Coleta seletiva: na busca da compreensão do caminho das pedras em SCS, por Sucena Shkrada Resk

24/07/2012 14:17

Há alguns anos, em São Caetano do Sul, é realizada a coleta seletiva, com coletores distribuídos pela cidade, onde rotineiramente levo os resíduos recicláveis de minha casa, além do recolhimento porta a porta em alguns bairros, de forma gradativa. Mas falta informação quanto ao destino desse material, que é um eixo estratégico, ao meu ver, de transparência e de educação ambiental. No final das contas, acredito que a meta principal (antes mesmo da Política Nacional de Resíduos Sólidos - Lei 12.305, de 02/08/10) é a diminuição de nosso consumo e consequente produção de resíduos recicláveis. Um item essencial dos 7 Rs...

Tomei a iniciativa de ligar hoje para a Secretaria Municipal de Meio Ambiente (SEMA) e informaram que os resíduos seguem para uma Central de Triagem, localizada na avenida do Estado, 4.200, onde há um trabalho de uma cooperativa, que começou há dois meses, com cerca de 70 pessoas...O interessante, agora, é ir conhecer pessoalmente como se dá esse trabalho...

Nesse processo de apuração, descobri que antes o serviço era feito por um departamento da Prefeitura. Os itens separados seguiam a leilões e os recursos obtidos eram encaminhados ao Fundo de Solidariedade do Município.

No caso do resíduo eletrônico, a orientação fornecida pelo departamento de Educação Ambiental da SEMA é o Lar Bom Repouso, no bairro Barcelona. Na cidade, algumas lojas que já mantêm os recipientes, são as Casas Bahia (baterias e pilhas) e Drogaria São Paulo (papa-pilhas)...

E hoje um rapaz tocou a campainha de casa e informou que a rua onde moro também começará a ter o serviço de coleta às quintas-feiras e nos entregou alguns sacos amarelos, onde deverão ser colocados os resíduos. Agora, é acompanhar como será o funcionamento.

E no diálogo como munícipe com o atendimento de EA da Sema, sugeri que mantenham as informações sobre todo o processo de coleta seletiva por parte da Prefeitura. Isso prevê quantidade de resíduos recolhidos (divididos por tipos), destinação, recursos gerados com os mesmos e destinação dessas verbas e a atual fase com a cooperativa, que obviamente atende às determinações da legislação em vigor.

Qualquer cidadão (ã) tem esse direito quanto ao acesso às informações, como dever de multiplicar esses dados e sensibilizar sua família, vizinhos sobre a importância da racionalização do consumo, tendo em vista que o ciclo dos resíduos vai muito além do que os olhos podem ver.

Na própria PNRS, é importante destacar que o papel da sociedade não é passivo na cadeia, desde o consumo à destinação...

© 2014 Todos os direitos reservados.

Blog Cidadãos do Mundo-Sucena Shkrada Resk