Brasil ocupa o primeiro lugar em casos de dengue nas Américas

19/02/2020 17:02

Cenário exige campanhas permanentes para combater criadouros do vetor Aedes aegypti

Por Sucena Shkrada Resk*

Aedes aegypti - Crédito da foto: Arquivo/Agência BrasilQuando a pauta é saúde ambiental, o Brasil tem trilhado uma linha tênue e perigosa, nos quesitos precaução, prevenção e efetividade, desde a esfera municipal à federal, quando se trata da dengue. A situação crítica da doença no país tem exposto esta lacuna de parte da gestão pública e da sociedade, nas responsabilidades compartilhadas. É uma doença que deveria se enquadrar na prioridade permanente da vigilância em saúde, com dotação orçamentária compatível, que envolve outras áreas dos governos, desde gestão de resíduos sólidos a saneamento.

Em 2019, foram registrados cerca de 2.242 milhões de casos da doença por aqui, visto a dimensão continental do país, que representam 70% das mais de 3 mi ocorrências nas Américas, no período, de acordo com a Organização Pan-americana de Saúde (OPAS). É como se toda população de Brasília, no DF, tivesse sido atingida. Desse total, ocorreram 754 óbitos (sendo que em 2018, foram 155). O que preocupa as autoridades médicas é a existência de um novo subtipo do vírus – tipo 2, que ocasiona a dengue hemorrágica, que é letal. A situação atual supera a de 2015, quando ocorreu 2,4 mi casos na região. 

A Organização Mundial da Saúde (OMS) tem alertado, nos últimos anos, que a dengue é a doença do século e alerta: está sendo negligenciada. Historicamente, os primeiros registros da doença no continente latino-americano ocorreram há 400 anos, de acordo com o assessor regional da OPAS, José Luís San Martín. Com intermitências de registros com picos de surtos e epidemias, já houve tempo suficiente para que houvesse maior dedicação ao combate de seus vetores.

Com o avanço das mudanças climáticas, que refletem em chuvas e temporais com mais frequência, o cenário é perfeito para a eclosão dos ovos do mosquito fêmea do Aedes aegypti, quando infectado, transmissor não só desta doença, como da Chikungunya, do zika vírus e da febre amarela, chamada de arboviroses urbanas. Além do vetor transmissor Aedes albopictus. E 2020 chegou, e os registros continuam a preocupar! O período de chuvas regular deve ser presente, pelo menos, até abril.

Segundo o boletim epidemiológico da Secretaria de Vigilância em Saúde – 7/2020, do Ministério da Saúde mais recente de fevereiro, já são 94.149 casos prováveis de dengue até agora e a confirmação de 14 mortes (AC, MG, SP, PR, DF, MS) com prevalência em idosos e mais de 60 óbitos estão sob investigação. Entre os estados com maior número de casos, estão São Paulo, Paraná, Acre e Mato Grosso do Sul. Regionalmente, o Centro-Oeste, o Sul e Sudeste têm uma ascendência em registros. Em relação à chikungunya, foram notificados 3.439 casos prováveis, com maior incidência no Sudeste e  Nordeste do país e destaque para o Espírito Santo e Rio de Janeiro.

Mas por que foi aberta esta janela epidêmica? Primeiro, é importante lembrar que os ovos do mosquito podem ficar até por um ano, “quietinhos”, latentes em ambiente seco, até o contato com a água. E criadouros urbanos – tanto com água limpa, como suja parada, de responsabilidade do próprio ser humano, ou seja, qualquer um de nós, não faltam por aí, não é? São pneus velhos, pratinhos de vasos, calhas, caixas d`água, piscinas e latões destampados, entre outros recipientes. Por isso, falar em precaução e prevenção não é banalidade. A vacina (com finalidade de utilização pública) contra a dengue, após muitos anos de pesquisa pelo Instituto Butantan, ainda está na última fase de testes em humanos. Hoje já existe uma outra vacina – a Dengvaxia (produzida por um laboratório particular francês), no mercado, e oferecida no sistema privado de saúde, que tem o objetivo de atender quem já foi infectado pelo vírus da doença anteriormente.

A utilização de repelentes e telas de proteção nas janelas também são mais alguns meios de proteção adicionais neste cerco à contaminação de alta complexidade.

Um ponto que não pode ser descartado, neste conjunto de ações, é que apesar de haver registros de picos de casos no país em diferentes períodos, nas últimas décadas, as campanhas mais assertivas ficaram sazonais, ao longo dos anos, e o tema se perdeu na burocracia das prioridades da área da saúde, que inclui saneamento e limpeza urbana, desde o nível municipal ao federal. Cada cidadão, por sua vez, tem a responsabilidade de combater focos em seus domicílios, locais de trabalho e da comunidade ou denunciar grandes focos onde não têm acesso para remediação.

Algumas ações do poder público com o envolvimento da sociedade têm sido noticiadas. Cidadãos (ãs) “arregaçam as mangas” em mutirões em suas comunidades. Uma destas iniciativas ocorreu no município de Concórdia/SC, no dia 15.  Por sua vez, na corrida contra o tempo, vários municípios brasileiros estão realizando ações para eliminar criadouros. Ações que devem ser constantes o ano inteiro.

Nas Américas, depois do Brasil, o maior número de casos de dengue foi registrado no México (268.458); na Nicarágua (186.173); na Colômbia (127.553) e em Honduras (112.708). Com todos estes dados e fatos, o alerta permanente a ser reforçado é que a dengue é uma das doenças tropicais mais complexas de controle na atualidade, que depende do envolvimento e conscientização da população no combate aos vetores. Não é uma preocupação só no verão.

*Sucena Shkrada Resk - jornalista, formada há 28 anos, pela PUC-SP, com especializações lato sensu em Meio Ambiente e Sociedade e em Política Internacional, pela FESPSP, e autora do Blog Cidadãos do Mundo – jornalista Sucena Shkrada Resk (https://www.cidadaosdomundo.webnode.com), desde 2007, voltado às áreas de cidadania, socioambientalismo e sustentabilidade.

Veja também no Blog Cidadãos do Mundo – jornalista Sucena Shkrada Resk:
15/01/2020 – As mudanças climáticas desenham o cenário de urgência em saúde
04/05/2019 – Podcast 4: Saúde ambiental não existe sem prevenção – um alerta no Brasil
09/01/2018 - Saúde ambiental - Febre amarela, do século XIX a 2018, o que Oswaldo Cruz faria nos dias de hoje?
27/11/2017 - Médica sanitarista fala sobre o universo da saúde ambiental, com destaque sobre os impactos dos agrotóxicos
31/01/2016 - Aedes aegypti - lá se vão quinze anos e uma constatação: o Brasil baixou a retaguarda
07/04/2013 – Dengue: brechas de prevenção no Brasil
11/12/2012 -Doenças raras e negligenciadas: o direito à informação
24/08/2012 - Coleta e tratamento de esgoto: como será quando chegarmos a 2050?
08/09/2010 - Precisamos nos reconhecer sul-americanos (II)

20/02/2010 - Dengue: prevenção não pode ser sazonal
 

Pesquisar no site

Blog

04/05/2019 12:49

Podcast 4: Saúde ambiental não existe sem prevenção - um alerta no Brasil

Por Sucena Shkrada Resk*   Neste quarto podcast do meu blog jornalístico Cidadãos do Mundo, falo com vocês a respeito da importância da prevenção na saúde ambiental. É uma questão que está sempre no nosso calcanhar, não é? Quer queira, quer não. E me faz lembrar deste trecho da música dos...
12/04/2019 13:41

Podcast 3 - Blog Cidadãos do Mundo - as facetas das desigualdades sociais no Brasil, por Sucena Shkrada Resk*

Olá, compartilho hoje com vocês o terceiro podcast do meu Blog jornalístico Cidadãos do Mundo. Estou trazendo para este espaço algumas reflexões sobre a questão da desigualdade social que historicamente tem afetado o Brasil, e que traduz aquela lacuna de desenvolvimento, que revela as facetas ainda...
02/04/2019 15:05

Podcast 2 - Blog Cidadãos do Mundo - Uma imersão no turismo de base comunitária, por Sucena Shkrada Resk

Olá, estou tratando no segundo podcast do meu Blog jornalístico Cidadãos do Mundo, da reflexão sobre o turismo de base comunitária e o etnoturismo, que saem da esfera convencional que conhecemos e trazem um ingrediente importante: a junção da proposta da conservação ambiental com a valorização...
27/03/2019 17:39

Primeiro podcast do Blog Cidadãos do Mundo traz reflexão sobre os efeitos do ciclone Idai na África

Olá, neste ano de 2019, eu, Sucena Shkrada Resk, estou ampliando o formato de linguagem do meu blog jornalístico Cidadãos do Mundo, com a introdução de podcasts periódicos, no qual faço comentários e reflexões sobre temas socioambientais, de sustentabilidade e cidadania, além dos artigos e...
25/03/2019 13:20

Podcast - Agricultura orgânica: grupo de mulheres revela o casamento da faceta da raiz cultural às sementes crioulas

Por Sucena Shkrada Resk  A entrevistada desta semana, do Blog Cidadãos do Mundo - jornalista Sucena Shkrada Resk, é a agricultora familiar pernambucana Vilma Martins (terceira à direita na foto), radicada em São Paulo, que integra a composição feminina do Grupo de Agricultores Urbanos...
20/02/2019 14:05

Tietê permanece adoecido na região metropolitana devido ao mau planejamento urbano

Por Sucena Shkrada Resk* A sensação de déjà-vu é contínua. Entra ano, sai ano, esta é a realidade perversa que vivemos diariamente nas regiões metropolitanas. De um lado, algumas nascentes que resistem, sabe-se lá até quando à pressão humana e, por outro, rios que são engolidos, em diversos...
08/02/2019 12:42

Rompimentos de barragens de rejeitos minerais revelam cenário de insegurança no país

Por Sucena Shkrada Resk* Ausência e/ou ineficiência nas precaução e prevenção, manutenção, em monitoramento e investimento em tecnologias mais seguras e em fiscalização contínua na destinação e tratamento de rejeitos minerais. Essa série de potenciais causas tem demonstrado um verdadeiro campo...
25/01/2019 14:43

Um olhar mais atento para os caminhos da habitação popular/social

Por Sucena Shkrada Resk* A população cresce ano a ano e o déficit habitacional segue a mesma trajetória no Brasil e é superior a 7,7 milhões de moradias necessárias para suprir essa demanda por imóvel próprio. Os dados são baseados em informações da Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios do...
21/01/2019 14:10

Narrativa de agricultora familiar nos leva à valorização ecossistêmica e humanística

Por Sucena Shkrada Resk* Ouvir a narrativa de agricultores familiares sempre é algo revigorante e que nos leva à ligação afetiva à terra, à água, à fauna e flora. Estimula nossa recepção sensorial e dá sentido à máxima de que quanto mais simples, mais estamos sintonizados com o equilíbrio...
16/01/2019 14:48

Os oceanos apelam todos os dias: #plásticosnão

Por Sucena Shkrada Resk* A imagem é desconcertante e dramática. Olhamos de um lado e de outro e os oceanos têm mais plásticos do que peixes. O ano é 2050. Cena de filme de ficção? Longe disso. Este é um prognóstico mais próximo do real descrito em estudo da fundação da navegadora Ellen MacArthur e...
14/01/2019 11:21

Temas “Refugiados” e “Migrantes”: não existe geopolítica baseada em visões unilaterais

Por Sucena Shkrada Resk* Em um mundo em que a maioria das pessoas e “nações” aspiram pela manutenção da democracia e da paz mundial, as relações diplomáticas internacionais exigem como alicerce o constante diálogo e o princípio de que as decisões sejam o mais consistentes e equilibradas para a...
10/01/2019 16:03

O Quênia e seus exemplos inspiradores: da resiliência ao socioambientalismo

Por Sucena Shkrada Resk * Sim. Exemplos inspiradores vêm do leste do continente africano e especialmente de países como o Quênia, e não se restringem a resultados na tradicional corrida de São Silvestre por aqui e chegam à esfera socioambiental, além do fato de Nairobi ser a cidade-sede do Programa...
09/01/2019 14:09

O Princípio da Precaução tão urgente e ao mesmo tempo, tão esquecido

Por Sucena Shkrada Resk* Memória, ah, essa memória histórica, que dá sentido e é importante para começos e recomeços. Nesse recuperar do tempo, o Princípio 15 – da Precaução (precautio-onis, em latim), instituído da Conferência das Nações Unidas sobre o Meio Ambiente e Desenvolvimento (Rio 92), que...
29/11/2018 15:20

Conservação de Paranapiacaba e entorno frente a projetos de novos empreendimentos

Por Sucena Shkrada Resk* Empreendimentos que por sua natureza econômica causam passivos ambientais devem obrigatoriamente, por determinação legal, antes de serem licenciados, esclarecer da forma mais transparente possível todos os cenários possíveis do comprometimento relacionado à sua atuação, que...
28/11/2018 16:54

A miopia de gestão sobre as mitigações e adaptações às mudanças climáticas

Por Sucena Shkrada Resk* Às vésperas da Conferência das Partes da Convenção-Quadro das Nações Unidas sobre as Mudanças do Clima (COP 24), o Brasil desenha um quadro desestruturador das medidas quanto a mitigações e adaptações às mudanças climáticas. Diplomaticamente falando, a desistência da...
08/11/2018 15:43

Vivemos um hiato temporal brasileiro socioambiental

Por Sucena Shkrada Resk* A agenda socioambiental brasileira sofre, nas últimas décadas, de um anacronismo crescente, no qual o que muito do que está escrito nas legislações nacionais e, inclusive, em tratados internacionais ratificados pelo país, não se configura na prática da realidade diária....
08/10/2018 12:48

2018: a crônica ambiental dos 30 anos

Por Sucena Shkrada Resk  O ano de 2018 é simbólico por representar o aniversário de 30 anos de importantes acontecimentos na trajetória do ambientalismo brasileiro. Apesar de não ser totalmente infundado o velho ditado de que no Brasil temos memória curta, essas histórias ainda pulsam, pois...
26/08/2018 16:33

Refugiados: os diversos contextos das fronteiras humanitárias

Por Sucena Shkrada Resk* As relações humanas trafegam em linhas tênues que reúnem processos culturais centenários, questões socioeconômicas, religiosas e limites geográficos, que integram a geopolítica, que ora se fundem, e ora segregam. Historicamente é isto que vimos em diferentes partes do mundo...
14/08/2018 18:30

O mercúrio nas veias da Amazônia

Por Sucena Shkrada Resk* Quem dera que falar sobre “mercúrio” fosse um assunto somente de interesse da pauta astronômica? Voltando à realidade do planeta Terra, se trata dos impactos da contaminação pelo metal, altamente letal, um tema ainda subnotificado, que mexe em uma ferida aberta, em...
11/07/2018 18:00

Entrevista da semana - Defensor público fala sobre o desafio do combate ao uso de agrotóxicos em São Paulo e em todo o Brasil

Por Sucena Shkrada Resk O advogado Marcelo Carneiro Novaes, defensor público do Estado de São Paulo, que integra a coordenação do Fórum Paulista de Combate aos Impactos dos Agrotóxicos e Transgênicos, que começou a se reunir em novembro 2016, é o entrevistado desta semana do Blog Cidadãos do Mundo...

© 2020 Todos os direitos reservados.

Blog Cidadãos do Mundo-jornalista Sucena Shkrada Resk