Especial Desenvolvimento Sustentável (Parte 8): o Haiti não pode ser esquecido

02/10/2014 15:14

Crédito da foto: Ivan Munox/Intermon_Oxfam

Crédito da foto: Ivan Munox/Intermon_Oxfam

Este país é o que mais necessita de apoio internacional hoje nas Américas

Por Sucena Shkrada Resk

Entre o mar do Caribe e o oceano Atlântico, ao lado da República Dominicana, lá está o Haiti. Este país insular, com 27,7 mil km2 (tamanho equivalente ao estado de Alagoas)  e população predominantemente negra, de cerca de 10 milhões de habitantes, é o mais pobre e vulnerável das Américas, ou melhor, do hemisfério Ocidental. Para nós, brasileiros, se tornou o exemplo mais próximo – latino-americano - da conjunção de problemas geopolíticos do século XIX, que não podemos menosprezar ou invisibilizar. Tanto no recorte dos Objetivos do Desenvolvimento do Milênio (ODMs) como das propostas para os Objetivos do Desenvolvimento Sustentável (ODSs), após 2015, esta nação necessita, e muito, de apoio internacional em todas as metas. Como os países da África Subsaariana, encontra na resiliência de seu povo, um de seus principais instrumentos de defesa e sobrevivência.

Talvez muitas pessoas tenham esquecido, mas com certeza, a população haitiana, não. O ano de 2010 foi um dos mais impactantes para esse povo. Terremotos em janeiro daquele ano, na região da capital Porto Príncipe, resultaram na destruição de metade das construções, em mais de 250 mil feridos, além de desabrigar 1,5 milhão de habitantes. O pior: cerca de 300 mil habitantes morreram, incluindo, alguns brasileiros. Entre eles, estava a médica Zilda Arns Neumann, 73 anos, coordenadora internacional da Pastoral da Criança.

Quatro anos se passaram, e o retrato da carestia permanece. Apesar de 90% dos desabrigados terem retornado a suas casas (a maioria precárias), entorno de 146 mil continuam sobrevivendo em 271 campos de refugiados distribuídos no país. A ajuda internacional (na casa dos bilhões de dólares) prometida por diferentes países, principalmente dos EUA, não chegaram a atingir essas cifras e as contribuições hoje são insuficientes para a reconstrução e para possibilitar a retomada de autonomia do país, mas já trazem um pouco mais de alento aos haitianos. Milhares também estão se refugiando em outros países, como o Brasil. Esses deslocamentos estão reformulando a infraestrutura imigratória, que também tem a pegada climática, e é uma realidade que se torna mais presente e complexa de se lidar no mundo contemporâneo.

Segundo a Organização das Nações Unidas (ONU), o Plano de Ação Humanitária para o país em 2014 revela que ocorreram alguns avanços nos últimos anos. Os 1,5 milhão de pessoas em insegurança alimentar até o início de 2013 passaram a 600 mil, em outubro do mesmo ano. Já a taxa de mortalidade infantil foi reduzida para 59 por mil nascimentos (o que ainda é bem significativo) e as matrículas em escolas primárias passaram de 49,6% em 2006 para 77% em 2012. Boa parte da infraestrutura, entretanto, continua deteriorada e a incidência de casos, como de cólera, continua (representam metade dos registros no mundo). E o maior desafio: aproximadamente 30% dos 10 milhões de haitianos ainda sofrem necessidades crônicas e graves. Integrantes de organizações não governamentais, como Médicos Sem Fronteiras, Oxfam Internacional, Cruz Vermelha Internacional, entre outras continuam prestando assistência nas áreas de saúde e saneamento.

Segundo Relatório de Insegurança Alimentar 2014 da FAO (braço da agricultura e da alimentação da ONU), a insegurança alimentar no Haiti permanece relacionada aos altos níveis de extrema pobreza. Em 2001, 62% da população viviam com menos de US$ 1,25/dia. Com baixas taxas de crescimento econômico, com média de 0,8% ao ano, esse quadro pouco melhorou. Entre 2000 e 2012, a pobreza persistiu e as últimas estimativas sugerem que 40% da população vivia abaixo da linha ainda mais grave de US$ 1/dia. Os recorrentes desastres naturais, por sua vez, acentuam a fragilidade econômica.

Mas para tentar entender a complexidade do Haiti, é necessário lembrar que a extrema vulnerabilidade se apresenta no contexto de décadas de instabilidade socioeconômica, decorrente de governos ditatoriais, que contribuíram para um quadro de desemprego, subnutrição crônica, e praticamente insolvência de políticas públicas. Isso ocorreu numa atmosfera de corrupção, do narcotráfico e de guerras civis, além da destruição de suas florestas, pela ação predatória. Apesar de ser o primeiro país da América latina a conseguir independência (no seu caso, da França), no século XIX, hoje figura com um dos piores Índices de Desenvolvimento Humano (IDH).

O país depende predominantemente da importação de alimentos. Cerca de 80% de arroz e 100% de trigo, que são alimentos básicos, e respondem por um terço de calorias do consumo da população, são provenientes do mercado internacional. De acordo com a FAO, um dos principais caminhos encontrados atualmente para melhorar essa situação estão relacionados aos incentivos à agricultura familiar, que ajudam a abastecer o Programa Nacional de Alimentação Escolar . O governo também está adotando um Programa de Transferência Condicional de Renda a famílias em extrema pobreza, entre outras iniciativas.

De 1957 a 1986, prevaleceu a governança ditatorial do médico-sanitarista François Duvalier (Papa Doc) e depois, de seu filho Jean Claude Duvalier (Baby Doc). Na sequência, a liderança do país foi assumida por militares. As primeiras eleições livres ocorreram em 1990, com a posse do padre Jean-Bertrand-Aristide, que sofreu novo golpe militar, e só retornou em 1994. O gestor de negócios e agrônomo René Garcia Préval assumiu de 1996 a 2001 e depois de 2006 a 2011 e na sequência dele assumiu o músico Michel Joseph Martelly.

Hoje a fragilidade continua. Os organismos internacionais humanitários temem que ao menor choque haja a rápida deterioração do estado de segurança alimentar e nutricional da população, que ainda é lento. Para a reestruturação do país, estão sendo fortalecidas algumas instâncias administrativas, como a Coordenação Nacional de Segurança Alimentar,  a Direção Nacional de Abastecimento de Água e Saneamento, o Grupo de Trabalho sobre Proteção da Criança e a Direção de Proteção Civil. Mas é preciso muito, muito mais.

Veja também no Blog Cidadãos do Mundo – jornalista Sucena Shkrada Resk, outros artigos que escrevi sobre o tema:

01/10/2014 – Especial Desenvolvimento Sustentável (Parte 7): o direito dos povos indígenas 
30/09/2014 Especial Desenvolvimento Sustentável (Parte 6): a longevidade diz muito
29/09/2014 - Especial Desenvolvimento Sustentável (Parte 5): a Cúpula do Clima e a posição polêmica brasileira

22/09/2014 – Especial Desenvolvimento Sustentável (Parte 4): caminhada pelo clima, sociedade quer ser ouvida 
16/09/2014 – Especial Desenvolvimento Sustentável (Parte 3):  de olho na justiça climática 
15/09/2014 - Especial Desenvolvimento Sustentável (Parte 2): os desafios dos ODM aos ODS no Brasil 
12/09/2014 – Especial Desenvolvimento Sustentável – Como sair do ciclo dos gabinetes? 
21/09/2012 - Refugiados: o quanto compreendemos dessa realidade? 
07/08/2012 - Políticas fragmentadas e mudanças climáticas intensificam crise na África 
07/02/2012 - Malária: uma realidade do século XXI 
11/09/2011 - Rio+20: pratiquem o exercício de reflexão e cidadania
07/08/2011 – O  que se fala sobre vulnerabilidade climática (parte 1)
27/3/2011 - Com qual lente olhamos os desastres naturais?
02/09/2010 - Adaptação tem de ultrapassar a retórica
06/03/2010 - As necessidades elementares
26/01/2010 - Especial Fórum Social Mundial 2010 : Mobilização em prol do Haiti
21/01/10 - Haiti: mais braços se somam
14/01/10 - Haiti - A comunicação e a saúde ambiental
13/01/10 - Pensata: Haiti - O sentido da universalidade (2)
11/01/10 - Pensata: o sentido da universalidade
10/12/09 - Especial COP15 - Lembrem bem deste nome - Tuvalu
16/03/2008  - Onde está o Haiti?
*Blog Cidadãos do Mundo - jornalista Sucena Shkrada Resk

 

Pesquisar no site

Blog

18/06/2019 13:56

Artigo e Podcast 7 – Blog jornalístico Cidadãos do Mundo: Cidadania ambiental tem rosto e nome

Por Sucena Shkrada Resk* Atitude é tudo, não é? Personagens anônimos nos revelam dia a dia um Brasil rico em significados de cidadania ambiental. Estas experiências vêm ao nosso encontro, quando estamos receptivos e olhamos ao nosso redor. Vivenciei um desses momentos, no último domingo, 16 de...
12/06/2019 13:05

Microplásticos: microscópicos e invasivos

Por Sucena Shkrada Resk* Nós comemos e respiramos microplásticos diariamente. Mesmo parecendo absurdo, isto já é comprovado cientificamente e revela os bastidores da relação de produção, consumo e descarte. Apesar de minúsculos e microscópicos, estes fragmentos menores que cinco milímetros são...
05/06/2019 16:48

Poluição do ar: Qual é o valor de cinco segundos?

Por Sucena Shkrada Resk* A maioria de nós provavelmente nunca pensou quanto valem cinco segundos nos dias de hoje, não é? Valem literalmente uma vida, pois neste curto espaço de tempo morre uma pessoa no mundo em decorrência de doenças associadas à poluição do ar, correspondendo anualmente a 7...
23/05/2019 13:15

Podcast 6 – Blog Cidadãos do Mundo: Assustador é não ouvir mais os zumbidos das abelhas

Por Sucena Shkrada Resk* Ouvir os zumbidos das abelhas para muitos pode ser algo assustador, mas ao contrário do que você possa pensar, mais assustador é justamente não ouvir esses zumbidos. A resposta é simples: esses agentes da natureza responsáveis pela maior parte da polinização no planeta...
21/05/2019 14:33

Brasil sai do protagonismo em decisões internacionais da área ambiental

Por Sucena Shkrada Resk* A linha histórica dos esforços mais intensivos em cooperações multilaterais internacionais no campo ambiental já soma quase meio século, com a Declaração de Estocolmo (1972), mas desde a Segunda Guerra Mundial houve um impulso a este propósito, com a Declaração dos Direitos...
10/05/2019 17:12

O cenário conturbado da gestão ambiental brasileira

Por Sucena Shkrada Resk* A condução da gestão socioambiental no Brasil, neste ano de 2019, causa apreensão aqui e no exterior. Uma série de medidas está sendo tomada pelo Ministério do Meio Ambiente (MMA), sob comando do ministro Ricardo Salles, e tem causado polêmica ao acelerar a redução da...
07/05/2019 10:50

Artigo - Podcast 5 - Blog Cidadãos do Mundo: Um dia de second life nas teias socioambientais

Por Sucena Shkrada Resk* Será possível viver sem utopias? Na concepção de grande parte da humanidade, consciente ou inconscientemente, talvez não. Por quê? Uma das respostas possíveis é um sentimento que nos move e que se chama esperança. O que faríamos sem ela? Neste artigo também na versão do...
04/05/2019 12:49

Podcast 4: Saúde ambiental não existe sem prevenção - um alerta no Brasil

Por Sucena Shkrada Resk*   Neste quarto podcast do meu blog jornalístico Cidadãos do Mundo, falo com vocês a respeito da importância da prevenção na saúde ambiental. É uma questão que está sempre no nosso calcanhar, não é? Quer queira, quer não. E me faz lembrar deste trecho da música dos...
12/04/2019 13:41

Podcast 3 - Blog Cidadãos do Mundo - as facetas das desigualdades sociais no Brasil, por Sucena Shkrada Resk*

Olá, compartilho hoje com vocês o terceiro podcast do meu Blog jornalístico Cidadãos do Mundo. Estou trazendo para este espaço algumas reflexões sobre a questão da desigualdade social que historicamente tem afetado o Brasil, e que traduz aquela lacuna de desenvolvimento, que revela as facetas ainda...
02/04/2019 15:05

Podcast 2 - Blog Cidadãos do Mundo - Uma imersão no turismo de base comunitária, por Sucena Shkrada Resk

Olá, estou tratando no segundo podcast do meu Blog jornalístico Cidadãos do Mundo, da reflexão sobre o turismo de base comunitária e o etnoturismo, que saem da esfera convencional que conhecemos e trazem um ingrediente importante: a junção da proposta da conservação ambiental com a valorização...
27/03/2019 17:39

Primeiro podcast do Blog Cidadãos do Mundo traz reflexão sobre os efeitos do ciclone Idai na África

Olá, neste ano de 2019, eu, Sucena Shkrada Resk, estou ampliando o formato de linguagem do meu blog jornalístico Cidadãos do Mundo, com a introdução de podcasts periódicos, no qual faço comentários e reflexões sobre temas socioambientais, de sustentabilidade e cidadania, além dos artigos e...
25/03/2019 13:20

Podcast - Agricultura orgânica: grupo de mulheres revela o casamento da faceta da raiz cultural às sementes crioulas

Por Sucena Shkrada Resk  A entrevistada desta semana, do Blog Cidadãos do Mundo - jornalista Sucena Shkrada Resk, é a agricultora familiar pernambucana Vilma Martins (terceira à direita na foto), radicada em São Paulo, que integra a composição feminina do Grupo de Agricultores Urbanos...
20/02/2019 14:05

Tietê permanece adoecido na região metropolitana devido ao mau planejamento urbano

Por Sucena Shkrada Resk* A sensação de déjà-vu é contínua. Entra ano, sai ano, esta é a realidade perversa que vivemos diariamente nas regiões metropolitanas. De um lado, algumas nascentes que resistem, sabe-se lá até quando à pressão humana e, por outro, rios que são engolidos, em diversos...
08/02/2019 12:42

Rompimentos de barragens de rejeitos minerais revelam cenário de insegurança no país

Por Sucena Shkrada Resk* Ausência e/ou ineficiência nas precaução e prevenção, manutenção, em monitoramento e investimento em tecnologias mais seguras e em fiscalização contínua na destinação e tratamento de rejeitos minerais. Essa série de potenciais causas tem demonstrado um verdadeiro campo...
25/01/2019 14:43

Um olhar mais atento para os caminhos da habitação popular/social

Por Sucena Shkrada Resk* A população cresce ano a ano e o déficit habitacional segue a mesma trajetória no Brasil e é superior a 7,7 milhões de moradias necessárias para suprir essa demanda por imóvel próprio. Os dados são baseados em informações da Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios do...
21/01/2019 14:10

Narrativa de agricultora familiar nos leva à valorização ecossistêmica e humanística

Por Sucena Shkrada Resk* Ouvir a narrativa de agricultores familiares sempre é algo revigorante e que nos leva à ligação afetiva à terra, à água, à fauna e flora. Estimula nossa recepção sensorial e dá sentido à máxima de que quanto mais simples, mais estamos sintonizados com o equilíbrio...
16/01/2019 14:48

Os oceanos apelam todos os dias: #plásticosnão

Por Sucena Shkrada Resk* A imagem é desconcertante e dramática. Olhamos de um lado e de outro e os oceanos têm mais plásticos do que peixes. O ano é 2050. Cena de filme de ficção? Longe disso. Este é um prognóstico mais próximo do real descrito em estudo da fundação da navegadora Ellen MacArthur e...
14/01/2019 11:21

Temas “Refugiados” e “Migrantes”: não existe geopolítica baseada em visões unilaterais

Por Sucena Shkrada Resk* Em um mundo em que a maioria das pessoas e “nações” aspiram pela manutenção da democracia e da paz mundial, as relações diplomáticas internacionais exigem como alicerce o constante diálogo e o princípio de que as decisões sejam o mais consistentes e equilibradas para a...
10/01/2019 16:03

O Quênia e seus exemplos inspiradores: da resiliência ao socioambientalismo

Por Sucena Shkrada Resk * Sim. Exemplos inspiradores vêm do leste do continente africano e especialmente de países como o Quênia, e não se restringem a resultados na tradicional corrida de São Silvestre por aqui e chegam à esfera socioambiental, além do fato de Nairobi ser a cidade-sede do Programa...
09/01/2019 14:09

O Princípio da Precaução tão urgente e ao mesmo tempo, tão esquecido

Por Sucena Shkrada Resk* Memória, ah, essa memória histórica, que dá sentido e é importante para começos e recomeços. Nesse recuperar do tempo, o Princípio 15 – da Precaução (precautio-onis, em latim), instituído da Conferência das Nações Unidas sobre o Meio Ambiente e Desenvolvimento (Rio 92), que...

© 2018 Todos os direitos reservados.

Blog Cidadãos do Mundo-jornalista Sucena Shkrada Resk