento, na sua avaliação?

Grácia Lopes Lima – Há uma diferença brutal. O empoderamento é uma palavra que vem do inglês, que tem muito a ver com o desenvolvimento do individualismo – ‘eu sou um vencedor, invencível, então, eu me supero e fui escolhido como um cromossoma que venceu’ – e leva a querer ser mais que os outros. Já o fortalecimento propõe o desenvolvimento do indivíduo, que nasce completo e não pela metade, que junto com os outros no grupo segue essa proposta conjunta continuamente até ‘morrer’. Então, educomunicação é educar para essas questões – como recuperar o que me caracterizou como ser humano? Essa educação nos faz lembrar que nascemos para ser independentes da mãe e de qualquer outra pessoa, capazes de criar e sermos responsáveis por nós mesmos. Isso é um processo para a vida inteira, que não é possível se fazer sozinho, mas sempre junto com os outros. Em resumo, educomunicação é uma prática política de intervenção social, fazendo com que as pessoas recuperem o que nos caracteriza como seres humanos.

Blog Cidadãos do Mundo – A tecnologia é imprescindível para a educomunicação?

Grácia Lopes Lima – A tecnologia não é invenção da modernidade. Sempre existiu na leitura escrita, desde as inscrições nas cavernas, que eram tecnologias sofisticadíssimas, que poucos dominavam. Se você olhar na evolução, houve a modificação, com o formato digital, que tem a função parecida com o período das pedras. Hoje temos outros modos de ler as mensagens. Por isso, as tecnologias são imprescindíveis, para as sociedades que mantêm a leitura escrita, para escrever a própria história. Eu quero, por exemplo, jovens e velhos, sabendo usar um blog para contar sua própria história, seus pensamentos. Já para os agrafos, não é necessária a tecnologia, pois a tradição é oral. Elas dispensam o registro da palavra, porque consideram que a memória está no próprio corpo.

Blog Cidadãos do Mundo – Qual é o objetivo do Cala-Boca Já Morreu e seus desafios?

Grácia Lopes Lima – O Cala-Boca já Morreu nasceu com a proposta de uma empresa de educação chamada GENS, hoje Instituto GENS de Educação e Cultura, formada por dois professores. Um de filosofia (Donizeti) e uma de português (eu), muito inquietos quanto aos seus papéis no mundo e com relação à educação que optaram a desenvolver ao longo da vida. Que caminhos procurar para resgatar a autoria das pessoas? A escola formal contribui para perdermos essa autoria. A gente reproduz, fala a palavra dos outros. Isso desvaloriza a capacidade criativa. O GENS, em 1995, criou um programa de rádio com um grupo de crianças. Consideramos que é preciso ouvir as pessoas, desde a mais tenra idade. Elas acabaram se envolvendo tanto com as próprias palavras, que além do programa, fizeram jornal escrito e programa de TV. Isso demonstrou que quando estão envolvidas consigo, a tecnologia é a ferramenta que possibilita ouvir-se mais e prestar atenção a si mesmo e fez com que surgisse o projeto de educação pelos meios de comunicação.
Quando nos demos conta, nos anos 2000, aquelas mesmas crianças (então, adolescentes) continuavam conosco e nós, junto com eles. Então, pensamos, que essa ação da instituição, que era sem fins lucrativos, precisava caminhar com as próprias pernas. O Cala-Boca Já Morreu em 2004 passou a ter à sua frente essas crianças da década de 90. Atualmente, a sede fica em Pinheiros, em São Paulo, e desenvolvemos trabalhos semelhantes, coordenados por eles. Quem quer participar, em toda tarde de sábado, são realizadas oficinas de comunicação. Há crianças a partir de cinco anos e adolescentes fazendo rádio. O projeto ainda promove assessoria de educomunicação pelo Brasil inteiro. Todos são autônomos, ninguém é empregado de nenhuma empresa, desenvolvem projetos, como aprenderam conosco, desde aquele período.

Blog Cidadãos do Mundo – Como manter a ética na manutenção de patrocínio dos projetos?

Grácia Lopes Lima – Quando a gente diz que a pergunta principal para quem trabalha com educomunicação é: de onde vem o dinheiro que te mantém? Essa questão desencadeia as possibilidades de geração de renda. O Cala-Boca já Morreu optou por não entrar em editais, consegue trabalhos e não tem patrocinador. Hoje recebemos convites para desenvolver oficinas, palestras e projetos. Todo financiamento é gerado por trabalho pelos próprios participantes. Na sequência, conseguimos desenvolver um princípio de co-gestão, que permite a todos que participam do projeto, saber quanto entra do orçamento e decidir como será dividido. Neste momento, a definição é que independente do título acadêmico que a pessoa tenha e de função, todos ganhamos igualmente (mas não é uma cooperativa). Cada grupo terá de encontrar seu caminho. Mas é extremamente animador, quando aprendemos a ouvir nossos pares, pois nos tornamos companheiros e achamos as saídas.

Vejam também outros artigos e entrevistas a respeito de Educomunicação Ambiental, no Blog Cidadãos do Mundo:
26/03/12 - Encontro de Educomunicação no VII Fórum de EA
22/11/11 - CBJA: jornalista socioambiental na busca da liberdade
05/12/10 - Especial Fórum Social Pan-Amazônico – A luta só está no começo
10/06/10 - A multiplicidade da ação simbólica ambiental
25/05/10 - Pensata: Entre os discursos e as ações
03/04/10 - Educomunicação: Resolução Conama abre novas perspectivas
13/01/10 - Propostas da 1ª Conf. Nac. de Comunicação virarão lei?
17/11/09 - Especial Educomunicação Ambiental (4)-Entrevista:Maria del Carmen Chude
02/11/09 20 - Esp. EA (3)-Entrevista: Vilmar Berna
01/11/09 - Esp. EA (2)-Entrevista: André Trigueiro
26/10/09 -Esp. EA (1) - Entrevista: Heitor Queiroz de Medeiros
04/08/09 - Esp.-VI Fórum de Educação Ambiental-A importância do empoderamento.

 

Pesquisar no site

Blog

14/12/2014 22:00

Paranapiacaba: um manancial estratégico na Mata Atlântica

Em Parque Natural Municipal ficam nascentes do rio Grande, principal formador da represa Billings Por Sucena Shkrada Resk(texto e fotos) A água brota da terra, de forma quase imperceptível e continuamente. É preciso fixar os olhos para perceber esse delicado processo natural. Na superfície, mais...
23/11/2014 17:17

Os resíduos nossos de cada dia no Brasil e a relação com as mudanças climáticas

Do total de emissões de Gases de Efeito Estufa (GEEs) no país, 4% são provenientes dessa fonte principalmente por causa da presença de lixões e da falta de estrutura de saneamento Por Sucena Shkrada Resk O estudo "Sistema de Estimativa de Emissões de Gases de Efeito Estufa (SEEG 2.0)-edição 2014",...
18/11/2014 18:19

Pantanal: um bioma rico em serviços ecossistêmicos

crédito da foto: Sucena Shkrada Resk Reconhecimento do seu valor existe, mas a pressão ainda é muito maior Por Sucena Shkrada Resk Reconhecer o valor é o primeiro passo. Neste quesito, o Pantanal matogrossense – cujo dia foi celebrado em 12 de novembro - ganha visibilidade mundial ao longo do...
14/11/2014 16:50

Crise hídrica estimula protagonismo da sociedade

Campanhas e mobilizações começam a se multiplicar Por Sucena Shkrada Resk Dizem que momentos de crise podem fazer com que descubramos o ‘nosso melhor’. A afirmação tem fundamento, quando vimos o reflexo do exercício de cidadania crescente ao contexto da prolongada estiagem, a pior dos últimos 80...
13/11/2014 12:41

Manoel de Barros: o descobridor de memórias fósseis

Poeta pantaneiro falece aos 97 anos e deixa sua poesia rica em humanidade e vivência próxima à natureza Por Sucena Shkrada Resk “...A terapia literária consiste em desarrumar a linguagem a ponto que ela expresse nossos mais fundos desejos. Quero a palavra que sirva na boca dos passarinhos......
12/11/2014 17:07

Justiça socioambiental: um grande gargalo no Brasil

País é considerado o mais perigoso para os ativistas e o registro de mortes tem aumentado nos últimos anos Por Sucena Shkrada Resk O povo Guarani-Kaiowá está em luto. Mais uma representante da etnia foi brutalmente assassinada no último dia 31 de outubro, em Dourados, MS. Marinalva Manoel Kaiowá,...
04/11/2014 15:13

Decisões geopolíticas definem o caminho das mudanças climáticas

Caso continue o desenvolvimento pautado pelos combustíveis fósseis e pelo desmatamento, se desenha o pior cenário até o fim do século; posição brasileira é estratégica neste desafio Por Sucena Shkrada Resk Tudo junto, tudo misturado. Até onde vai a extensão da postura geopolítica mundial e sua...
29/10/2014 21:16

Especial Biodiversidade (Parte 2): declínio de espécies ecoa alerta

Situação está interligada com a pegada ecológica do ser humano e consequentemente ao quadro crescente das mudanças climáticas Por Sucena Shkrada Resk A fauna presente na América Latina está declinando nas últimas quatro décadas de forma ascendente, mais que em todo o globo. O silêncio começa a...
20/10/2014 17:24

Encheremos um balde d`água?

Escassez hídrica não pode ser colocada na conta de “São Pedro” Por Sucena Shkrada Resk As nascentes do São Francisco (MG) estão praticamente secas, colocando em risco a existência do rio da integração nacional, que já sofre em toda sua extensão. O Paraíba do Sul, que abastece (RJ, SP e MG), está...
16/10/2014 14:26

Guaranis-Kaiowás resistem à dinâmica da desigualdade, mas até quando?

Povo indígena tenta ser ouvido por autoridades Por Sucena Shkrada Resk Ter o direito de se expressar e se fazer ouvido e assistido em suas reivindicações pelas instâncias deliberativas brasileiras, desde os Governos federal e estadual à esfera judicial. Esse anseio tem sido manifestado pelo povo...
15/10/2014 18:05

Especial Biodiversidade (Parte 1): Protocolo de Nagoya passa a valer, sem o Brasil

País não ratificou o documento no Congresso Nacional Por Sucena Shkrada Resk Agora está oficialmente validado internacionalmente. Desde o dia 12 de outubro, entrou em vigor o Protocolo de Nagoya sobre Acesso a Recursos Genéticos e a Partilha Equitativa Justa dos Benefícios Decorrentes da sua...
13/10/2014 14:47

Uma paquistanesa e um indiano num propósito em comum: o direito à infância digna

Ativistas, vencedores do Nobel da Paz, dão voz àqueles que são oprimidos Por Sucena Shkrada Resk O universo geopolítico é marcado por cisões de décadas que comprometem a qualidade de vida de suas populações, mas dois cidadãos conseguiram unir dois países separados, desde 1947, pelo menos, neste...
03/10/2014 19:16

O ‘Velho Chico’ tem sede

As nascentes do rio da integração nacional estão secando e a bacia carece de medidas de longo prazo Por Sucena Shkrada Resk Sedento. Assim está o ‘Velho Chico’. Nascentes no Parque Nacional da Serra da Canastra, na região do Alto São Francisco, em Minas Gerais, estão praticamente secas. Ao longo...
02/10/2014 15:14

Especial Desenvolvimento Sustentável (Parte 8): o Haiti não pode ser esquecido

Crédito da foto: Ivan Munox/Intermon_Oxfam Este país é o que mais necessita de apoio internacional hoje nas Américas Por Sucena Shkrada Resk Entre o mar do Caribe e o oceano Atlântico, ao lado da República Dominicana, lá está o Haiti. Este país insular, com 27,7 mil km2 (tamanho equivalente ao...
01/10/2014 10:49

Especial Desenvolvimento Sustentável (Parte 7): o direito dos povos indígenas

Em Conferência Mundial, povos reforçam a necessidade de assegurar o que já é acordado em documentos internacionais, e no Brasil, há mobilizações para defender demarcações e segurança dos índios Por Sucena Shkrada Resk Declarações, convenções internacionais e leis nacionais não são suficientes para...
30/09/2014 16:09

Especial Desenvolvimento Sustentável (Parte 6): a longevidade diz muito

Qualidade de vida e felicidade são componentes que revelam as prioridades de políticas públicas Por Sucena Shkrada Resk Diga a verdade! Tem muita gente que quer saber o segredo das japonesas e dos islandeses, não é? Eu me incluo, neste contingente de curiosos. Afinal, segundo o Relatório Mundial da...
29/09/2014 16:49

Especial Desenvolvimento Sustentável (Parte 5): a Cúpula do Clima e a posição polêmica brasileira

País não assina a declaração mundial de países para atingir o desmatamento zero até 2030 Por Sucena Shkrada Resk Receio de quê? Esta é a primeira pergunta que vem à mente diante do posicionamento do Brasil em não assinar a declaração mundial resultante da Cúpula do Clima das Nações Unidas, com...
26/09/2014 15:09

Aristides Almeida Rocha: um olhar atento ao saneamento ambiental

  Especialista fala dos conceitos a ações e orientações práticas de soluções para corpos d´água importantes, como o rio Tietê, em São Paulo Por Sucena Shkrada Resk Praticamente meio século. Esta é a trajetória de Aristides Almeida Rocha, doutor em Ciências Biológicas, que durante a sua vida...
22/09/2014 18:04

Rio Tietê: um insistente subversivo

Por Sucena Shkrada Resk Hoje (22/09) é dia dele, de um dos rios mais ‘subversivos’ e com usos múltiplos brasileiros. Quem vê essa expressão, pode estranhar, mas já vou explicar. O adjetivo se aplica perfeitamente ao rio Tietê, que por aquelas condições que só a natureza explica, segue ao interior...
22/09/2014 10:27

Especial – Desenvolvimento Sustentável (Parte 4): caminhada pelo clima, sociedade quer ser ouvida

Crédito das fotos: Sucena Shkrada Resk  Por Sucena Shkrada Resk As pessoas foram chegando pouco a pouco e por volta das 15h do domingo, lá estavam cerca de 50 brasileiros e estrangeiros, entre crianças e adultos, que se deslocaram de diferentes pontos da Grande São Paulo, até o vão do Museu...

© 2018 Todos os direitos reservados.

Blog Cidadãos do Mundo-jornalista Sucena Shkrada Resk