Especial - Desenvolvimento Sustentável (parte 3): de olho na justiça climática

16/09/2014 16:21

Por Sucena Shkrada Resk

As mudanças climáticas há muitas décadas deixaram de ser objeto de ‘análise’ somente circunscrito ao universo de grupo de cientistas ou especialistas e são refletidas, de forma concreta, na realidade de cada um de nós e em especial, na situação vivenciada pelos refugiados climáticos. São eventos extremos, desequilíbrio e destruição de ecossistemas, de fontes para a segurança alimentar, doenças decorrentes da poluição e de fundo hídrico, que se somam neste processo acelerado a partir da Revolução Industrial, no século XVIII. É neste contexto, que estão programadas mobilizações da sociedade civil pelo mundo, neste mês, cobrando comprometimento e ação por parte dos governos dos países que participarão da Cúpula de Chefes de Estado sobre Clima, no próximo dia 23, e na Conferência das Partes da Convenção-Quadro das Nações Unidas sobre a Mudança do Clima (COP20), em Lima, no Peru, de 1 a 12 de dezembro.

As COPs ocorrem anualmente e são palco até hoje de dificuldades de negociação pautadas no conflito de interesses, que envolvem modelo de desenvolvimento e matriz energética calcada ainda em combustíveis fósseis. O que se discute é o teor das ações dos países pobres, em desenvolvimento e ricos para redução das emissões e financiamento à adaptação e redução de danos aos mais vulneráveis. O Protocolo de Kyoto foi prorrogado até 2020. Agora, o mais desafiador é que todas as nações acordem metas vinculantes após este período, ou seja, que se comprometam a cumprir. Esses detalhes deverão ser lapidados até o ano que vem, na COP21, em Paris.

O nível de carbono na atmosfera considerado seguro à saúde é de até 350 partes por milhão, mas a atual situação excede 400 partes por milhão. O 5º Relatório do Painel Intergovernamental de Mudanças Climáticas, produzido por centenas de cientistas de todo mundo dá um tipo de ultimato. Do jeito que está a condução do modelo de desenvolvimento no mundo, a temperatura média do planeta superará os dois graus Celsius, ainda neste século, podendo chegar a cenários extremos de cinco graus. Isso representa um grave comprometimento para a qualidade de vida na Terra.

Segundo o documento, no caso do Brasil, por exemplo, estudos de mudança do uso da terra no sul da Amazônia brasileira, nas últimas décadas, demonstram que houve impacto sobre a resposta hidrológica. Há um tempo defasado em escalas maiores para a ocorrência de precipitações. A savanização é um dos possíveis cenários nesta região, como a seca extrema no Nordeste.

Segundo Roberto Lenox, coordenador nacional da ONG SOS Clima Terra e um dos coordenadores da Marcha Mundial do Clima, que acontece, neste mês, em cerca de 100 países (incluindo o Brasil), a tendência até 2020 é que existam mais de 300 mi refugiados ambientais pelo mundo, sendo que em 2009, eram cerca de 15 mi. Ele alerta que muitos destes deslocamentos ocorrem nas áreas internas dos próprios países. A projeção da Agência das Nações Unidas para Refugiados (Acnur) é que até 2050, pode chegar a 1 bi de pessoas nesta situação. 

Uma das principais cobranças, de acordo com o ativista, além de investimento de tecnologias mais limpas, é que se efetive na prática o Fundo do Clima. A iniciativa no âmbito da ONU, que tem em seu conselho consultivo 24 representantes de países em desenvolvimento e desenvolvidos, foi criada em 2010, para auxiliar os países vulneráveis. O dispositivo foi definido para mobilizar R$ 100 bilhões anuais até 2020, provenientes das nações mais desenvolvidas, entretanto, até agora depende da entrada de recursos e definições da operacionalização.

Mais uma organização internacional que está programando uma série de mobilizações é a 350.org.

Brasil no cenário internacional

China, seguida dos EUA, lideram o ranking das nações que mais emitem Gases de Efeito Estufa (GEEs) no mundo. O Brasil figura entre os sete maiores emissores no planeta.

Segundo o Balanço Energético Nacional 2014, produzido pela Empresa de Pesquisa Energética (EPE), o total de emissões antrópicas (proveniente da ação humana) em 2013 associadas à matriz energética brasileira atingiu 459 milhões de toneladas de CO2-eq, sendo a maior parte (215,3 Mt CO2-eq) gerada no setor de transportes. Gás natural, petróleo e derivados representaram 80% do crescimento da oferta interna de energia no país.

Já a repartição interna de energia ficou dividida da seguinte forma:
- Energias renováveis (41%): biomassa da cana (16,1%); hidráulica (12,5%); lenha e carvão vegetal (8,3%) e lixívia, eólica, solar, entre outras (4,2%)

- Não renováveis (59%): petróleo e derivados (39%)/ gás natural (12,8); carvão mineral (5,6%); urânio (1,3%).

Quanto ao uso e ocupação do solo, o desmatamento na Amazônia, que vinha em curva descendente nos últimos anos, o que em tese já significava o cumprimento do que o Brasil havia se comprometido internacionalmente e pela Política Nacional sobre Mudança do Clima de 2009 (atingir uma redução de 36,1% a 38.9% nas emissões de gás do efeito estufa projetadas para 2020), sinaliza mudanças. Isso ocorre com o anúncio de aumento de 29% entre 2012 e 2013, segundo análises do Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (INPE).  As principais fontes de CO2eq (equivalente) no país até agora são o desmatamento da Amazônia, que chegou a representar 70% nos anos 90 caindo para 32% em 2012, se equiparando aos setores de energia e agropecuária, com 30% cada.

Mais um elemento ainda polêmico que figura no cenário das emissões de GEES, se refere aos possíveis efeitos ambientais da extração da camada do Pré-Sal (campos petrolíferos localizados entre 5000 e 7000 metros abaixo do nível do mar, que se estendem por aproximadamente 800 quilômetros ao longo do litoral brasileiro, entre o Espírito Santo e Santa Catarina), operada pela Petrobras.

Para os que defendem a exploração, o argumento de fundo econômico envolve a projeção  de investimentos bilionários, que ao mesmo tempo daria o retorno com injeção de recursos  na casa de trilhões provenientes do empreendimento na economia brasileira ao longo das próximas décadas. Um Fundo Social foi criado (mas ainda não regulamentado) para repasse de 50% do que for recebido pela União (partilha de produção e royalties),  para as áreas de Educação (75%) e Saúde (25% dessa parcela) no país. No tocante a recursos também para a compensação de danos ambientais não há informações precisas a respeito.

No aspecto ambiental, segundo relatório da ONG Greenpeace, por exemplo, as reservas estimadas da camada de Pré-Sal são equivalentes a 80 bilhões de barris de petróleo. A queima desse óleo representaria a emissão de 35 bilhões de toneladas de gás carbônico por 40 anos. Mais um questionamento recente, veiculado na mídia, exposto por biólogos é quanto à cobrança de planos eficientes de monitoramentos de impactos ambientais e o alerta sobre os possíveis comprometimentos à biodiversidade costeira. Documento foi encaminhado à Procuradoria da República do estado do RJ, em junho deste ano.

O Observatório do Clima (OC) e o Grupo de Trabalho sobre Clima (GT Clima) do Fórum Brasileiro de Organizações Não-Governamentais e Movimentos Sociais para o Meio Ambiente e o Desenvolvimento (FBOMS) encaminharam um ofício à presidente Dilma Rousseff, solicitando maior empenho do Brasil para a redução das emissões do país, além do envolvimento mais amplo da sociedade civil nas discussões. 

No documento Análise  do Panorama Atual das Emissões Brasileiras – Tendências e Desafios, o OC avalia sinais de aumento e apresenta dados  do Programa das Nações Unidas para o Meio Ambiente (PNUMA), que revelam que o Brasil reduziu os investimentos no setor de energias limpas e renováveis de  US$12 bilhões em 2008, para US$ 3 bilhões em 2013.

Agenda dos ODS

Na discussão dos chamados Objetivos do Desenvolvimento Sustentável (ODS), em tramitação, na agenda da ONU Pós-2015, o clima tem importância crucial entre 17 metas preliminares, e está interligado com outras demandas de produção e consumo responsável, energia, biodiversidade e oceanos.

Segundo documento sobre ‘elementos orientadores’ da posição brasileira nas negociações da Agenda de desenvolvimento Pós-2015,  o país de forma genérica se posiciona favorável às metas direcionadas a uma economia de baixo carbono, com incentivo à energia limpa, e no reforço à resiliência e adaptação das comunidades mais vulneráveis. Concorda que até 2030 seja dobrada a participação de energias renováveis na matriz energética mundial, mas ao mesmo tempo, também concorda que se elimine subsídios ineficientes aos combustíveis fósseis, assegurando tratamento especial e diferenciado para países em desenvolvimento.

Veja também no Blog Cidadãos do Mundo – jornalista Sucena Shkrada Resk:

15/09/2014 - Especial Desenvolvimento Sustentável (Parte 2): os desafios dos ODM aos ODS no Brasil 
12/09/2014 – Especial Desenvolvimento Sustentável – Como sair do ciclo dos gabinetes?  
07/08/12 - Políticas fragmentadas e mudanças climáticas intensificam crise na África
14/10/2013 - Água: um bem depreciado na sociedade do desperdício

14/01/2013 - Reflexão: a desertificação e o consumo inconsciente
27/08/2012 -No contexto das nove fronteiras
20/08/2012 - Eventos naturais extremos: prevenção no centro da pauta
07/08/2012 - Políticas fragmentadas e mudanças climáticas intensificam crise na África
23/05/2012 - Riomais20 - Como tratará da realidade da África Subsaariana
10/03/12 - Refugiados climáticos: do alerta ao fato
09/11/2011 - Refletindo sobre o Estado do Futuro
04/03/2012 - Pensata - Rio+20: agora é a vez do como
13/01/2012 -Rio+20: O que fazemos com tanta informação?
27/12/2011 - As teias que ligam a COP17 com a Rio+20
10/12/2011 -Relatório de Adaptação do IPCC: será que eles leram
09/11/2011 - Refletindo sobre o Estado do Futuro/Projeto Millennium
07/10/2011 – Russell Mittermeier-p1: foco em conservação das espécies e áreas protegidas
27/09/2011 - Quem quer fazer parte da estatística fatal provocada pela poluição?
13/09/2011 - A Rio+20 sob o olhar de quem esteve na ECO 92
07/08/2011 - O que se fala sobre vulnerabilidade climática (parte 1)
31/07/2011 -  Um diálogo com a Ecosofia
22/07/2011 - Alerta sobre o flagelo africano
28/06/2010  - A relação das APPs e as enchentes nordestinas
01/02/2010 -  Esp.FSM 2010 - Qual é a nossa conjuntura ambiental?
22/12/2009 - Especial COP15: Agora é a vez do panettone
19/12/2009 - Especial COP15 - O desacordo sela encontro
13/12/2009 - Especial COP15 - O balanço dos antagonismos
10/12/2009 - Especial COP15 - Lembrem bem deste nome – Tuvalu
06/12/2009  - Copenhague vira o centro do planeta
29/11/2009 - O caminho da economia verde
22/11/2009 - EIMA7: Como sair na contramão dos rumos das mudanças climáticas?
22/11/2009 - EIMA7: Entrevista: Giovanni Barontini sobre a COP-15
13/09/2009 - Qual 'casa' podemos construir para nós?
18/05/2009 - Especial II FCS - 3 - Um jornalismo mais comprometido
10/12/2008 - DHs: começam pelo princípio de dar dignidade à vida
29/07/2008 - Parte 2 - Plano Nacional de Mudanças Climáticas vai à consulta pública
01/04/2008 - Parte 1 - No caminho da Política Nacional de Mudanças Climáticas
05/09/2007 - As fronteiras das zonas de conflito

*Blog Cidadãos do Mundo – jornalista Sucena Shkrada Resk 

(atualizado em 16/09/2014, às 17h54)

Pesquisar no site

Blog

29/05/2020 13:00

Parte 10 – Estudo aponta o risco associado da desintegração ecológica com a origem de mais doenças infecciosas como a Covid-19

Por Sucena Shkrada Resk* Surtos epidêmicos entre humanos, com início em doenças zoonóticas, se tornam mais prováveis A The Wildlife Conservation Society lançou um documento, neste mês de maio, que alerta sobre o perigo que ronda a humanidade com a possibilidade de mais surtos epidêmicos e pandemias...
28/05/2020 09:58

Parte 9 – Mais de 40 milhões de vozes da área da saúde clamam por um meio ambiente saudável ao G20 no contexto da pandemia

Por Sucena Shkrada Resk* Carta foi encaminhada, nesta semana, aos líderes do grupo das 20 nações com as maiores economias mundiais, incluindo o Brasil, e clama pela necessidade de combate à poluição atmosférica “...Antes da Covid-19, a poluição do ar - principalmente originária do tráfego, uso...
26/05/2020 13:00

Parte 8: O papel estratégico da conservação da saúde ambiental no enfrentamento à Covid-19 no Brasil

Por Sucena Shkrada Resk* Mídia ambiental está atenta ao processo de desestruturação nesta agenda, que pode ser uma porta aberta também para avanços de epidemias A saúde ambiental brasileira está seguindo para uma Unidade de Terapia Intensiva (UTI). Nunca foi tão necessário evocar esta analogia com...
25/05/2020 14:32

Parte 7 – A corrente de humanização que se tece em tempos da pandemia da Covid -19

Por Sucena Shkrada Resk* Campanhas pelo país impulsionam o exercício de empatia e desprendimento Uma das características singulares que emerge em tempos de crise é a humanização, que vem carregada daquela palavra ‘aconchegante’ chamada empatia. Problemas da sociedade moderna já existentes se...
22/05/2020 13:56

Parte 6: o impacto na saúde mental em tempos de pandemia da Covid-19

Por Sucena Shkrada Resk* OMS lança documento em maio e iniciativas se multiplicam no Brasil No conjunto de complexidades a respeito dos impactos da pandemia da Covid-19, a saúde mental ganha projeção em recentes pesquisas, e os comprometimentos são avaliados como “extremamente preocupantes”,...
29/04/2020 15:28

Parte 5: #Covid19 e a valorização da pesquisa científica

Por Sucena Shkrada Resk* Esta pandemia reitera o quanto é crucial o investimento no capital humano científico Nós, individualmente e como integrantes do coletivo da humanidade procuramos um norte, nesta pandemia da Covid-19. Neste horizonte de incertezas, a “bússola” leva a uma área que nos últimos...
22/04/2020 16:34

Parte 4 – Em tempos de #Covid19 e #mudançasclimáticas

No Dia Mundial da Terra, a reflexão sobre novos paradigmas de desenvolvimento Por Sucena Shkrada Resk* A expressão “em tempos de #Covid19 ou de #Coronavírus tem se fixado em nossas mentes para definir o atual momento histórico em que vivemos nos últimos meses. Este ano de 2020 definitivamente é...
07/04/2020 14:31

Parte 3: A Covid 19 e os desafios de nossos defensores no front de batalha

Neste Dia Mundial da Saúde (07/04), fica o alerta em defesa de nossos profissionais da área da saúde Por Sucena Shkrada Resk* A batalha contra a Covid-19 está resultando em muitas baixas no front, em todo o mundo. No município de São Paulo, o médico socorrista Paulo Fernando, 56 anos; o enfermeiro...
30/03/2020 10:30

Parte 2: A espiral do novo coronavírus expõe a janela da fragilidade aberta no Antropoceno

Com a pandemia da Covid-19, somos obrigados a descobrir novos caminhos para a humanidade Por Sucena Shkrada Resk* Existem algumas guerras que não são estruturadas com armamentos bélicos e que são tão devastadoras quanto a estes conflitos geopolíticos que têm assolado a humanidade, como a 1ª e 2ª...
10/03/2020 10:36

Um tipo de pressão transversal de obsolescência programada ronda unidades de conservação marinha brasileiras?

Legislação do SNUC pode ser colocada em xeque, se UCs marinhas forem expostas à maior vulnerabilidade  Por Sucena Shkrada Resk* Após duas décadas da criação do Sistema Nacional de Unidades de Conservação (SNUC - LEI 9.985/2000), o Brasil se depara hoje com a possibilidade de...
03/03/2020 16:20

Água: no eixo central nos cenários de conflito no mundo

Por Sucena Shkrada Resk* A água, apesar de ser um direito humano, tem sido menosprezada através dos séculos no planeta. Experiências que exemplificam este extremo são vivenciadas diariamente por meio de conflitos contemporâneos com relação aos recursos hídricos, cada vez mais escassos, em nações...
27/02/2020 13:22

Pela quarta vez, é prorrogado prazo de obrigatoriedade dos Planos Municipais de Saneamento no Brasil

A falta de comprometimento efetivo com a infraestrutura ainda é um desafio na esfera de mais da metade dos governos locais. Novo prazo estabelecido pelo Governo Federal é 31 de dezembro de 2022. Sucena Shkrada Resk* Cumprimento de prazos, eis um “calcanhar de aquiles” na agenda de políticas...
19/02/2020 17:02

Brasil ocupa o primeiro lugar em casos de dengue nas Américas

Cenário exige campanhas permanentes para combater criadouros do vetor Aedes aegypti Por Sucena Shkrada Resk* Quando a pauta é saúde ambiental, o Brasil tem trilhado uma linha tênue e perigosa, nos quesitos precaução, prevenção e efetividade, desde a esfera municipal à federal, quando se trata da...
14/02/2020 10:40

Antártica, 20 graus: o continente gelado emite sinal de alerta

Registro de recorde não é motivo de celebração Por Sucena Shkrada Resk* Nem sempre os recordes são sinais de celebração. O que dizer, então, sobre o registro da temperatura de 20,75 graus C na Ilha Seymour, na Antártica, no último dia 9 de fevereiro? É bom frisar – GRAUS POSITIVOS, no continente...
13/02/2020 16:09

Gafanhotos-do-deserto expõem os extremos da crise climática na África

Situação atual em vários países do continente é avaliada como sem precedentes, segundo a Organização das Nações Unidas (ONU) Por Sucena Shkrada Resk* A palavra “extremo” permite resumir o quadro complexo e caótico que países da África Oriental estão vivenciando desde dezembro do ano passado e que...
12/02/2020 14:28

Adaptação à Mudança do Clima: do papel à ação, uma longa distância

Reflexo de temporal em SP, nesta semana, abre uma discussão importante sobre o papel do planejamento urbano Por Sucena Shkrada Resk*  Vocês já devem ter ouvido dizer pelo menos uma vez que o Brasil é um dos países com maior arcabouço legal na área socioambiental. Isso não quer dizer,...
04/02/2020 12:41

“Eu quero minha história de volta”, diz ex-moradora de Paracatu de Baixo, MG

Desabafo ocorre sobre recordações dos impactos do rompimento de duas barragens de rejeito da Samarco Por Sucena Shkrada Resk*, em Mariana (MG) “Levaram embora nossa história, eu não me sinto feliz”. Com esta frase, M.C.S., 45 anos, antiga moradora da comunidade de Paracatu de Baixo, subdistrito a...
03/02/2020 11:22

Minas Gerais: um recorte sobre os abalos sísmicos e a gestão de riscos

Por Sucena Shkrada Resk* O Brasil tem na casa de 500 abalos sísmicos anualmente e pouca gente tem conhecimento disso. Minas Gerais é um dos estados que historicamente registra os maiores números de terremotos no país (a maioria entre 1 e 4 graus na Escala Richter, que vai até 10 graus), o que é um...
23/01/2020 12:18

Saúde ambiental: estado de alerta mundial para o coronavírus reflete um desequilíbrio ecossistêmico

Por Sucena Shkrada Resk* Maior parte dos registros de casos, até agora, se concentra na China e em outros países asiáticos A Organização Mundial da Saúde (OMS) emitiu um alerta mundial sobre a propagação do coronavírus (2019-nCoV) e instituiu um comitê de emergência com renomados cientistas...
21/01/2020 13:12

Guerra na Síria: todo o peso da expressão “infância roubada” sobre mais de 5 milhões de crianças

Por Sucena Shkrada Resk* Este é um dos exemplos mais cruéis de obstáculos aos Objetivos do Desenvolvimento Sustentável (ODSs), que se multiplica em outras nações no mundo Quando observamos atentamente as consequências dos oito anos e meio da devastadora Guerra na Síria, alguns dos pontos mais...

© 2020 Todos os direitos reservados.

Blog Cidadãos do Mundo-jornalista Sucena Shkrada Resk