Aziz Ab`Saber: uma mente brilhante, por Sucena Shkrada Resk

16/03/2012 21:12


Fiquei contente em encontrar em meu arquivo de imagens, a foto que tirei do professor Aziz Ab`Saber, em 30 de abril do ano passado, quando fui conversar com ele, após o espetáculo de Ariano Suassuna, no Sesc Vila Mariana, em São Paulo. Sentado na primeira fileira, com a voz mansa e demonstrando a ânsia por continuar ativo, contou que ia praticamente todo dia à Universidade de São Paulo (USP), para fazer as suas leituras e pesquisas (não conseguia parar)...Essa foi a última vez que tive a oportunidade de vê-lo pessoalmente...Que boa lembrança!

Hoje ele partiu para uma nova jornada, mas com certeza deixa um importante legado socioambiental. O geógrafo entregou justamente ontem, o último capítulo do terceiro volume de seu livro, “Leituras indispensáveis”, que trata de comentários sobre artigos que selecionou como importantes para a formação humana dos jovens. Segundo a Sociedade Brasileira para o Progresso da Ciência (SBPC), da qual o pesquisador era presidente de honra, o lançamento ocorrerá em julho. Em mais de 70 anos de atividade, produziu pelo menos, 300 trabalhos acadêmicos de relevância.

Tive oportunidade de entrevistá-lo, algumas vezes, além de ouvi-lo em algumas palestras, como a que ministrou em 2009, na Universidade Municipal de São Caetano do Sul, na abertura da Conferência Darwin no Contexto Científico e Social. Era um pesquisador vibrante. Quando falava da Amazônia e do respeito aos povos da floresta, como também da regionalização do acesso ao conhecimento das populações sobre seus biomas...era algo realmente estimulante...Atento ao processo de votação do projeto de lei do novo Código Florestal, tecia críticas fundamentadas. Para o geógrafo, as mudanças na legislação tinham que ser conduzidas por pessoas competentes e bioeticamente sensíveis.

A última vez que tive oportunidade de conversar com ele, pessoalmente, foi após o espetáculo de Ariano Suassuna. Essa experiência resultou neste artigo, que escrevi no dia 1º de maio e que é minha sincera homenagem a ele:

Suassuna, em verso e prosa, por Sucena Shkrada Resk (Blog Cidadãos do Mundo)
O escritor, poeta, dramaturgo e historiador Ariano Suassuna, 84 anos, no palco, e o geógrafo Aziz Ab´Saber, 87, na plateia. Poderia haver combinação mais emocionante de se flagrar? Presenciei esse bonito quadro, neste sábado, 30 de abril, no teatro do Sesc Vila Mariana, em São Paulo, durante a aula-espetáculo do escritor paraibano, radicado em Recife. Por mais uma vez, ele superou ‘sua aversão’ às viagens aéreas, para trazer aos paulistanos, um pouco de sua vasta contribuição à cultura brasileira.

Durante quase duas horas, compartilhei uma viagem no tempo. Um ir e vir de trocadilhos, glosas, críticas aos preconceitos à cultura de raiz, além de um humor perspicaz, que provocou risos largos do público. Essa gama de informações trouxe à tona importantes momentos da carreira do criador do Movimento Armorial, reconhecido internacionalmente por obras, como “Auto da Compadecida” (1955).

O Movimento Armorial foi iniciado por Suassuna, em Recife, em 18 de outubro de 1970, com o propósito de ampliar o reconhecimento das raízes das manifestações populares culturais brasileiras, e até hoje ele mantém um trabalho neste sentido.

Em vez de me estender em interpretações, decidi optar por transcrever algumas frases que ouvi de sua exposição, ontem, e compartilhá-las com vocês:
-“... Minha posição tem caráter didático. Fui professor, durante minha vida toda, desde os 17 anos...”
- “...Até hoje me espanto com o poder de improviso que têm os cantadores. Que coisa extraordinária...”
- “Fui criado lendo...Além da leitura, eu me encantei pelo circo...
- “Gosto de rir e fazer rir...”
- “Quero desmoralizar esse pessoal que diz que o povo brasileiro não sabe o que é bom...Mas se apresentarem a ele só o que é ruim...”
- “...O que acho mais bonito em nosso povo é a unidade na diversidade...”

Foram tantas passagens contadas de forma coloquial pelo escritor, que seria impossível descrevê-las em um resumo. Mas de tudo que transmitiu, extrai o seguinte - Por muitas vezes, reclamamos da vida, por pequenas discordâncias, mágoas por palavras mal empregadas ou rompantes de sentimentos enraivecidos. Nesses momentos, esquecemos que a vida pode ser poética, harmoniosa, com risos largos e esperançosa. Quando conhecemos pessoas, no alto de sua maturidade, que produzem e nos incentivam, provocando nossa reforma íntima, sentimos o quanto é preciso lutar pelo envelhecimento com dignidade.

Ao falar com o professor Ab`Saber, ao término da apresentação, eu obtive mais uma lição de humildade. Ele contou que estava vendo pela primeira vez uma ‘aula’ de Suassuna e havia se encantado. Nas entrelinhas, deu o seguinte recado - um bom educador e pensador nunca se cansa de aprender. E com mais um detalhe, digno de nota. Apesar de aposentado e com dificuldade para caminhar, ele praticamente vai todo dia à Universidade de São Paulo (USP), estudar e compartilhar conhecimentos. E completou - “Uma vez (Suassuna) foi à Sociedade Brasileira para o Progresso da Ciência (SBPC) para fazer uma palestra, que foi tão interessante, que depois dele, ninguém mais queria falar (rs)”.

Esses momentos singulares não pararam por aí. Ainda tive a oportunidade de entrevistar Suassuna em coletiva de imprensa, para finalizar o conteúdo para uma matéria que estou produzindo. Um momento especial nos bastidores de minha carreira. No final da noite, já cansado de tanto atender aos apelos dos jornalistas – inclusive, o meu, é claro rs -, gentilmente, ele autografou o livro Almanaque Armorial, com organização de Carlos Newton Júnior, pela José Olympio, que eu havia comprado lá, para conhecer um pouco mais de seu trabalho.

Leia também no Blog Cidadãos do Mundo:
15/09/2009 20:44 - Um pensador além de seu tempo

 

Pesquisar no site

Blog

16/10/2017 08:42

Ivaporunduva ecoa vozes pelos direitos quilombolas no Brasil

O Blog Cidadãos do Mundo – jornalista Sucena Shkrada Resk coletou dois depoimentos, há algumas semanas, em Eldorado, SP, de lideranças do Quilombo Ivaporunduva, no Vale do Ribeira, em defesa dos direitos adquiridos pelas comunidades em todo o Brasil, com o decreto 4887/2003, que regulamenta a...
11/10/2017 11:35

Arpilleras: a defesa dos direitos tecida com a sensibilidade da arte

Por Sucena Shkrada Resk, no Rio de Janeiro Maria Alacídia, 52 anos, de Altamira, Pará, e Claides Helga Kohwald, 76 anos, do Rio Grande do Sul e que hoje mora no Paraná, vivem a milhares de quilômetros de distância, mas têm suas vidas ligadas por um bordado e por uma “linha histórica” em comum. A...
09/10/2017 17:53

Justiça socioambiental: centenas de vozes ecoam homenagem póstuma à pescadora Nicinha, no Rio de Janeiro

Por Sucena Shkrada Resk, no Rio de Janeiro  A pescadora Nilce de Souza Magalhães, mais conhecida por Nicinha, liderança feminina do Movimento dos Atingidos por Barragens (MAB), no estado de Rondônia, defendia os direitos das populações afetadas pelo Complexo Hidrelétrico, no rio Madeira e seus...
25/09/2017 12:22

Gameleira traz um exemplo propositivo de afirmação identitária quilombola

PÍLULAS SOCIOAMBIENTAIS Por Sucena Shkrada Resk O Museu Gídio Veio, da Comunidade de Remanescentes Quilombolas de Gameleira, em São Tomé, no Rio Grande do Norte, é uma prova de que o senso de pertencimento étnico ao território pode ser ‘perpetuado’ por meio de ações proativas, que tragam o resgate...
21/08/2017 16:06

Ser quilombola: um diálogo com a memória ancestral

Por Sucena Shkrada Resk, em Eldorado (SP) - 20/08/2017 “Eu tenho uma memória ancestral que diz quem eu sou”, destaca o quilombola Ronaldo dos Santos, coordenador executivo da Coordenação Nacional de Articulação das Comunidades Negras Rurais Quilombolas (CONAQ). Essa afirmação nunca foi tão...
01/08/2017 11:40

Mobilização nacional defende comunidades remanescentes quilombolas contra retrocessos em direitos estabelecidos

Por Sucena Shkrada Resk Nos últimos anos, está sendo construído um cenário de retrocessos no campo dos direitos humanos no Brasil, que ferem a Constituição de 1988. Atualmente, uma causa que ganha visibilidade é a das comunidades remanescentes quilombolas. Isso acontece, porque o julgamento...
09/07/2017 18:10

O discurso da invisibilidade no contexto da injustiça socioambiental e no campo

Por Sucena Shkrada Resk Vivemos tempos de invisibilização acentuada de povos e comunidades tradicionais e indígenas promovida pelos modus operandi das políticas de infraestrutura, que ferem os direitos instituídos legalmente, no âmbito nacional e internacional. Algumas das agendas com maior número...
22/01/2017 18:21

O ônus socioambiental da contemporaneidade “Flex”

  Por Sucena Shkrada Resk   Quando dizemos que um indivíduo ou uma nação têm "palavra", o sentido implícito nesta frase implica retidão, ética e relação de confiança. Mas nos deparamos hoje na contemporaneidade com uma fragilidade que reflete um mundo em que leis, direitos instituídos e...
18/12/2016 10:34

Guerra na Síria: o retrato da desumanização no século XXI

Por Sucena Shkrada ReskQuem cura as cicatrizes das feridas profundas das guerras civis que marcam o século XXI, em especial, na Síria? Os acordos geopolíticos demonstram que impera a crueldade imposta pelas polaridades, que armam os lados opostos internos com aparato bélico e financiamento e causam...
12/12/2016 21:38

A legislação socioambiental sob o ataque da artilharia ruralista no Congresso Nacional

Por Sucena Shkrada Resk Agora, querem destruir as regras do licenciamento ambiental O desgaste político brasileiro na agenda socioambiental chega a beirar o surrealismo. Tal qual uma artilharia, com tanque de guerra, a bancada ruralista tem assumido o ataque, por meio de projetos que tramitam no...
05/09/2016 17:41

A longevidade em tempos de mudanças climáticas

Por Sucena Shkrada Resk Caso fôssemos fazer uma enquete para saber se as pessoas querem envelhecer em um planeta com o aumento da temperatura média acima de dois graus Celsius até o final do século com relação à era pré-industrial, muitas talvez não tivessem a noção do que essa pergunta significa....
28/08/2016 16:31

Savanização da Amazônia mato-grossense a olhos nus

Por Sucena Shkrada Resk Mais de 15 mil focos de incêndio/queimadas, neste ano, colocam o Mato Grosso em primeiro do ranking no país atualmente. E boa parte destes registros ocorre no bioma amazônico ao norte e noroeste do estado. Colniza, a pouco mais de mil quilômetros de Cuiabá, é o município que...
26/06/2016 22:35

Mortes de ativistas socioambientais não podem se perder nas estatísticas

Por Sucena Shkrada Resk Muitos nomes em algumas lápides por este Brasil podem ser anônimos para a maioria de nós, mas representam o descaso cada vez maior com a vida de cidadãos e cidadãs, que fazem parte de comunidades indígenas, que pleiteiam a demarcação de terra que se estende em processos...
24/04/2016 14:53

Agrotóxicos – Parte 2: mais um projeto polêmico na Câmara

Por Sucena Shkrada Resk Quando imaginamos que está chegando o momento de bonança, vem mais uma notícia que exige um olhar atento da sociedade quanto à temática dos agrotóxicos e a tentativa de mudança de nomenclatura e regras, que ferem o direito do consumidor. Tramita na Câmara dos Deputados, o...
11/04/2016 12:44

Estão calando aos poucos as raízes indígenas: a memória oral é um caminho necessário

Por Sucena Shkrada Resk Quando anunciam que dezenas de línguas indígenas podem morrer, como centenas já desapareceram no Brasil, dá uma sensação de vazio. O processo de extermínio das raízes vem se acelerando, desde o “Descobrimento do Brasil”, quando se estima que havia o registro entre 1.500 e...
03/04/2016 09:44

Agrotóxicos-transgênicos: um rolo compressor está sendo passado sobre o direito do consumidor

Por Sucena Shkrada Resk Enquanto o cenário político brasileiro enfrenta uma de suas maiores crises na história democrática no país, nos bastidores, a orquestração no Congresso de grupos políticos, que representam predominantemente interesses de mercado, consegue aprovar projetos que prejudicam o...
23/02/2016 20:34

Esgotamento sanitário mais uma vez relegado a segundo plano no Brasil

Por Sucena Shkrada Resk Bactérias, vírus e parasitas, coliformes fecais, produtos químicos, metais pesados...  Sinto muito dizer, mas 42% da população convivem com este contexto de saneamento, porque não têm acesso a um direito mínimo, que é a coleta de rede de esgoto. O endereço dessa...
09/02/2016 07:27

As lamas da mineração: a caixa de pandora foi aberta

Por Sucena Shkrada Resk Três meses se passaram e a conclusão a que se chega é que a expressão “tragédia anunciada” se materializou no acidente do rompimento da barragem de rejeitos minerais(de ferro) do Fundão, operada pela Samarco, controlada pela Vale e pela anglo-australiana BHP Biliton, , em...
31/01/2016 14:00

Aedes aegypti - lá se vão quinze anos e uma constatação: o Brasil baixou a retaguarda

Por Sucena Shkrada Resk Lembro como se fosse hoje. O ano era 2002 e trabalhava como repórter no Diário do Grande ABC. Uma das pautas que mais cobri, neste período, foi com relação à epidemia de dengue e aos diversos focos do mosquito fêmea do Aedes aegypti que havia na região e no país. Em outras...
26/12/2015 15:58

Implementação é a palavra-chave após a COP21

Por Sucena Shkrada Resk Esta é uma fase de amadurecimento de reflexões. Os últimos dias após o acordo firmado na 21ª Conferência das Partes (COP-21) da Convenção-Quadro das Nações Unidas sobre Mudança do Clima (UNFCCC) e da 11ª Reunião das Partes no Protocolo de Quioto (MOP-11), em...

© 2018 Todos os direitos reservados.

Blog Cidadãos do Mundo-jornalista Sucena Shkrada Resk