Conservação de Paranapiacaba e entorno frente a projetos de novos empreendimentos

29/11/2018 15:20

Por Sucena Shkrada Resk*

Empreendimentos que por sua natureza econômica causam passivos ambientais devem obrigatoriamente, por determinação legal, antes de serem licenciados, esclarecer da forma mais transparente possível todos os cenários possíveis do comprometimento relacionado à sua atuação, que se refere a questões de ocupação e uso do solo, emissão de poluentes, interferência no planejamento urbano, comprometimento da biodiversidade, impactos de diferentes portes que afetem populações do entorno e seus modos de vida e saúde. Ao mostrar esta radiografia, vem o principal: com quais ações (factíveis) se comprometem para mitigar e adaptar o que e quem são afetados em curto a longo prazo. E aí entra o aspecto crucial: esta remediação se sobrepõe qualitativamente a todos os danos?

Esta introdução permeia os processos que envolvem o movimento de cidadania e de gestão participativa quanto a um tema que está causando polêmica atualmente sobre o futuro da região de ecoturismo e de patrimônio histórico da rústica Vila de Paranapiacaba (de característica histórica ferroviária inglesa no meio de um maciço verde de floresta atlântica, tombada da esfera municipal à federal, entre 1987 e 2003), em Santo André,  - que conheço como jornalista e cidadã há 16 anos - e seu entorno que se estende até a Baixada Santista. É o projeto de construção de um Centro logístico na área do distrito de Campo Grande , também chamado de porto seco, numa área particular total de 468 ha (empreendimento Fazenda Rio Pequeno, Gleba A, Gleba C), até o ano de 2024, a 4 quilômetros da vila, onde passa a Ferrovia Santos-Jundiaí. Neste trecho, somente há transportes de cargas destino a Cubatão e Santos. E da Luz e Santo André para lá, também trem turístico aos finais de semana à vila.

No aspecto do processo na gestão pública, cabe à Prefeitura de Santo André a análise do Estudo de Impacto Ambiental (EIA/RIMA), devido à zona de amortecimento do Parque Natural Municipal Nascentes de Paranapiacaba, área contígua ao Parque Estadual da Serra do Mar, além da Reserva Biológica da Serra do Mar. Já o licenciamento ambiental do EIA/RIMA está sob análise da Companhia Ambiental do Estado de São Paulo (CETESB).

Com a instalação, segundo o empreendedor, estaria prevista inicialmente a quantidade de 64 viagens diárias de caminhões pela Rodovia Antônio Adib Chammas (SP-122), que dá acesso à Vila diariamente para transporte de cargas e utilização da ferrovia local, que segue para o Porto de Santos. Esta rodovia é utilizada hoje principalmente por ônibus de transporte público, ciclistas e carros de passeio para moradores e turistas.

Em 2017, houve uma emenda à Lei de Uso de Ocupação do Solo (LUOPS) andreense, que permite a obra e está sendo questionada. A Prefeitura de Santo André chegou a apresentar à Câmara Municipal recentemente um projeto de lei que a revoga.  

No decorrer de 2018, o assunto foi tema de debate na Universidade Federal do ABC (UFABC), no Instituto de Estudos Avançados da USP (IEA/USP), originou uma mobilização social por meio do atuante movimento SOS Paranapiacaba e abaixo-assinado on-line. A reação parte da sociedade civil, de especialistas nas áreas socioambiental e de gestão pública. A pauta também está sendo acompanhada pelo Ministério Público Federal (MPF).

De acordo com o empreendedor Fazenda Campo Grande Empreendimentos e Participações, o investimento está estimado na ordem aproximada de R$ 780 mi, e ocupará a área de influência direta do Centro é a porção alta da Bacia do Rio Grande (que abastece a Represa Billings) e indiretamente, a Bacia do rio Grande e parte do vale do rio Mogi, até o Vale da Morte. A previsão é que sejam desmatadas 91 ha de mata nativa (equivalentes a 91 campos de futebol). A empresa alega que respeitará as características ambientais (sem entrar em detalhes maiores quanto a compensação ambiental direta ao passivo), além de promover a geração de mais de 1,2 mil empregos diretos e indiretos e arrecadação de Imposto sobre Serviços (ISS) a Santo André, na ordem de R$ 64 mi, entre construção e operação.

Preocupação socioambiental

O Movimento SOS Paranapiacaba e especialistas, como a arquiteta e urbanista Silvia Passarelli, da UFABC, a bióloga e especialista em recursos hídricos Marta Marcondes, da Universidade de São Caetano do Sul (USCS), Carlos Bocuhy, presidente do Instituto Brasileiro de Proteção Ambiental (PROAM) e conselheiro do Conselho Nacional do Meio Ambiente (CONAMA) e o advogado Virgílio Alcides de Farias, do Movimento em Defesa da Vida do ABC (que já deu entrada em uma ação no Tribunal de Justiça quanto a este projeto)  argumentam que a instalação do empreendimento poderá causar sérios comprometimentos socioambientais, de acordo com o que apuraram de “lacunas” de informações prestadas até agora pelo empreendedor, nos estudos inicialmente apresentados.

Segundos os especialistas, devido ao porte e abrangência do empreendimento, alguns dos problemas verificados na proposta do projeto inicialmente são a possibilidade de perda de biodiversidade devido ao desmatamento (incluindo impactos irreversíveis a espécies ameaçadas), redução de produção de água comprometendo o abastecimento da Billings, o aumento de problemas de drenagem de águas pluviais em Campo Grande, comprometimento dos serviços ecossistêmicos, como também conflito de trânsito no entroncamento da SP 31 com a SP 122, em Ribeirão Pires. Mais um aspecto apontado é que indiretamente a atração de novos empreendimentos pressionem as nascentes do rio Grande e haja incidência de problemas de saúde em população flutuante.

Também são feitos questionamentos quanto à qualidade do sistema de coleta e tratamento de esgoto que será adotado na construção para que não comprometa os mananciais, ao tipo de carga que será transportado e à questão de possibilidade de acidentes com produtos contaminantes, como também o comprometimento do corredor ecológico que há nesta região que abriga diferentes áreas de conservação ambiental e compreende o cinturão verde da Reserva da Biosfera da Mata Atlântica . Aspectos importantes, como a geração de partículas finas poluentes e emissões de Gases de Efeito Estufa também são mais um ponto a ser esclarecido. Fazem parte dos componentes de saúde ambiental e de mudanças climáticas.

Primeira audiência pública programada para dezembro

A realização da primeira audiência pública sobre o EIA/RIMA do empreendimento, programada para junho deste ano, foi suspensa conforme informação do Conselho Estadual de Meio Ambiente (Consema). Uma nova data foi anunciada, agora, para 17 de dezembro. A participação da sociedade civil é de extrema importância nesta fase, como também a leitura anterior do documento (link acima) para que possa ter o mínimo de subsídios de informações.

Em um processo de gestão participativa, todas as dúvidas quanto a passivos e ações de mitigação e adaptação devem ser esclarecidas pelo empreendedor de forma objetiva e transparente para que qualquer pessoa (leiga) compreenda. Nestes espaços, especialistas que questionam o empreendimento também têm o direito de se expressar, com suas argumentações e perguntas. Ao mesmo tempo, o poder público, representado pelos órgãos ambientais, devem ser claros quanto a estes pontos levantados neste processo. A Justiça, por sua vez, neste momento, na figura dos promotores de Justiça, também devem ser atuantes na defesa do direito público e ambiental. Ouvir gestores de unidades de conservação do entorno é fundamental, dada a importância desse maciço de mata atlântica e hídrico paulista.

*Sucena Shkrada Resk é jornalista, formada há 26 anos, pela PUC-SP, com especializações lato sensu em Meio Ambiente e Sociedade e em Política Internacional, pela FESPSP, e autora do Blog Cidadãos do Mundo – jornalista Sucena Shkrada Resk (https://www.cidadaosdomundo.webnode.com), desde 2007, voltado às áreas de cidadania, socioambientalismo e sustentabilidade.

Veja também outros artigos que escrevi a respeito de Paranapiacaba no Blog Cidadãos do Mundo:

14/12/2014 – Paranapiacaba: um manancial estratégico na Mata Atlântica
27/07/2014 – Paranapiacaba: uma leitura para sua conservação

 

Pesquisar no site

Blog

23/05/2012 17:59

Riomais20 - Como tratará da realidade da África Subsaariana?, por Sucena Shkrada Resk

Quando nos voltamos, em especial, para a África Subsaariana, a questão é muito clara - Mais de um em quatro dos 856 milhões de habitantes estão subnutridos e dois terços dessa população vivem da terra. Isso ocorre mesmo com avanços "econômicos" registrados em alguns países do continente. Como essa...
23/05/2012 10:57

Nota: Saneamento está interligado a outras infraestruturas, por Sucena Shkrada Resk

A pesquisa “A percepção do brasileiro quanto ao saneamento básico e a responsabilidade do poder público” foi divulgada ontem, pelo Trata Brasil - IBOPE. Ao todo, foram realizadas 1.008 entrevistas em 26 grandes cidades do país, com população acima de 300 mil habitantes, e em todas as regiões. Ao...
22/05/2012 19:56

Nota: #RumoàRioMais20: Obra trata da resiliência & sustentabilidade, por Sucena Shkrada Resk

O Relatório "Povos Resilientes - Planeta Resiliente: Um futuro digno de Escolha" (https://www.onu.org.br/docs/gsp-resumo.pdf ), lançado pelo Painel de Alto Nível do Secretário Geral das Nações Unidas sobre Sustentabilidade Global, apresenta um total de 56 itens. Entre as propostas, está a criação...
22/05/2012 19:22

Rumo à Rio+20:Oceano é tema de livro no Dia Internacional da Biodiversidade, por Sucena Shkrada Resk

Hoje (22), em comemoração ao Dia Internacional da Biodiversidade, foi lançado o livro "One Ocean Many Worlds of Life" (Um oceano: muitas palavras, muita vida), pela Organização das Nações Unidas (ONU). A versão digital (em inglês), com 80 páginas, está publicada no site:...
20/05/2012 19:09

RumoàRioMais20 - Game simula ambiente real de decisões políticas, por Sucena Shkrada Resk

Foi lançado, nesta semana, sob encomenda do Programa das Nações Unidas para o Meio Ambiente (Pnuma), o "Game Change Rio" na plataforma do facebook (com versão em português), que tem como mote, os desafios da "economia verde" e da escolha de políticas para a sustentabilidade, como se o participante...
07/05/2012 11:54

Comunicação: do cordel à tecnologia, por Sucena Shkrada Resk

O acesso à comunicação na contemporaneidade não pode ser definido somente por plataformas tecnológicas, como se fosse a única solução para tudo. Quando restringimos a uma alternativa, caímos na armadilha da verticalização. O princípio é o poder de escolha aos diversos tipos de mídias, desde o...
07/05/2012 09:30

Liberdade de expressão: o princípio da horizontalidade, por Sucena Shkrada Resk

Liberdade de expressão. Um termo que exige aprofundamento e que, cotidianamente, é pasteurizado, em definições genéricas, como slogan de campanhas. Refleti, nesta semana, sobre essa questão, durante e pós o Seminário Desafios da Liberdade de Expressão, promovido pelo Fórum Nacional pela...
03/05/2012 13:45

Rumo à RioMais20: seca, fome, morte e draft zero, por Sucena Shkrada Resk

#RumoàRioMais20 O título da notícia, no último dia 2, é o seguinte: "Um milhão de crianças correm risco de morrer de desnutrição no Sahel, alerta UNICEF", no site da Organização das Nações Unidas (ONU). Nas entrelinhas, está descrita mais essa informação: Existem atualmente 15 milhões de pessoas...
30/04/2012 17:20

Patagônia: múltiplas experiências cotidianas, por Sucena Shkrada Resk

Durante o período de férias na Patagônia Argentina, entre os dias 16 e 27 de abril, exercitei experiências cotidianas "simples", que tiveram como principal contribuição, o significado dos valores e das mensagens socioambientais implícitas nas mesmas. Eu me deixei levar por essa atmosfera para...
30/04/2012 13:52

Rumo à Rio+20: Um olhar sobre Perito Moreno, por Sucena Shkrada Resk

#RumoàRioMais20 & MudançasClimáticas - Registrei essa imagem do Glacial Perito Moreno, no Parque Nacional Los Glaciares, na Patagônia Argentina, no último dia 17 de abril. O gigante de gelo dos Andes vem sofrendo transformações gradativas e grandes calotas começaram a se desprender do maciço, a...
16/04/2012 11:56

Breve recesso - período de férias, por Sucena Shkrada Resk

Pessoal, boa tarde. Hoje comecei o meu curto período de férias, que prossegue até o próximo dia 27 de abril. Já cheguei em Buenos Aires e daqui a pouco, sigo para El Calafate, para iniciar a aventura na Patagônia. Nesta fase, ficarei afastada das postagens para poder absorver melhor essas...
15/04/2012 21:37

Inhotim: arte e verde superam mineração no entorno, por Sucena Shkrada Resk

Em uma região na qual predomina um histórico de mineração no entorno, o Horto Florestal do Instituto Inhotim, em Brumadinho, a 60 km de Belo Horizonte, no mínimo, chama a atenção pelo efeito contrastante que causa para quem visita a unidade, que ocupa uma área de 100 ha. O espaço abriga uma das...
15/04/2012 00:00

A experiência da moeda social, por Sucena Shkrada Resk

Agora, me restam cinqüenta centavos de elo como lembrança. Vocês podem estar perguntando – “O que ela quer dizer com isso? – Esperem, já explico. É a moeda social que circulou durante o VII Fórum Brasileiro de Educação Ambiental, no mês passado, em Salvador, na Bahia. O público adquiria...
11/04/2012 09:14

Site da ONU pretende ser canal de diálogo com a sociedade sobre a Rio+20, por Sucena S.Resk

A Organização das Nações Unidas (ONU) lança oficialmente, no dia 16 de abril, (mas já pode ser consultado no ar) o site que terá versão também em português, além do inglês - https://www.riodialogues.org/login?destination=login - que segundo a instituição, pretende ser um canal de diálogo com a...
10/04/2012 18:01

Nota: May East conta que Senegal criou ministério das ecovilas, por Sucena Shkrada Resk

#Curiosidades_socioambientais - Uma das informações mais interessantes que ouvi, durante o VII Fórum Brasileiro de Educação Ambiental, em Salvador, em março, foi transmitida por May East, da Fundação Gaia e diretora-executiva da CIFAL Findhorn...Segundo ela, o Senegal criou o Ministério das...
10/04/2012 16:10

Nota: Educomunicadores criam associação, por Sucena Shkrada Resk

#Educomunicação - A Associação Brasileira de Pesquisadores e Profissionais em Educomunicação (ABPEducom) foi criada em fevereiro deste ano e está em fase de estruturação. A iniciativa surgiu, durante o XXXIV Congresso Nacional da Intercom, Recife, PE, em setembro de 2011. O site da entidade é:...
10/04/2012 10:14

E a educomunicação ambiental nas políticas públicas brasileiras?, por Sucena S.Resk

Hoje o que se observa é a dificuldade de se conseguir obter informações sistematizadas e contínuas sobre o campo da educomunicação no país. Durante o Encontro Paralelo de Educomunicação, no dia 28 de março, em Salvador, que integrou o VII Fórum Brasileiro de Educação Ambiental, Renata Maranhão,...
08/04/2012 22:19

Educomunicação: uma questão de estímulo, por Sucena Shkrada Resk

Olhos ávidos, mentes ativas e produções educomunicativas a todo vapor. Essa combinação pôde ser observada, durante a cobertura feita por cerca de 30 alunas e alunos de oito escolas públicas de Salvador, durante o VII Fórum Brasileiro de Educação Ambiental, entre 28 e 31 de março deste ano. Esses...
08/04/2012 13:58

Esp.Educom 2012:Ismar Soares e a educomunicação na academia e fora de seus muros, por Sucena S.Resk

O professor Ismar de Oliveira Soares, mestre e doutor em Ciências da Comunicação, durante bate-papo com o Blog Cidadãos do Mundo, fala sobre as recém-criadas licenciatura em educomunicação e especialização na Universidade de São Paulo (USP), das quais é coordenador, e do panorama da formação na...
06/04/2012 16:08

Especial Educom 2012: Grácia Lopes Lima fala dos objetivos do Cala-Boca Já Morreu,por Sucena S.Resk

Durante o Encontro Paralelo de Educomunicação, no VII Fórum Brasileiro de Educação Ambiental, no último dia 28 de março, Grácia Lopes Lima, doutora em Educação e mestre em Ciências da Comunicação, concedeu entrevista ao Blog Cidadãos do Mundo, momento em que falou de seu olhar sobre o processo...

© 2018 Todos os direitos reservados.

Blog Cidadãos do Mundo-jornalista Sucena Shkrada Resk